1.12.18

REFORMA SACRAMENTA FLEXIBILIZAÇÃO MÁXIMA DO TRABALHO, ALERTA DESEMBARGADORA DO TRT

REDAÇÃO -

"As mudanças são significativas e precisamos saber como enfrentá-las a partir das normas vigentes, nunca perdendo de vista que a reforma trabalhista sacramentou a flexibilização máxima do mundo do trabalho", alertou Ivani Contini Bramanti, desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, durante sua apresentação na mesa "As Consequências da Contrarreforma Trabalhista sobre as Negociações Coletivas", que compõe a programação do 3º Seminário Jurídico da CTB.


O evento, que teve início nesta quinta (29), acontece na sede da CTB Nacional e conta com a participação de dirigentes, assessores jurídicos, advogados, entre outros, de 20 estados do país.

Clemente Ganz Lúcio, diretor Técnico do Dieese e que também participou da mesa, destacou que as mudanças vistas ocorrem em âmbito mundial.

"A reforma do trabalho foi aplicada em 110 países e não tem outro objetivo senão reestruturar o sistema aplicando uma nova divisão do trabalho, que impõe à classe trabalhadora uma nova realidade: a ampliação brutal da flexibilização, com impacto na organização e nas negociações e acordos coletivos", complementou ele.
Tanto Clemente como a Desembargadora Ivani apontaram que o trabalho intermitente é a maior expressão do fenômeno de mudança no mundo de trabalho.

"Empregos precarizados, intermitentes, teletrabalho, rotatividade e informalidade são algumas das características deste novo tempo", destacaram os palestrantes.

Eles concordam e alertam que "urge uma reestruturação do movimento sindical que dê conta desta nova conformação do mundo do trabalho. Sem isso, não conseguiremos fazer frente às mudanças em curso".

Fonte: Portal CTB