5.12.18

SOCIÓLOGO DETONA A LAVA JATO, NA GLOBO: A LEI NÃO É PARA TODOS!

EMANUEL CANCELLA -

A lei não é para todos em vídeo diz sociólogo, Celso Rocha Barros na Globo (13).


Esses comentários que faço me custam caro, pois já fui intimado duas vezes em um ano pelo MPF, a pedido do chefe da Lava Jato (5 a 7). As intimações são por possíveis crimes contra a honra do juiz Sérgio Moro.

A primeira intimação foi num claro intuito de impedir o lançamento do meu livro, A Outra Face de Sérgio Moro. Paralelamente denunciei ao MPF, em novembro de 2016, a omissão da lava em relação à gestão criminosa dos tucanos FHC e Pedro Parente na Petrobrás. Até hoje sem resposta. Veja a denúncia na íntegra (4).

Tudo isso começou quando eu era dirigente sindical do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros – FNP.

Chegamos a fazer um filme sobre o pré-sal “ Todo o Petróleo tem que ser nosso! A última fronteira.” (Veja o filme 2), o qual, em seu lançamento, lotou o cinema Odeon no Rio. E foi criticado em editorial pelo New York Time:

“Com a bandeira verde e amarela do Brasil aberta sobre o palco, membros do sindicato dos petroleiros assistiram a um novo documentário aqui no mês passado, "O Petróleo Tem Que Ser Nosso - Última Fronteira".

No filme, geólogos, líderes sindicais e até mesmo uma médica de 92 anos, Maria Augusta Tibiriçá, discutem como os novos campos poderiam gerar "trilhões de dólares" e transformar o futuro do Brasil.

Uma dúzia de sindicalistas encerrou a noite cantando o hino nacional e depois uma canção composta para o filme, misturando samba e bossa nova” (1)

Como disse o brilhante ator Paulo Betti, referindo-se ao pré-sal, no filme “… é como se encontrássemos um tesouro valiosíssimo em nosso quintal e, então, entregássemos a outros, porque somos incompetentes para administrá-lo!”

Não estou sozinho nas críticas que faço à Lava Jato, veja o filme que mostra como a Lava Jato destruiu a economia nacional em poucos meses (3).

A Lava Jato prendeu sem provas o ex-presidente Lula “o pai” do pré-sal, pois foi em seu governo que a Petrobrás desenvolveu tecnologia inédita no mundo, que permitiu a descoberta do pré-sal.

Lula é acusado pela Lava Jato de ser o comandante máximo da corrupção na Petrobrás. Pasmem! Depois de mais de 3 anos de investigação, usando toda máquina pública, o MPF, PF e dinheiro a rodo, o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, disse ao vivo, na Globo, que não tem provas, só convicções contra Lula (8).

Já para o ex-presidente tucano FHC, denunciado várias vezes em corrupção na Petrobrás, e em algumas envolvendo o seu próprio filho, nada de investigação (9).

Como se não bastasse, FHC tem fortes indícios de enriquecimento ilícito, tais como apartamento de luxo em Paris e Nova York e fazenda com aeroporto no Brasil (10,11).

Debochando da justiça, FHC, em seu livro, Diários da Presidência, até reconhece que havia corrupção em seu governo na Petrobrás. Para isso a Lava Jato afirma “Isso não vem ao caso” (12)!

Como dizia Stanislau Ponte Preta: “Restaure-se a moralidade ou locupletemo-nos todos!

Fonte: