29.12.18

SP DE COVAS E DORIA EM 2019: TARIFA DE ÔNIBUS VAI PARA R$ 4,30 E PEDÁGIOS DA RAPOSO TAVARES SOBEM 6,64% NO OESTE PAULISTA

REDAÇÃO -


Reportagem de Bruno Ribeiro e Fabio Leite no Estado de S.Paulo informa que a tarifa de ônibus da cidade de São Paulo vai subir para R$ 4,30 a partir do dia 7 de janeiro, primeira segunda-feira útil do ano. O aumento, de 7,5%, ficou acima da inflação acumulada desde o último aumento, em 7 de janeiro deste ano. Corrigida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a correção teria de ser para R$ 4,15, segundo as projeções de inflação consolidadas neste ano feitas pelo Banco Central, de 3,6%. “Por dois anos, em 2016 e em 2017, a tarifa não sofreu qualquer reajuste, mantendo-se no valor de R$ 3,80, impactando significativamente o orçamento da Prefeitura. Em 2018, houve um aumento abaixo da inflação, elevando o valor para R$ 4,00. Agora, a Prefeitura realiza uma necessária adequação da receita para reduzir o desequilíbrio do sistema”, argumenta a Prefeitura, em nota.

De acordo com a publicação, em 2016, entretanto, a tarifa subiu de R$ 3,50 para R$ 3,80. Em 2017, ela não subiu porque isso havia sido uma promessa de campanha do então prefeito João Doria (PSDB). O bilhete único da SPTrans dá direito a até três viagens de ônibus da capital paulista em um intervalo de três horas. Há ainda uma tarifa com desconto caso o passageiro use os sistemas de pneus e trilhos. A tarifa integrada, que hoje é de R$ 6,96, não teve o novo valor divulgado pela Prefeitura.

A Prefeitura informou ainda que deixará de complementar os valores pagos por empresas para o vale-transporte. “O vale-transporte para as empresas deixará de ser subsidiado pelos impostos municipais pagos pela população. O valor a ser pago pelo empregador passará a ser de R$ 4,57. O fim do subsídio alcança apenas as empresas. Para o trabalhador, o desconto de 6% em folha, conforme define a Legislação Trabalhista, não sofrerá alteração”, afirma a administração municipal. “Os detalhes dos novos valores constam em planilha tarifária entregue nesta sexta-feira, 28 de dezembro, à Câmara Municipal, que também será publicada no Diário Oficial deste sábado, 29”, continua a Prefeitura. O bilhete único mensal foi reajustado de R$ 194,30 para R$ 208,90 e o bilhete único diário (válido por 24 horas) foi de R$ 15,30 para R$ 16,40. O Estado tenta contato com o governo do Estado para obter informações sobre o reajuste de trens e metrô, que tradicionalmente são alterados em conjunto. Até o começo da tarde, a gestão Márcio França (PSB) informava ainda não tem fechado os valores para o ano que vem. França deixará o cargo na próxima terça-feira, 1º de janeiro, quando João Doria (PSDB) assumir seu mandato de governador, completa o Estadão.

SÃO PAULO DE DORIA:
PEDÁGIOS DA RAPOSO TAVARES SOBEM 6,64% NO OESTE PAULISTA A PARTIR DO DIA 31

Reportagem de José Maria Tomazela no Estado de S.Paulo informa que motoristas que transitarem pela Rodovia Raposo Tavares, no oeste no oeste do Estado de São Paulo, vão pagar tarifas mais caras em quatro praças de pedágio a partir de segunda-feira, 31, último dia do ano. O reajuste médio será de 6,64%. Segundo a Concessionária Auto Raposo Tavares (Cart), o aumento foi autorizado para compensar reajustes menores dados em 2013 e 2014.

De acordo com a publicação, usuários da rodovia na região de Presidente Prudente, no interior, já eram informados sobre o aumento nesta sexta-feira, 28. O reajuste maior, de 7,75%, vai incidir nas tarifas do pedágio de Rancharia, que passam de R$ 6,60 para R$ 7,10 para automóveis. Caminhões pagam esse valor por eixo. Para as motos, a tarifa sobe de R$ 3,30 para R$ 3,35. Na praça de Presidente Bernardes, o reajuste de 6,81% vai elevar a tarifa básica – para carros e por eixo de caminhão – de R$ 8,80 para R$ 9,40. O valor das motos passa de R$ 4,40 para R$ 4,70. No mês passado, a tarifa dessa praça já havia subido R$ 0,10 pela chamada “reclassificação tarifária”.

Em Caiuá, com o reajuste de 6,06%, o motorista de veículo de passeio que atualmente paga R$ 6,60, passa a desembolsar R$ 7,00 – mesmo valor que será cobrado por eixo de veículo de carga. A tarifa de motos sobe de R$ 3,30 para R$ 3,50, completa o Estadão. (via DCM)