28.12.18

VERGONHA! LAVA JATO SE OMITE E AGORA O MP SAI NA DEFESA DE QUEIROZ!

EMANUEL CANCELLA -


O juiz Sérgio Moro, ex-chefe da Lava Jato, prendeu Lula sem provas numa jogada de mestre para beneficiar Bolsonaro. Lula, segundo pesquisa do Ibope, ganharia a eleição no 1º turno (1).

Mesmo assim Fernando Haddad, que substituiu Lula como candidato do PT, vinha tendo uma ascensão fulminante com poucos dias de campanha.

E aí Moro disparou a chamada bala de prata, quando vazou para mídia a delação premiada de Antônio Palocci, já rejeitada pelo MPF por falta de provas, a 6 dias da eleição (2).

O vazamento criminoso da delação de Palocci teve um resultado espetacular na campanha de Bolsonaro e desastrosa na campanha de Haddad do PT.

Assim Bolsonaro se consolidou como líder no 1º turno e várias candidaturas do PT sofreram perdas irreparáveis entre elas a de Dilma, que tinha, segundo as pesquisas, uma cadeira garantida no Senado por Minas Gerais, e assim foi derrotada (5).

O PT denunciou a tramoia ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ, inclusive mostrando que ação de Moro foi premeditada visando assumir um ministério no governo de Bolsonaro, inclusive cita até um encontro de Moro e o vice de Bolsonaro, o general Hamilton Mourão:

"A revelação do general Hamilton Mourão é prova testemunhal da relação entre o juiz Sérgio Fernando Moro e o então candidato Jair Bolsonaro. Uma relação que operou uma 'troca de favores” (4).

Mas não foi a primeira vez que o PT sofreu um revés em eleição pela Lava Jato. Na reeleição de Dilma, às vésperas da eleição, veio da Lava Jato, então chefiada por Moro, a denúncia fajuta de que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás.

A farsa foi capa da revista Veja e replicada pelo Jornal Nacional da Globo. O advogado Antônio Figueiredo Basto negou que seu cliente, Alberto Youssef tivesse dado qualquer depoimento dizendo que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás: “Conversei com todos da minha equipe e nenhum fala isso. Estamos perplexos e desconhecemos o que está acontecendo”(7).

Apesar de o TSE ter proibido a divulgação dessa farsa, nem a Veja, nem o JN da Globo ou a Lava Jato foram  sequer advertidos (6).

Mesmo assim Dilma se reelegeu e nada aconteceu com a Veja, Globo e a Lava Jato.

E agora, em 2018, Moro novamente, e com certeza da impunidade, além de prender Lula sem provas ainda vaza para a mídia a delação de Palocci, proibida pelo MPF por falta de provas. E pelos serviços prestados vai ser ministro da Justiça de Bolsonaro.

Moro, ao chegar ao governo de transição de Bolsonaro, deparou com o imbróglio de seu colega de ministério, Onyx Lorenzoni, réu confesso em caixa dois. Moro, nos EUA havia dito à imprensa, que caixa dois é pior que corrupção, mas com relação a Onyx disse: “Ele já reconheceu e pediu desculpas” (8,9).

Agora assistimos à desmoralização de nossas instituições com o caso do Queiroz, assessor e motorista do filho de Bolsonaro. Queiroz foi denunciado pelo Coaf que operou 172 movimentações em sua conta em um ano num total de R$ 1.2 milhões. Numa dessas movimentações depositou R$ 24 mil na conta da futura primeira dama, Michelle Bolsonaro. A sociedade, dentre outras coisas, quer saber de onde vem esse dinheiro que alimenta a conta do Queiroz.

Ontem, 26, Queiroz, que continua foragido, deu uma entrevista exclusiva ao SBT, mesmo antes de seu depoimento ao MPF. A entrevista de Queiroz, além de não esclarecer nada, colocou mais lenha na fogueira.

E Lava Jato, que oficialmente não é mais chefiada por Moro, está calada. Nada de prisão, busca no apartamento do Queiroz ou vazamento de depoimento para mídia.

E o Queiroz que está foragido e faltou a duas audiências ao Ministério Público alegando problema de saúde, mas deu entrevista ao SBT aparentando aspecto saudável.

Hoje o MP do Rio solta uma nota e onde se imaginava que criticaria o Queiroz, muito pelo contrário, o MP disse que o depoimento de Queiroz vai ser só depois da cirurgia (10). Pergunta que não quer calar: enquanto isso ele continua foragido e poderá dar novas entrevistas?

Tudo leva a crer que a Lava Jato, que nunca prendeu ou vazou depoimento de tucanos, agora estendeu esses mesmos serviços ao governo Bolsonaro!

Fonte: