18.1.19

MARCO AURÉLIO SOBRE CASO FLÁVIO E QUEIROZ: ‘SÓ DECIDO QUANDO VOLTAR DE FÉRIAS, NINGUÉM VAI ME CAÇAR’; FLÁVIO BOLSONARO DÁ SUA EXPLICAÇÃO

REDAÇÃO -

Depois de muita gente ter reclamado nas redes sociais, Flávio Bolsonaro resolveu se manifestar no Instagram sobre a suspensão da investigação de Fabrício Queiroz solicitada por sua defesa, que utilizou a prerrogativa do foro privilegiado do futuro senador.


Vamos começar a restabelecer a verdade: “A assessoria de Flávio Bolsonaro informa que sua defesa ajuizou Reclamação no Supremo Tribunal Federal em face do MP/RJ tendo em vista que, ao ter acesso aos autos do procedimento, verificou ser o Senador objeto de investigação, o que atrai a competência ao Supremo Tribunal Federal — única autoridade competente para decidir sobre o foro adequado à continuidade das investigações em curso relativamente a ele.

Ademais, a defesa apontou, na Reclamação, nulidades diversas, como a quebra dos sigilos bancário e fiscal do Senador, para fins de investigação criminal, sem autorização judicial.

Todos os requerimentos feitos limitaram-se à pessoa do Sr. Flávio Bolsonaro e aos procedimentos ilegais que foram tomados em relação a ele pelo MP/RJ, não implicando solicitação relativamente a nenhum terceiro.” (via DCM)

***
MARCO AURÉLIO SOBRE CASO FLÁVIO E QUEIROZ:
‘SÓ DECIDO QUANDO VOLTAR DE FÉRIAS, NINGUÉM VAI ME CAÇAR’

De Andréia Sadi no G1.

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse ao blog nesta quinta-feira (17) que vai examinar o caso envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) só no dia 1º de fevereiro, quando voltar de férias. “Estou no Rio, pelo menos desta vez ninguém vai me caçar – só que com c cedilha”, brincou o ministro.

A ironia do ministro refere-se a decisões do ministro Dias Toffoli, presidente da Corte, que cassaram decisões de Marco Aurélio. A primeira, em dezembro, quando foi suspensa decisão que autorizou a liberação de presos condenado em segunda instância. A segunda, no recesso do Judiciário, quando Toffoli estendeu ao Senado a possibilidade para que a eleição da Mesa Diretora, em fevereiro, seja em votação secreta, diferentemente do que tinha decidido Marco Aurélio.

Sobre a decisão de Fux desta quinta, Marco Aurélio disse que não conhece o caso Flávio Bolsonaro, e que vai decidir na volta do recesso se mantém a suspensão ou não. “Quero continuar de férias”.
(…)