17.1.19

NA VERDADE O GOVERNO BOLSONARO “SE COBRIR É CIRCO SE CERCAR É HOSPÍCIO”

EMANUEL CANCELLA -


A jornalista Helena de Chagas bateu na veia: “Vamos falar de armas para não ter que falar de emprego, Previdência, etc?” (1)

Com milhões de brasileiros desempregados, Bolsonaro libera as armas.

Qual seria o recado do presidente: “Salve-se Quem Puder!”, “Vá Arrumar um Trabalho de Segurança!”, ou quem sabe um “Mãos ao Alto”?

Não só o desemprego em massa, mas também o agravamento do SUS, com a saída do Mais Médicos.

E vários estados falidos por conta da PEC do Fim do Mundo (ou da Morte), que congelou por 20 anos, saúde, educação, salários, segurança, etc.

Além de desempregado, o brasileiro está sem direito. Bolsonaro votou tanto na PEC da Morte como na reforma trabalhista do Temer (2).

Bolsonaro quer mudar a embaixada brasileira de Israel para Jerusalém, o que representa uma afronta para os árabes, que ameaçam suspender investimentos (3,4).

Ele está sempre recuando. Bolsonaro recuou da base militar americana da saída do tratado de Paris do clima, depois da ameaça do presidente francês recuou (6).

Vamos falar da ministra de Bolsonaro, a dos Direitos Humanos, a pastora Damares Alves:. Damares é mãe da farsa do Kit gay, o principal material da campanha de Bolsonaro, quando acusou mentirosamente o candidato do PT, o professor Fernando Haddad, se ser o autor do Kit gay, que teria sido distribuído nas escolas para crianças.

Essa mesma ministra de Bolsonaro, mãe do Kit gay, em vídeo, anexo, viu chegar em escolas, para uso das crianças, velas vermelhas, sapo, cálices para fazer sacrifícios (5). Tinha que saber em que escola ela viu isso.

Entre outras atribuições, a ministra responde pela Funai e, não por acaso, os índios estão sendo agredidos, ameaçados e até mortos.

Os artistas como, Ney Matogrosso, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Zeca Pagodinho, Zeca Baleiro, Arnaldo Antunes, Nando Reis, Lenine, Elza Soares, Lirinha, Edgard Scandurra, Zélia Duncan, Criolo, Margareth Menezes e Céu, entre outros, se mobilizaram e fizeram música pela “Demarcação Já”  e pela preservação do índio, que nunca estiveram tão ameaçados (10).

Esta semana, o ministro da Casa Civil de Bolsonaro, Onyx Lorenzoni, saiu em apoio à liberação da venda de armas dizendo que arma em casa oferece o mesmo risco que um liquidificador (11).

Na verdade, o governo Bolsonaro:  “Se cobrir é circo se cercar é hospício”.

https://www.catarse.me/apoie_a_tribuna_da_imprensa_sindical_fc6b?ref=project_link

Fonte: