12.1.19

NOTA DA FIST SOBRE A MANIPULAÇÃO GROSSEIRA DA REDE GLOBO EM EVENTO DE APOIO À VENEZUELA

ANDRÉ DE PAULA -

Ocupação Hugo Chávez, Catete, Rio de Janeiro.
Usando imagem de militantes da Frente Internacionalista dos Sem Tetos (FIST) e outros movimentos sociais como se fossem contra Maduro quando, na verdade, estavam ali, amplamente majoritários, na porta do Consulado a favor da democracia que existe no país bolivariano, a Globo mais uma vez distorce, falseia e mente a respeito da verdade dos fatos.

A FIST sempre defendeu o processo eleitoral na Venezuela desde o saudoso comandante Hugo Chávez que dá nome a uma ocupação localizada no Catete. A Venezuela, inclusive, será homenageada no XIII Congresso do nosso movimento que ocorrerá nos próximos dias 12 e 13 de janeiro (sábado e domingo) no Sindicato dos Petroleiros (SINDIPETRO-RJ).

O ex-Presidente Carter dos Estados Unidos afirmou que o processo eleitoral na Venezuela é o mais limpo do mundo. Realmente, o eleitor passa por biometria, votando eletronicamente e no papel. E há auditoria de todas as eleições.

Foram vinte e três as consultas ao povo desde que o chavismo ascendeu ao governo, fazendo com que a Venezuela seja um dos países mais democráticos. Apesar disso, tem de haver ainda um aperfeiçoamento, pois a oposição endinheirada e direitista controla a maioria da comunicação e teve muito mais tempo que o chavismo na grande mídia, além de esconder comida para causar fome no povo e consequente descontentamento.

A nova Constituinte foi a pá de cal nas pretensões da burguesia venezuelana golpista e fator determinante para a gestação do socialismo em marcha que enfrenta, ainda, as sanções econômicas, pois os Estados Unidos não toleram que qualquer país seja livre.

Cessaram as manifestações terroristas. Alguns alimentos estocados pelos empresários estão sendo encontrados, confiscados e distribuídos para o povo. Sim, porque cada vez mais o protagonista é o “povo lascado”, trabalhadores, camponeses, indígenas, idosos, estudantes, deficientes físicos, entre outros que junto com os partidos dão a direção na condução do país. Estão armados e em estreita relação com as forças armadas bolivarianas, patriotas e socialistas.

Com estes Conselhos Comunais o povo pobre passa a ter cada vez mais atendimento médico gratuito nos bairros onde moram, apesar de muitas vezes faltar medicamento, devido ao embargo norte-americano, direito ao estudo gratuito desde o primário até a universidade, com constantes aumentos de salário acompanhando a inflação. Diversifica-se a produção para sair da dependência exclusiva do petróleo, que tem na Venezuela a maior reserva do mundo. Por isso, a cobiça sobre este país e a campanha difamatória para justificar, depois, a invasão e o roubo do petróleo como fizeram no Iraque, Líbia e tentaram fazer na Síria.

Nos Estados Unidos, país que quer servir de exemplo para o mundo, nem 50%(cinquenta por cento) da população participam do processo eleitoral que é indireto. Não há voto universal para eleger o Presidente. O povo não tem qualquer mecanismo de participação na ditadura dos partidos Democrata e Republicano. Na Venezuela, que também não tem voto obrigatório, a maioria da população votou, optando a maioria por Maduro.

Os venezuelanos, que tinham dado um voto de confiança na oposição, quando esta elegeu a maioria para a assembleia nacional, ficaram chocados com os protestos violentos que a direita fez queimando pessoas vivas e trancando ruas durante quatro meses.

Se Lula e Dilma tivessem feito o que fez Chávez e faz Maduro não teriam caído. A aliança tem de ser feita é com o povo e não com figuras sinistras, direitistas e corruptas o que acabou nos levando para o golpe e para o caos em que vivemos com a eleição do fascista Bolsonaro.

Exigimos da Globo a imediata correção ou o direito de resposta sob pena de levá-la às barras dos tribunais por distorção absoluta da verdade.

https://www.catarse.me/apoie_a_tribuna_da_imprensa_sindical_fc6b?ref=project_link

*André de Paula é advogado da Frente Internacionalista dos Sem-Teto (FIST) e membro da Anistia Internacional.