27.2.19

O EX-MAGISTRADO MORO, DESMENTE A SI MESMO

HELIO FERNANDES -



Afirmação publica e textual: "Os laranjas do PSL têm que ser punidos". Ele está garantindo ou pedindo autorização? Isso é da total competência dos seus dois ministérios, ele fica fingindo de todo poderoso, e não faz nada.

Vai completar 2 meses de ministro, nenhuma providencia para investigar o parceiro de Flavio Bolsonaro e dos milicianos, que movimentou fortunas, e intimado varias vezes, jamais apareceu para se explicar. E passou descansando 8 dias, em Rio das Pedras, na confortável residência do chefão miliciano.

E como o ex-magistrado, é eclético no fracasso e na reviravolta, se humilhou perante deputados.

Na primeira entrevista depois de convidado para dois ministérios, (ainda não empossado), foi categórico: "Caixa 2 é um crime terrível de corrupção". Foi á Câmara entregar os projetos, recebido quase com hostilidade, mudou logo, mudança assustadora: "Caixa 2 é  um crime menor, não intimida como corrupção, deve ser julgado pelo tribunal regional".

Na hora "fatiou" o projeto, estarrecimento geral. E o ex-magistrado em plena carreira política, cada vez se afasta mais  da possível presidência da Republica.

ADIADA A TRAMITAÇÃO DA PREVIDÊNCIA

Não chamam mais de reforma, agora é Nova Previdência. Por causa da confusão estabelecida na CCJ, (Comissão de Constituição e Justiça) tramitação, só depois do carnaval. Rodrigo Maia, coordenador de tudo, num assomo de sinceridade, fez duas afirmações, que passam recibo nas inevitáveis dificuldades que estão enfrentando.

1- O adiamento até que foi bom para nós. Estamos longe dos 308 votos indispensáveis.

2- Na CCJ, no momento não temos condições de enfrentar uma votação. O coordenador maior confirma tudo o que venho escrevendo. Mas desagradou completamente, o farsante e mistificador, Paulo Guedes.

CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA

Estamos terminando a terceira semana do importante julgamento, "e até as pedras da rua sabiam" (Rui Barbosa), não haveria decisão, a não ser depois do carnaval. A notícia que continua positiva. Acabará a impunidade dos criminosos da homofobia. Nenhum ministro do STF, admite mudar de  voto.

DE BOGOTÁ: SEM INTERVENÇÃO

A repórter comentarista Letícia Fernandes, morando na capital da Colômbia, tinha varias alternativas para cobertura. Preferiu se localizar onde estavam os que tinham poder e capacidade de decidir, os chanceleres e dois vice-presidentes, do Brasil e dos EUA. Acertou em cheio, embora os dois discordassem frontalmente, a grande matéria estava ali.

Que ela descreveu com a clareza e a competência habitual, correspondendo ao seguinte titulo: "Grupo de Lima rejeita ação militar externa contra Maduro e aumenta pressão diplomática".

O Globo publicou ontem, quase pagina inteira, satisfazendo seus leitores, pela publicação dos fatos, e os bastidores, que produziriam esses fatos, que repercutem no mundo inteiro.