27.2.19

O SIMBOLISMO DAS IMAGENS

LUCAS RUBIO -

Muitos têm dito que a Coreia Popular, apertando a mão dos americanos (como se isso fosse uma promessa de casamento), está se abrindo à restauração capitalista e irá ruir num futuro próximo.

Não, senhores. Tem que ser muito ingênuo ou mal intencionado para achar que o povo coreano, mais de 70 anos depois de passar por imensas dificuldades, uma guerra promovida pelos EUA com mais de 2 milhões de mortos, agressões inúmeras, sufocamento econômico e um programa nuclear alcançado à alto custo, irá se ajoelhar diante do imperialismo.

A situação aqui é exatamente o contrário.

As cúpulas entre os líderes da República Popular Democrática da Coreia e os Estados Unidos da América representam uma grande vitória para o socialismo coreano!

Afinal, o socialismo coreano, em 1953, forçou os EUA a assinarem um armistício admitindo que não conseguiam levar adiante a Guerra da Coreia e o mesmo socialismo coreano conseguiu suportar toda a carga de ataques pesados do imperialismo nos anos 1990.

Foi também o socialismo coreano, agora com a liderança de KIM JONG UN, que conseguiu fazer o homem que foi à ONU e jurou "destruir completamente a República Popular Democrática da Coreia" sentar na mesa de negociações de maneira civilizada e conversar de igual para igual com um país que tem o tamanho de Pernambuco e só 25 milhões de pessoas.

Em 2017 KIM JONG UN disse que iria "domar o cão bravo e ávido por guerra", em referência à Donald Trump.

Bom, parece que ele conseguiu, a imagem não deixa dúvidas.


Na foto, o tigre de papel observa um Líder de verdade.

Hanói, Vietnã, fevereiro de 2019.

---
Lucas Rubio - presidente do Centro de Estudos da Política Songun-Brasil, coordenador do Núcleo de Política Internacional da Tribuna da Imprensa Sindical