19.3.19

ESPORTE NO BRASIL?

WILSON DE CARVALHO -


Sobre a decisão do governador Wilson Witzel de suspender a concessão do estádio do Maracanã, parabéns. Mas acabei de ouvir no programa Francisco Barbosa, na Tupi, participantes da mesa aprovando até a construção de um hotel, citado pelo governo na retomada do estádio. Talvez por desconhecimento de um projeto de Sérgio Cabral, que incluía também um shopping. Para isso, iriam destruir o Parque Júlio Delamare, o estádio Célio de Barros, o Museu do Índio e uma escola-modelo. Para mais roubo.

Protestos da sociedade fizeram Cabral recuar. Para que hotel que anunciam agora, em área próxima, com a saída da concessionária? Seria a que foi cedida pelo Exército para estacionamento durante a Copa do Mundo, onde, para mim, deveria ser construída uma nova rodoviária? Com trens e metrô ao lado, no centro do Rio? Fica a ideia.

Para concluir: nem o próprio radialista Francisco Barbosa defendeu a valorização do Complexo Esportivo do Maracanã, hoje, abandonado.

Há quase dois meses, tentei ajudar, mandando mensagem para o governador, a fim de evitar o projeto Cabral-Odebrecht. E disse mais: a revalorização do Complexo ajudaria na redução da criminalidade e até na formação de campeões olímpicos. Em última análise, esporte para os jovens, uma das bases para a recuperação do nosso país. Pena, conforme ficou demonstrado no programa da Tupi, que, neste país, o esporte continua sendo esquecido.

Em tempo: no noticiário da TV, há poucos instantes, veio a informação de que o Parque dos Atletas, na Barra, ao custo de 47 milhões para as Olimpíadas, está abandonado e com quase todos os equipamentos e estruturas roubados. E sabem o que o prefeito Crivela fez: anunciou a entrega da área ao PREVI-RIO. Esporte? BRASIL!