25.3.19

LAVA JATO CAPOTOU COM A IDA DE MORO AO MINISTÉRIO DE BOLSONARO E A FUNDAÇÃO DALLAGNOL

EMANUEL CANCELLA -


A Lava Jato já perdeu seu encanto e mostra seu lado bandido à sociedade. Moro, mordido pela mosca azul do poder, aceitou o ministério de Bolsonaro.

Isso depois, de num ato de picaretagem máxima, prender Lula sem qualquer fundamento legal, num claro intuito de deixá-lo de fora da eleição e beneficiar Bolsonaro. Lembrando que, segundo o Ibope, Lula venceria a eleição no primeiro turno (7).

E não só Moro prendeu Lula como pessoalmente vazou, a 6 dias da eleição, para a mídia, a delação premiada de Antônio Palocci atacando o PT Lula e Dilma, mesmo essa delação já tendo sido rejeitada pelo MPF por falta de provas.

Com seu vazamento criminoso, Moro contrariou até um dos principais procuradores da Lava Jato, Carlos Fernando Lima (1).

Depois veio a história da bilionária Fundação da Lava Jato com dinheiro da Petrobrás.

Deltan Dallagnol, o procurador que denunciou Lula sem provas, mas com convicção, assim mais uma vez, agora com sua Fundação, caiu em descrédito e desta vez recebeu cartão vermelho da PGR e do STF (3,4).

Além da bilionária grana, a Fundação Dallagnol repassaria segredos industriais da Petrobrás aos EUA. As empresas ligadas ao petróleo, as americanas Haliburton e a Schlumberger, em 2013, foram denunciadas quando espionavam a Petrobrás, e agora, em 2019, a Fundação de Dallagnol queria legalizar a espionagem americana (2).

Depois o STF impôs outra derrota à Lava Jato quando tirou da Operação e passou à justiça eleitoral os julgamentos de caixa 2 (5).

Mas, na verdade, foi Moro, ex-chefe da Lava Jato, que desmoralizou a Operação, na questão do Caixa 2.

Primeiro Moro disse nos EUA que Caixa 2 é pior do que corrupção, depois diante do fato consumado de Caixa 2 de seu colega de ministério, Onyx Lorenzoni, o próprio Moro sentenciou: “Ele já admitiu e pediu desculpas “(6,8).

Em queda livre e para melhorar sua imagem, a Lava Jato então prendeu Michel Temer e Moreira Franco. Antes tarde do que nunca, porém a prisão de Moreira Franco, sogro do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi uma resposta de Moro, um dia depois aos insultos de Maia, que o espinafrou dizendo que o projeto anticrime de Moro é “Copia e cola” e que Moro não é presidente e sim funcionário de Bolsonaro (12).

E hoje, domingo, 24, a PF, chefiada por Moro, para mostrar poder , limita o contato de Lula com os advogados (9).

Enquanto a justiça se omite  a pressão por Lula livre cresce nas ruas. Lula já recebeu a visita de juízes e procuradores (10) e em fevereiro de 2019, vários atos em defesa de Lula foram realizados em todo o Brasil (10).

Como, segundo a Constituição Federal "Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido". O povo começar a exigir nas ruas Lula livre!

Fonte: