3.3.19

LULA: QUASE 1 ANO NA PRISÃO, QUASE 1 DIA EM LIBERDADE

HELIO FERNANDES

O ex-presidente Lula retorna para a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR), após participar do velório de seu neto, Arthur Lula da Silva - 02/03/2019 (Ricardo Stuckert Filho/Instituto Lula/Reuters)
Iam repetindo a leviandade, parcialidade, inconstitucionalidade, acontecida quando morreu o irmão do ex-presidente. Armaram deliberada confusão, e quando chegou à decisão final, o enterro já havia terminado. Então, como "compensação", o presidente do STF, Dias Toffoli, determinou que o ex-presidente se encontrasse com familiares, num quartel. Inacreditável, lógico, Lula recusou.

Agora, os advogados entraram com pedido de autorização para ir ao enterro de um neto. (De apenas 7 anos, paixão do ex-presidente, lindo, lindo, atingido por meningite. Quando Lula foi preso, estava com o neto no colo, foi afastado violentamente pelos irresponsáveis que executavam a operação).

A defesa foi atendida nas varias instancias, mas espantosamente negado em duas, sendo que numa, concediam, mas queriam que fosse algemado. A decisão positiva surgiu da administração, que liberou até avião para leva-lo até SP, e lá, helicóptero, que o transportou até o velório. Na volta, o mesmo esquema.

Os derrotados, cheios de ódio, entraram com recurso no STF. O mesmo Dias Toffoli, imediatamente recusou tudo, e ratificou o que estava decidido.

Não houve manifestação, apesar da presença de grandes personalidades, e multidão de amigos e correligionários. Só um discurso emocionante e emocionado, da extraordinária figura de Eduardo Suplicy. Varias vezes senador, de grandeza insuperável.

O carnaval de Lula, (não de festa, mas de sofrimento) começou ás 7 da manhã, quando saiu de Curitiba, terminou ás 4 da tarde, quando voltou. Por decisão dele mesmo.

PS- Não quis aproveitar seu tempo, ás 15 para ás 4, estava na carceragem.