18.3.19

“MORTE AOS RICOS”! CALMA, POR ENQUANTO É SÓ NA FRANÇA!

EMANUEL CANCELLA -


Morte aos ricos! É a palavra de ordem dos Coletes Amarelos na França. Eles quebraram restaurantes dos ricos e famosos e têm apoio de mais de 70% dos franceses.

As políticas neoliberais aplicadas na França pelos ex-presidentes Nicolas Sarkozy e François Hollande, mas principalmente pelo atual, Macron, resultaram em um congelamento de salários e aposentadorias por dez anos (1).

No Brasil, Temer congelou salários, investimentos em saúde, educação, segurança, infraestrutura, etc, por 20 anos, pela PEC da Morte (6). Bolsonaro, além de ter votado com Temer nessa PEC, ainda continua com o mesmo congelamento.

Bolsonaro mata os pobres e esfola os ricos.

- Os donos do agronegócio, que bancaram a campanha de Bolsonaro,  estão perdendo muito com a política externa de arrasa-quarteirão do governo. Árabes, russos e chineses já estão dando o “bye bye” ao Brasi,l nos negócios (3,4,5). Quem ganha com isso é principalmente os EUA e a China, nossos principais concorrentes no agronegócio. Ainda mais que o governo Bolsonaro conta com sua ministra “Menina Veneno”, liberando mais de um agrotóxico por dia, o que vai matar os brasileiros e nosso comércio exterior (3,4,5).

- Cidade de Ponta Grossa no Paraná, que deu 74% dos votos a Bolsonaro, perde 75% dos médicos (6).

- Dos 27 estados brasileiros 18 estão estão com as contas no vermelho, uma bomba de efeito retardado (11). Com o desastre ambiental de Brumadinho, por exemplo, descobrimos que os heroicos bombeiros  daquele cidade estão com o salários atrasados e parcelados (7).

Além de Bolsonaro também ter votado na reforma trabalhista de Temer, que retirou direitos dos trabalhadores contidos na CLT, do recorde de demissões de trabalhadores, vem aí o fim das aposentadorias com a reforma da Previdência de Bolsonaro, aos moldes com a do Chile (6). Com o arroxo  das aposentadorias no Chile, os aposentados são recordistas em suicídio na América Latina (8).

E Bolsonaro não só contraria pobres e ricos, ele também briga dentro do governo com o vice, Mourão, e agora com seu apoiador, o deputado Alexandre Frota, persona non grata por defender a prisão do Queiroz (10)!

Fonte: