21.3.19

POESIA - DESAMORAGEM; PÁGINAS

MARCELO MÁRIO DE MELO -


Desamoragem.

A saudade
resseca a lágrima
no cristal dos olhos
morto-vivos.

A nuvem cinza
se cola à pele da vigília
e atrela treva
à polpa do sonho.

O peso do corpo
se elefantiza
enterrando os pés
na inércia movediça.

Os maxilares
trituram
os dentes da lembrança
mastigando os lábios.

A janela sem paisagem
o prato vazio na mesa
a cratera na cama
o pão do amor ausente.

---
PÁGINAS

Página virada
pode ser revisitada
às vezes
com parágrafos sublinhados.

Página arrancada
sem ser tocada
por olho e mão
retém um poder de permanência
pulsando amputação
nas encadernações da mente.