18.3.19

POLÍCIA INVESTIGA INFORMANTE DENTRO DA CÂMARA, NA FASE DOIS SOBRE MARIELLE

REDAÇÃO -


A fase dois da investigação sobre a morte de Marielle Franco e Anderson Gomes vai investigar se um informante de dentro da Câmara Municipal revelou o itinerário da vereadora a terceiros. O relatório do inquérito da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital mostra que, 13 dias antes da execução, um dos acusados, o sargento reformado da PM Ronnie Lessa, começou a buscar endereços listados na agenda da parlamentar.

A reportagem do jornal O Globoinforma que "a desconfiança se estende até 14 de março de 2018, data da execução, quando parece ficar ainda mais forte a suspeita de que os assassinos tiveram informações privilegiadas sobre os horários de Marielle, da saída do plenário do Palácio Pedro Ernesto até sua chegada à Casa das Pretas, no Centro, para o debate 'Jovens negras movendo estruturas'."

A matéria ainda destaca que "para a polícia, Lessa, suspeito de ter sido o atirador, e o ex-PM Élcio Queiroz, acusado de dirigir o Cobalt prata usado no atentado à vereadora, sabiam que Marielle estava atrasada para o evento da ONG, que fica na Rua dos Inválidos. Ela se atrasou, e seu carro, um Agile, só saiu da Câmara às 18h39m. Acabou chegando ao local às 19h, bem depois do horário marcado para o debate: 18h."

Fonte: 247