2.3.19

TEATRO RIVAL PETROBRAS COMEMORA 85 ANOS COM SUA MARCA DE DIVERSIDADE E RESISTÊNCIA CULTURAL

REDAÇÃO -

A atração de aniversário é Alcione em dose dupla, mas o mês de março tem de tudo: MPB, samba, rock, blues, pagode, música cigana, baile de carnaval, concurso de drag queens e tributos.


O mês de aniversário do Teatro Rival Petrobras começa em clima de carnaval com a Festa ReBEARllion – Baile dos Ursos, na terça-feira, dia 5, a partir das 23h. É a programação de março encerrando a folia carioca! E como tudo no Rival é democrático e sem preconceito, todas as tribos estão convidadas. A recepção fica por conta da incrível Miami Pink Drag, que volta com tudo para a comunidade ursina arrasando com muito confete, serpentina e purpurina. Sob o comando do VJ Glaucio (TV BEAR e Telemusic) e do DJ Juno (Festa RABA e Queens – o concurso), o baile vai ter muita marchinha de carnaval, música brasileira e os clássicos pop, dance e funk. É fogo que só se acaba ao amanhecer da Quarta-Feira de Cinzas.

Fim do carnaval, na sexta-feira, dia 8, comemorando o Dia Internacional da Mulher, a pedida é jogar confete na diva do samba-jazz brasileiro Leny Andrade e do maestro Gilson Peranzzetta, considerado um dos cinco maiores arranjadores do mundo por ninguém menos do que o aclamado Quincy Jones. A interpretação de Leny e o piano e arranjos de Peranzzetta dão nova roupagem a clássicos da nossa música, como “Saigon”, “Céu e mar”, “O sol nascerá” e “Dindi”. É show suingado e refinadíssimo, bem no padrão Rival 85 anos!

No dia seguinte, dia 9, quem já estiver com saudade do carnaval tem programa certo. É o show “O samba que vem do morro”, do grupo Glória ao Samba, que nasceu com a intenção de cantar sambas de antigos compositores e vem se destacando, nos últimos dez anos, no trabalho de pesquisa, preservação e divulgação desses nomes, contribuindo para que uma grande quantidade de material inédito e desconhecido chegue ao grande público. Como o espetáculo vai homenagear Império Serrano e Acadêmicos do Salgueiro, o repertório vai ter pérolas de mestres dessas duas grandes escolas, como Silas de Oliveira, Mano Décio, Antônio Fuleiro, Anesacarzinho, Noel Rosa de Oliveira e Geraldo Babão. E ainda vai contar com participações especiais das pastoras Roxinha do Salgueiro, Dona Leda do Império Serrano e Alice Vazques. É samba de raiz que fala!