16.3.19

VAMOS ATENDER AO APELO DE BOLSONARO E PAULO GUEDES: FAÇAM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA PARA AJUDAR OS BANQUEIROS!

EMANUEL CANCELLA -

A farsa chamada "deficit da Previdência" (10).


No Chile, 80% dos aposentados agora recebem menos de um salário mínimo, mas ganharam o título da mais alta taxa de suicídios na América Latina (9).

E Paulo Guedes estava lá (7), fazendo a reforma da Previdência no Chile! Se os trabalhadores perderam lá, os banqueiros ganharam, e muito, inclusive o banco BG Pactual, de Paulo Guedes.

E tem mais. O ministro da Economia de Bolsonaro, Paulo Guedes, é réu em ação que deu um rombo de R$ 1 BI de reais nos fundos de pensão das estatais, entre eles a Petros (4). Silêncio da Lava Jato!

Entretanto a Lava Jato prendeu ex-presidente da Petros, políticos ligados ao PT e executivos da empreiteira, por conta de um possível superfaturamento na obra da sede da Petrobrás, na Bahia, com dinheiro da Petros. Uma procuradora da Lava Jato chegou a declarar que era lamentável que o dinheiro que deveria garantir a aposentadoria dos petroleiros estava sendo desviado (5).

Então, enquanto a Lava Jato que prendeu cerca de 22 pessoas no escândalo do superfaturamento  na construção da sede da Petrobrás, na Bahia, cala- se criminosamente, não somente com Paulo Guedes mas também com o tucano Pedro lalau Parente.

Isso porque permitiu que Lalau assumisse a presidência da Petrobrás, mesmo já sendo réu em ação que resultou num rombo de R$ 5 BI  na Petrobrás em 2001. E Pedro Lalau voltou em 2016 não foi para limpar seu nome (6), mas para chafurdar ainda mais, sempre contando com o silêncio da Lava Jato:

- A direção da Petrobrás pagou R$ 2 BI de um empréstimo ao banco JP Morgan, que só venceria em 2022, e Pedro lalau é sócio do banco (1).

- Pedro lalau “vendeu” o campo gigante de Carcará do pré-sal ao valor de um refrigerante o barril (2).

-  Pedro Lalau também “vendeu” a petroquímica de Suape ao preço de 5 dias de faturamento (3).

Assim Pedro Parente e Paulo Guedes dão rombo na Petrobrás e quem está pagando são os funcionários, ativos e aposentados, com 13% de seus salários por 18 anos, que estão sendo descontados no contracheque.

Na reforma da Previdência, se os trabalhadores só têm a perder, os banqueiros só tem a ganhar por conta da criação de um fundo de capitalização privado junto aos bancos. E os banqueiros privados vão monopolizar o mercado das aposentadorias complementares, considerando a queda do teto das aposentadorias da previdência pública, aos moldes do Chile!

Fonte: