5.3.19

WWF É ACUSADA DE FINANCIAR PARAMILITARES QUE MATAM E TORTURAM PESSOAS

REDAÇÃO -

A World Wild Fund for Nature (WWF), uma das principais organizações não-governamentais de conservação da natureza, é acusada de financiar grupos paramilitares que torturam e matam habitantes locais, em países africanos e asiáticos, em nome da protecção da vida selvagem. Agora, a WWF garante que vai abrir uma investigação independente para analisar as acusações.


A notícia foi apurada e publicada, nesta segunda-feira, pelo jornal digital norte-americano BuzzFeed que, depois de levar a cabo uma investigação em parceria com o jornal nepalês The Kathmandu Post, acusa a World Wide Fund for Nature de apoiar forças paramilitares que alegadamente matam e torturam pessoas para combater a caça furtiva, e de encobrir os alegados crimes.

São vários os casos e as pessoas ouvidas pelo BuzzFeed que acusam a ONG de estar em envolvida em crimes de assassinato e abuso de poder. Um dos quais é revelado por Hira Chaudhary, mulher do agricultor Shikharam Chaudhary ​que terá sido detido e torturado, em 2006, por guardas florestais numa prisão junto ao parque nacional de Chitwan, no Nepal, acabando por morrer. “Eles espancaram-no impiedosamente e puseram-lhe água salgada no nariz e na boca”, contou Hira Chaudhary à polícia, segundo o BuzzFeed.

Os guardas acreditariam que Shikharam tinha ajudado o filho a esconder um chifre de rinoceronte no quintal da sua casa e, apesar de não terem encontrado provas, prenderam o agricultor que, nove dias depois, morreu. A autópsia revelou sete costelas partidas e hematomas em todo o corpo, com sete testemunhas a confirmarem que o nepalês tinha sido torturado até à morte.

À data, três funcionários do parque nacional de Chitwan foram detidos e acusados de homicídio. Mas avança o BuzzFeed que a WWF no Nepal, que há muito ajuda a financiar a equipa de guardas florestais e soldados que patrulham aquela área, rapidamente entrou em acção e fez lobbying para que os guardas não fossem a julgamento. O caso foi encerrado meses mais tarde, com a ONG a considerar que esta tinha sido uma vitória na luta contra a caça furtiva, chegando mesmo a contratar um dos suspeitos.

Mas este não terá sido caso único, avança o BuzzFeed, que o considera “parte de um padrão que persiste até aos dias de hoje”, com a WWF a ser acusada de financiar e de fornecer material (incluindo equipamentos de alta tecnologia e armas), formação e salários a grupos militares na África e Ásia suspeitos de torturarem, espancarem, agredirem sexualmente e assassinarem várias pessoas de comunidades indígenas. (…)

Fonte: Publico.pt