12.4.19

A PAUSA

MARCELO MÁRIO DE MELO -


Pausa é gravidez de voo
respirar tomar o pulso
realinhar recompor
animar um novo impulso
reter a irrupção
do ato insano e avulso.

A pausa é necessária
nas ambulações da vida
para levantar o brinde
cuidar de uma ferida
realimentar o sonho
seguir a trilha escolhida.

Passo a passo pausa a pausa
é assim que se semeia
parando para pensar
tirando pedra de areia
na sintonia dos ciclos
lua nova/lua cheia.

Quem não faz pausa desanda
atropela e descarrila
sucumbe no turbilhão
não filtra e não destila
antes de colher o fruto
a flor expõe e aniquila.

---
Marcelo Mário de Melo é poeta, escritor, jornalista, intelectual pernambucano, ativista político. Nasceu em Caruaru, foi para o Recife com nove anos de idade. Integrou-se ao PCB aos 17 anos, foi fundador do PCBR em 1968, atuou na clandestinidade, teve a prisão preventiva decretada em 1970, foi preso político em Pernambuco de março de 1971 a abril de 1979. Filiou-se ao PT em 1980, desfiliou-se em 1990 e reintegrou-se em 1994, sem ter se ligado a nenhum outro partido no intervalo, “o que equivale a um segundo casamento com a mesma mulher”, como ele mesmo costuma dizer. Escreve principalmente poemas, histórias infantis, mini-contos e textos de humor.