10.4.19

POR QUE 80 TIROS CONTRA O MÚSICO?

EMANUEL CANCELLA -


Revoltante a morte do músico Evaldo Rosa dos Santos, de 51 anos.

Foram oitenta tiros dados contra o carro do músico com seus familiares. (1)

Não sou do ramo, mas creio que se Evaldo ultrapassou uma blitz poderia, no limite, ser dado um ou dois tiros no pneu do carro, para obrigá-lo a parar.

O mais sensato seria algum veículo segui-lo e fazê-lo parar.

Mas nada justifica 80 tiros na direção dos ocupantes. As forças armadas gozam de respeito e admiração da sociedade e esse tipo de atitude mancha a imagem da instituição.

Não quero crer que essa seja a orientação do comando militar, mas se for está na hora de mudar. As forças armadas não podem encarar a sociedade civil como inimigo. Não estamos em guerra!

Lamentavelmente temos o presidente Bolsonaro que estimula a violência, pois várias vezes falou em fuzilar milhares de pessoas. Também usou na campanha, e continua usando, o gesto de arma em punho (2,3).

Pelo menos dois governadores, o do Rio, Wilson Witzel e João Doria de São Paulo, fazem apologia à violência e são aliados de Bolsonaro.

Doria diz que policiais que agiram em Guararema 'estão de parabéns' por colocar bandidos 'no cemitério'. Ao todo 11 suspeitos foram mortos em confronto com a polícia (4).

E o governador do Rio Wilson Witzel quando candidato participou do ato onde rasgaram a placa de Rua com o nome de Marielle Franco vereadora do Psol do Rio. Marielle e seu motorista,  Anderson Gomes foram assassinados covardemente, dois ex PM’s estão presos pelos assassinatos (5,6).

O Congresso Nacional, o ministério da Justiça e o MP precisam fazer um debate sobre a violência e, se preciso, vamos fazer um novo plebiscito. Embora Bolsonaro tenha liberado a venda de armas, 64% da sociedade brasileira votou em plebiscito pelo desarmamento (7).

O Brasil precisa de crescimento, empregos, segurança e paz.

Abaixo a violência!

Fonte: