20.5.19

A CHINA SE DESTACA NA GEOPOLÍTICA COM A GIGANTESCA ROTA DA SEDA

ANDRÉ MOREAU -


Quando o grande filósofo Kung-fu-tzu é revisitado por um grande escritor, os leitores ganham. "Todos nós já ouvimos falar na antiqüíssima sabedoria chinesa, em Confúcio e demais sábios orientais, que abriram para o seu mundo uma nova porta em que o ser humano se apresenta sob um angulo inédito. (...)” O “(...) livro de Antonio Olinto que tem como tema a sabedoria chinesa, da qual a figura maior foi esse homem” (Kung-fu-tzu), “que na nossa língua de bárbaros, chamamos simplesmente Confúcio. Esse mergulho no mundo para nós fechado, da espiritualidade oriental, nos aproxima de figuras quase mitológicas - sua filosofia, seus conceitos de ética e moral." (orelha do livro “Confúcio - O Caminho do Meio”)

As razões do pré-conceito

Mao Zédong (1893-1976) - Mao Tsé-Tung, fundador do Partido Comunista da China, construiu sólidas bases objetivando aprimorar o caminho do meio, ensinado por Kung-fu-tzu (551 a.C. - 479 a.C.) – conhecido no Ocidente como Confúcio. Atento às fundações de bem estar mental e físico para todos os cidadãos, Mao Zédong elevou a soberania da República Popular da China (fundada em 1/10/1949), ao grau alcançado hoje, como são feitas as grandes obras. As dimensões dessa gigantesca construção já poderiam ter sido admitidas por líderes de países do Ocidente há décadas, se não fossem os perturbadores planos de enriquecimento baseados na especulação, no aumento da usurpação e exploração do cidadão baseado em disputas, que os atormentam.

Por que a sabedoria da China é tabu no Ocidente?

A idéia de bem estar social que fundamenta a cultura chinesa, cumpre destacar, vem sendo gerada de forma ininterrupta ao longo dos séculos, apesar de ser tratada como tabu por todos os colonizadores do Ocidente, divididos por fronteiras e rivalidades. A enorme gama de conhecimentos milenares, foi difundida em boa parte através da antiga rota da seda: técnicas da medicina tradicional chinesa que tem cerca de cinco mil anos e se define como um “completo sistema medicinal que possui um entendimento profundo das leis e padrões na natureza e o aplica no corpo humano” através do qual é possível corrigir a forma da energia dos corpos, visando diminuir tensões; a cura de infecções através dos exercícios de respiração, dentre outros tratamentos médicos de prevenção criados três mil anos antes do surgimento da religião católica, despertou o interesse dos povos distantes.

O uso da Doutrina Monroe em tempos de usurpações de direitos na velocidade da tecnologia informática

O nível de ignorância no trato da expansão dos negócios de que trato neste artigo, foi recentemente demonstrado com a propaganda de “ajuda humanitária” promovida por agências que servem aos interesses do governo dos Estados Unidos da América, falsificando a presença da Cruz Vermelha, omitindo o plano de usurpar a maior reserva de petróleo do planeta, situada na bacia de Orinoco (296,5 bilhões de barris), dentre outras riquezas naturais geridas democraticamente na República Bolivariana da Venezuela. O afoito avanço, expôs a real aplicação da Doutrina Monroe: submeter países da América Latina ao esquema de enriquecimento de 1% dos elementos mais ricos do planeta, oriundos da elite estadunidenses.

Portos seguros da Nova Rota da Seda, o maior conjunto de obras da história da humanidade

Os portos são considerados por todos os povos evoluídos como as maiores salas de negócio das diferentes regiões do planeta. Espaços que permitem a rápida expansão de cidades, porque diferentes produtos são negociados, a preços de custo. Funcionando como artérias de um grande corpo, os modais de transporte marítimo e ferroviário, oxigenam essas grandes salas, por isso as transações feitas, são as mais baratas do mundo. Além de possibilitar o desenvolvimento dos meios de produção através de modalidades de negócios que compreendem diferentes classes sociais, a expansão da Nova Rota da Seda promovida pelo governo chinês, sob a condução do Secretário-Geral do Partido Comunista da China e Presidente República Popular da China, Xi Jinping, difunde a importância dos portos, amplia a difusão de costumes das diferentes culturas, com eficácia; reduz as tensões, promove o respeito entre os povos e conseqüentemente cria novos laços de amizade.

Xi Jinping segue o caminho do meio impulsionando a Nova Rota da Seda

Nos eventos internacionais, Xi Jinping lembra que embora a China esteja vivendo um momento de leve desaceleração do crescimento, a economia chinesa contribui com mais de 30% para o desenvolvimento econômico mundial. Trata-se de uma gigantesca força motriz, para todos, baseada na educação, no trabalho, na saúde e no respeito aos povos, medidas que asseguram a cada dia que passa a ampliação do novo e robusto sistema econômico aberto.

*André Moreau, é jornalista, Diretor do IDEA - programa de TV Unitevê UFF e Coordenador da Chapa Villa-Lobos, impedida arbitrariamente de concorrer nas eleições da ABI, em 2016 e em 2019