30.5.19

NO DIA LIVRE DE IMPOSTOS, OS BANQUEIROS AGRADECEM A BOLSONARO E GUEDES PELA REFORMA DA PREVIDÊNCIA

EMANUEL CANCELLA -


Hoje, 30 de maio, é chamado de o dia livre de impostos. O imposto é fundamental para qualquer país, pois são eles que sustentam a máquina pública, principalmente a saúde, educação e segurança.

Dizem que o Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do planeta, principalmente considerando o retorno pífio desses impostos.

É bom lembrar que, com a derrubada da presidenta Dilma, a entrada Temer e depois de Bolsonaro, os preços dos combustíveis aumentaram assustadoramente.

Os governos de Lula e Dilma seguravam os preços dos combustíveis principalmente para favorecer os consumidores brasileiros e segurar a inflação, pois diziam o Brasil possui os combustíveis mais caros do mundo, principalmente a gasolina, fazendo assim pressão para desqualificar o governo.

Os caminhoneiros fecharam estradas com faixas do Fora Dilma! Muito se falou que o movimento era locaute ou greve dos patrões, ou seja, não era um movimento de trabalhadores.

E a história realmente mostrou que os caminhoneiros não estavam a serviço dos trabalhadores e sim dos patrões, provavelmente dos golpistas, pois hoje os combustíveis aumentam toda semana e nada de fechamento de estradas pelos caminhoneiros. Creio que os pelegos caminhoneiros são os ligados às grandes transportadoras, o que nada tem a ver com os avulsos.

E se tem uma coisa que a Petrobrás não tem culpa é pelo preço exagerado da gasolina, já que as distribuidoras pegam a gasolina na refinaria por cerca de R$ 2 e a mesma gasolina é vendida nos postos a cerca de R$ 4, a diferença do preço da refinaria aos postos é de impostos e as altas taxas de lucro dos postos de gasolina.

Do mesmo jeito que os caminhoneiros fecharam estradas para derrubar Dilma por conta principalmente dos preços dos combustíveis, hoje se calam!

Saibam que os grandes alarmistas dos altos impostos praticados no Brasil são justamente os grandes empresários, que também são os principais sonegadores. Tanto que o Impostômetro, que mostra quanto de impostos pagamos a União, Estados e Municípios, foi criado pela Associação Comercial de São Paulo (1,2).

A maioria dos grandes comerciantes coloca toda a carga tributária no preço final do produto, além da sua margem de lucro.

Ou seja, quanto menor o salário da família, maior a carga tributária, pois a ampla maioria dos brasileiros ganha quando muito para comer e deixa nos supermercados seus salários e pagando, no preço final dos produtos a carga dos impostos dos patrões.

Se o trabalhador é quem mais paga imposto, trago aqui o agradecimento dos banqueiros. Além de ficarem com cerca da metade do orçamento da União a titulo de pagamento de juros da divida. São eles que proporcionalmente os que pagam menos. Além de uma série de isenções, brechas legais, saques mais caros do mundo nos caixas eletrônicos e juros astronômicos nos cheques especiais, veio a público agora que a sobra de caixa dos bancos são integralmente remunerados diariamente pelo Banco Central.

Sabe aquele dinheiro que dorme na nossa carteira, se você fosse banqueiro no dia seguinte você teria mais dinheiro. Dizem que em um ano a remuneração dessa sobra de caixa de todos os bancos passa de um trilhão.

E aí os banqueiros, neste dia livre de impostos, mandam os sinceros agradecimentos ao presidente Bolsonaro e ao ministro Paulo Guedes. Isso porque depois de todos esses privilégios ainda vão abocanhar o dinheiro da reforma da Previdência. Pois se nela o governo diz que quer “economizar” mais de um trilhão de reais, ele esconde que a maioria desse dinheiro irá para os banqueiros e grande parte dele livre de impostos!

Fonte: