21.5.19

O SUPOSTO DONO DO MUNDO AVANÇA COM ATAQUES GENOCIDAS

ANDRÉ MOREAU -


O governo da Rússia está atento à “escalada de tensão” contra o Irã. De acordo com especialistas, os recentes conflitos no Oriente Médio foram provocados por Washington, que sob a alegação de uma “ameaça iminente” do governo de Teerã, determinou através de membros do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América, na última quarta-feira (15), que parte dos seus funcionários deixassem a embaixada no Iraque.

Em um ano a economia do Irã caiu 3,9 %

“Enquanto o Irã dava sua resposta declarando que se retiraria, no dia seguinte, todos ouviram, que o responsável por esse colapso foi os EUA e se imputará toda a culpa ao Irã” (presidente da Federação Russa, Vladimir Putin - 8/5/2019)

A afirmação do presidente Putin nos remete ao suposto ataque químico na Síria, que justificou o bombardeio por parte da França e Reino Unido, liderados pelos EUA, em 14 de abril de 2018. Os referidos ataques, geraram diferentes opiniões por parte de peritos da OPAQ. Há indícios que levam a crer que a bomba a base de cloro, teria sido colocada manualmente, no local.

A tensão de que tratamos, voltou a ser promovida pelos meios de Comunicação conservadores, em meio ao Grande Desfile Militar da Vitória da II Guerra Mundial, festejado desde 1945 na Rússia, que funciona como uma aula a céu aberto, de ética, soberania e democracia. Nessas comemorações, o 74º aniversário do último dia 9 de maio, contou com a participação direta de 13.000 militares e ex-combatentes que carregavam em suas expressões a verve dos militares que serviram na União Soviética e protagonizaram aquela vitória histórica.

A data foi novamente marcada por reminiscências de parentes dos vinte sete milhões de militares mortos pelos alemães nazistas. Os audiovisuais foram transmitidos em capítulos da série do Canal RT - Russia Today, O Grande Desfile Militar da Vitória da II Guerra Mundial, que remontam sob outro ângulo o obstinado papel desses patriotas nos sangrentos combates de Berlim que colocaram por terra a Alemanha nazista de Adolph Hitler.

Voltando à nova onda de denúncias divulgadas através da agência Riad de Tóquio, além da guerra econômica contra a China, ao se tratar dos atos de sabotagens contra três petroleiros e cargueiro no Golfo, assim como os ataques a estações de bombeamento na Arábia Saudita, que supostamente teriam sido reivindicados pelos rebeldes huthis do Iêmen, apoiados pelo Irã, é preciso ter cautela e levar em conta os planos do presidente Donad Trump, de promover guerras para impedir o desenvolvimento de países do Oriente e aumentar o faturamento das indústrias de armas e de suas petroleiras.

O que sobra para o público brasileiro que não tem acesso a grande rede, ao contrário dos audiovisuais educativos do Canal RT - Russia Today, é assistir a soberania nacional ser colocada de joelhos diante da Casa Branca, prevendo que os militares sirvam, novamente, como força tarefa dos Estados Unidos da América e para piorar o quadro, alinhados a Israel e Arábia Saudita ou desligar os televisores.

*André Moreau, é jornalista, Diretor do IDEA - programa de TV Unitevê UFF e Coordenador da Chapa Villa-Lobos, impedida arbitrariamente de concorrer nas eleições da ABI, em 2016