30.5.19

OS CHEFES DOS TRÊS PODERES COORDENAM PACTO INCONSTITUCIONAL

HELIO FERNANDES -


Alem do mais, desnecessário, chamado de revolucionário, segundo os que prometem assinar até 10 de junho. O Executivo e o Legislativo têm um relacionamento permanente, se completam e se conjugam obrigatoriamente. É um desperdício de tempo e de competência, no sistema democrático o Executivo e o Legislativo dependem um do outro.

Absurdo, surpreendente e incompreensível: que o Judiciário, representado pelo STF, seja signatário desse suposto "pacto republicano". O judiciário terá que julgar os recursos e as consequências da participação ou da omissão dos outros Poderes. (Que serão dezenas ou centenas).

Inacreditável que a "ideia" ou "sugestão" dessa violência constitucional, tenha como patrocinador o senhor Dias Toffoli, presidente do mais importante tribunal do país. O Judiciário não pode assinar acordos ou pactos, comprometendo ou abrindo mão da sua respeitabilidade e responsabilidade.

PS- Podem ficar tranquilos, esse pacto será desmoronado bem antes de ser assinado.

MORO PERDIDO NA INCOMPETÊNCIA

Sem saber o que fazer, desperdiçou o tempo e as oportunidades. Adorou a citação na manifestação de domingo, falou com amigos, textual: "Acho que foi o presidente que orientou para não me esquecerem. Tenho que agradecer a ele, pessoalmente".

Depois do desgaste verbal, soube do massacre das penitenciarias do Amazonas, o desgaste ministerial. "Agiu" ou "reagiu" como ministro, "transferiu" os assassinos. E deu por cumprida sua participação.

O FUNDO XP ESTRAÇALHA O PRESTIGIO DE BOLSONARO, PRINCIPALMENTE ENTRE INVESTIDORES

É hoje um dos Fundos mais procurados e respeitados. O numero de clientes aumenta  com assiduidade. Motivos mais relevantes: competência e respeitabilidade. O XP avança em vários setores, agora com repercussão em matéria de pesquisa.

Fez uma, (não sei se será publicada) para avaliar a aprovação de Bolsonaro entre investidores tradicionais. Já foi referendado por 47% desses investidores.

Agora caiu para 14%. Nenhuma surpresa.

No mercado, muita gente acha estranho, o fato de IBOPE e Datafolha, ficarem tanto tempo sem avaliarem Bolsonaro, pessoalmente, e o governo (desgoverno) coletivamente.