23.5.19

SÉRGIO MORO, UM ANÃO MORAL, A SERVIÇO DA ENTREGA DA PETROBRÁS

EMANUEL CANCELLA -

Não deixe de ver e divulgar o filme feito pelos petroleiros: “O petróleo tem que ser nosso – Última fronteira” (13)


O juiz Sérgio Moro que comandou a Lava Jato é um anão moral, que me perdoem os anões.

Moro prendeu Lula, na véspera da eleição, sem qualquer prova, num claro intuito de favorecer o candidato Bolsonaro, e, para não deixar dúvida de sua imoralidade, virou ministro da Justiça (12).O Ibope dizia que Lula ganharia a eleição em primeiro turno (2).

Moro, pessoalmente, para garantir a vitória de Bolsonaro e criminosamente massacrar Lula, Dilma e o PT vazou para mídia, a 6 dias da eleição, uma delação premiada do ex-ministro de Lula, Antônio Palocci. E essa delação estava rejeitada pelo MPF por falta de provas (1).

O juiz Sérgio Moro, pelas suas práticas criminosas, inspirou-me a escrever o livro A Outra Face de Sérgio Moro – Acobertando os Tucanos e Entregando a Petrobrás. E Moro, para me intimidar, intimou-me,  acusando-me de “possíveis ofensas ao funcionário público”, às vésperas do lançamento do livro, mas o livro saiu (4).

Moro também chefiou a investigação do Banestado, que segundo o ex-governador do Paraná, Roberto Requião:

"Banestado, a mãe de todos os escândalos brasileiros”, o maior roubo aos cofres públicos, não foi o Mensalão nem o Petrolão foi o do Banestado que tungou dos cofres públicos, meio trilhão de reais. Um escândalo exclusivamente tucano e nenhum deles foi preso (3).

Até “conquistar” o cargo de ministro de Bolsonaro,  Moro foi chefe da Lava Jato, onde a blindagem dos tucanos continuou: o ex-governador tucano, Aécio Neves, recordista em delação na Lava Jato continua livre, leve, solto e nunca teve vazamento de delação para mídia e, como deboche, ainda cobra arrependimento de Lula (5).

E nada aconteceu com os tucano FHC e Pedro Parente, envolvidos em várias picaretagens na Petrobrás, que me levaram, enquanto petroleiro e sindicalista, a denunciar ao MPF a omissão da Lava Jato em novembro de 2016, até hoje sem resposta. Veja a denúncia na íntegra (6).

A Lava Jato, queimando a imagem da Empresa somente para entregá-la mais fácil, mas dizendo combater a corrupção, passou 5 anos diariamente falando mal da Petrobrás para a mídia, principalmente a Globo.

Já FHC com apoio da Globo tentou sem sucesso privatizar a Petrobrás. A Globo, com várias chamadas diárias em sua rede, comparava a Petrobrás a um paquiderme e chamava os petroleiros de marajás.

FHC que não conseguiu privatizar a Petrobrás como um todo, chegou a dividir a Petrobrás em Unidades de Negócios. FHC só conseguiu vender 30% da Refap para Repsol, que depois o ex-presidente Lula recomprou (11).

Agora Bolsonaro, que ameaçou fuzilar FHC por vender as estatais e entregar nosso petróleo, anuncia a venda de metade das refinarias, da BR distribuidora e a Cessão Onerosa do pré-sal (7,8,9,10). Será que Bolsonaro vai conseguir o que FHC não conseguiu?

Fonte: