4.6.19

ÁUDIOS APONTAM REPASSES DE R$ 1,8 MILHÃO A PAULINHO DA FORÇA

REDAÇÃO -

Conversas de Skype registradas pela transportadora de valores usada pela Odebrecht para efetuar pagamentos ilícitos em São Paulo indicam quatro entregas de dinheiro que totalizam R$ 1,8 milhão para o chefe de gabinete do deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP), o Paulinho da Força. De acordo com as mensagens, os repasses foram feitos entre agosto e setembro de 2014 para Marcelo de Lima Cavalcanti na sede da Força Sindical, presidida por Paulinho até 2018. Deputado federal pelo quarto mandato, Paulinho é alvo de ao menos outros dois inquéritos no STF.


Um ex-funcionário da Transnacional, empresa contratada pelo doleiro Álvaro José Novis para fazer entregas de dinheiro a serviço da Odebrecht, foi quem entregou o áudios à Polícia Federal. O teor das mensagens foi obtido pelo jornal O Estado de S.Paulo.

As mensagens apontam três pagamentos de R$ 500 mil com as senhas "ford", "volkswagen" e "chevrolet" e um de R$ 300 mil com a palavra-chave "pandeiro".

A soma dos valores apontados no arquivo é quase o dobro do que a empreiteira afirmou ter pago a Paulinho em 2014 no acordo de colaboração firmado com o Ministério Público Federal (MPF). Em depoimento prestado em dezembro de 2016, Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, afirmou que, durante encontro em um café próximo ao prédio da Força Sindical, o deputado pediu doação em caixa 2 para a campanha dele à reeleição. "Acertamos R$ 1 milhão de contribuição".

O advogado Eduardo Toledo, que defende Paulinho da Força, afirmou que ainda não teve acesso às conversas de Skype nem áudio relacionado ao deputado, mas que ele "tem dito que não recebeu doação ilegal para campanha eleitoral e nenhum outro recurso ilegal da Odebrecht". Segundo Toledo, a Odebrecht "tem tido sérias dificuldades de comprovar fatos que ela delatou".

Fonte: 247