6.6.19

FILHOS DO NEOLIBERALISMO

JOSÉ CARLOS DE ASSIS -


A família de Planaltina, em Goiás,
é retrato hediondo de teu país.
A notícia chegou aos pedaços,
sem relação de causa e efeito;
eu quero estabelecê-la agora
sob efeito de uma dor estranha.
Conta a lenda que uma mãe
de três filhas e de um menino,
este o maior, de nove anos,
presa como avião de traficante -
embora não sendo ela própria traficante -,
foi metida na cadeia em Planaltina,
sem julgamento, e deixada para
apodrecer em prisão preventiva.
As crianças, de pai também miserável,
foram parar nas mãos
de uma cunhada de 17 anos, namorada
de um homem de 19, ambos violentos,
que a miséria tornou sem alma.
Na loucura ele os espancava diariamente
até que um deles, de três anos,
cometeu o pecado imperdoável:
prisioneiro em casa, pediu comida a um vizinho,
na luta para não morrer de fome.
O homem sem alma atacou todos e matou o de seis anos,
porque foi cúmplice na busca de comida.
Acaso só esse homem é culpado?
Culpados, sim, somos todos nós,
por não reagirmos a um governo criminoso
que ignora a fome de milhões
sob a estupidez neoliberal,
cortando os laços civilizatórios entre os brasileiros.
Lá se vão princípios de solidariedade de 80 anos,
presentes na violada CLT e no atacado
sistema de seguridade social, a Previdência.
No meio dessa chacina legislativa
comandada por um tecnocrata sem voto
é todo o sistema social que desaba,
tornando-se iníquo, ao ponto de uma juíza
mandar para a cadeia, sem prazo definido,
uma mãe miserável de quatro filhos menores
que somente exercia estratégias desesperadas de sobrevivência
num país de quase 30 milhões de desocupados,
hipocritamente ignorados pelo regime neoliberal.