25.5.19

ABCAM SE REÚNE COM A CASA CIVIL PARA TRATAR SOBRE O DIESEL

REDAÇÃO -

Associação apresenta sugestões para a política de preços dos combustíveis praticados pela Petrobras.


Nesta quinta-feira, 23, a Associação Brasileira dos Caminhoneiros – Abcam se reuniu com integrantes da Casa Civil para discutir a política de preços dos combustíveis praticados pela Petrobras.

A drástica redução dos investimentos em construção e conservação de rodovias, associada aos altos custos e a instabilidade nos preços do diesel, está levando a grande maioria dos caminhoneiros autônomos a uma situação indigência.

Os acordos realizados no Governo Temer se revelaram insuficientes para atender as necessidades mínimas da categoria. Diante disso, a Abcam levou à discussão com o Governo diversos pontos, com destaque para os seguintes:

- Mudança na formação de preços da Petrobras. A estatal deve formar os preços a partir dos custos, com definição da taxa de lucro.

- Privatização de refinarias da Petrobrás. A Abcam é contrária e privatização das refinarias.

- Construção, juntamente com os caminhoneiros, de um plano emergencial de três anos para terminar obras inacabadas e regenerar rodovias federais.

- Aceleração das licitações de obras por meio da criação de uma "Comissão de obras".

- Apoio financeiro aos governos estaduais para a restauração de rodovias por meio de convênios.

- Solicitação de autorização ao Congresso Nacional para emitir títulos de dívidas públicas com valores definidos a partir do orçamento de obras deste ano e dos próximos três anos.

A Abcam entende que a Petrobrás pode reduzir o preço do diesel e administrá-lo com razoável estabilidade sem ferir o interesse geral, ou seja, sem a necessidade de subsídios financiados por tributos.

A sugestão é que seja criado um fundo de estabilização dos preços, a partir do imposto de exportação para o petróleo bruto, que somente será cobrado no caso de lucros exorbitantes das empresas petrolíferas, em razão de altos preços do petróleo.

Esse fundo também poderia ser constituído a partir da efetiva cobrança do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido, o que não ocorre atualmente.

Reforma da previdênciaA entidade também se posiciona contrariamente a reforma da previdência da forma em que foi proposta, especialmente em relação ao Regime de Capitalização previsto. O governo tem obrigação constitucional de criar uma política econômica para gerar empregos e recuperar a economia. Somente aprovar a reforma da previdência não é suficiente.

O caminho da recuperação econômica passa pela expansão dos gastos públicos, mesmo que isso signifique expandir a dívida. Essas e outras solicitações foram detalhadamente explicadas na nota técnica elaborada pela Abcam.

A audiência aconteceu 10 dias após a solicitação feita em rede nacional pelo presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes. A expectativa é que Governo Federal analise as propostas apresentadas pela Abcam para a redução do diesel. Enquanto isso, ficam suspensas novas paralisações dos caminhoneiros.

Estiveram presentes na reunião o subchefe da Casa Civil, Antonio José Barreto, o assessor especial da Casa Civil, Martim Cavalcanti, o subchefe Adjunto de Infraestrutura, Daniel Branco, o presidente da Abcam, José da Fonseca Lopes, o assessor da Abcam, Bolívar Lopes Brambilla, os consultores técnicos da Abcam Daniel Branco, Paulo César Ribeiro Lima e José Carlos de Assis.

Também participaram o presidente da Federação dos Caminhoneiros de São Paulo (Fecam/SP) Claudinei Pelegrini e o presidente da Federação dos Caminhoneiros do Rio Grande do Sul (Fecam/RS) André Costa.

Clique aqui para acessar a nota técnica.

Fonte: Abcam

QUANDO E QUEM VAI LIMPAR A SUJEIRA DA LAVA JATO?

EMANUEL CANCELLA -

Carros da Globo virado no suicídio de Getúlio Vargas.


A Lava Jato e o Globo nos parecem eternos, mas vão ruir como ruíram o império romano e o nazismo.  Como diz o poeta ou  filósofo, nenhum império é eterno. E quanto maior a altura, maior a queda. E a história mostra isso!  O paraíso bíblico se contaminou com a presença de Adão e Eva trazendo o pecado.

Posso profetizar que todo império do bem e do mal tem início meio e fim. Isso independentemente da nossa vontade e sob o auspício do Deus supremo, que tudo pode.

A rede Globo impera no Brasil há cerca de meio século, apoiou e cresceu à sombra da ditadura militar de 1964. Antes o império das comunicações eram os Diários Associados de Chatobriand, os jovens nem sabem disso.

A Globo, em 1954, não era nada, mas já conspirava contra a democracia e ajudou a derrubar Getúlio Vargas, que se suicidou. Segundo a própria carta de  Getúlio “saio da vida para entrar na história”, até na morte Getúlio foi grande estadista, adiando o golpe militar por uma década. Mas a Globo, mesmo com o fim da ditadura militar, continuou a imperar.

A Globo, junto com FHC, tentou sem sucesso privatizar a Petrobrás. Na telinha da Globo via-se a tentativa de destruir a imagem da Petrobrás com a comparação da Petrobrás a um paquiderme e os petroleiros denominados de marajás.

Mesmo com a Petrobrás desenvolvendo tecnologia inédita no mundo que permitiu em 2006 a descoberta do pré-sal, em dezembro de 2015, a Globo, inconformada com a performance da Petrobrás, solta em editorial: “O pré-sal pode ser patrimônio inútil (1).”

E foi também em 2015 que a Globo chocou o ovo da serpente, Sérgio Moro, um juiz de primeira instância  recebeu o beijo  de judas, quando a Globo lhe concedeu o prêmio de o homem que faz a diferença (2).

Assim começava, por volta de 2015, a Lava Jato chefiada por Moro.  Verdade seja dita, em nome do combate à corrupção, a Lava Jato já fez mais estragos na Empresa que Collor e FHC, que também queriam privatizar a Petrobrás.

Fernando Color extinguiu a Interbrás, um crime lesa-pátria, pois essa empresa era responsável pelo comércio da Petrobrás com o mundo e também extinguiu a Petromisa que era o braço dos minérios da Petrobrás. A ampla maioria desses trabalhadores foram demitidos mas foram foram readmitidos pelos governos Lula e Dilma.

FHC chegou a ser ameaçado por um certo deputado federal, capitão do exército, que  prometera fuzilá-lo por vender as estatais e entregar nosso petróleo. FHC mesmo com apoio da Globo, só conseguiu vender 30% de uma refinaria a Refap, para a Repsol, que Lula, quando assumiu, recomprou (8).

O capitão Bolsonaro chegou ao poder com apoio do juiz premiado pela Globo, Sérgio moro, que chegou ao absurdo de prender Lula, o principal adversário do capitão,  sem nenhuma prova, ás vésperas da eleição. E como um imperador que não deve satisfação a ninguém, virou ministro da Justiça do capitão.

O capitão Bolsonaro, que queria fuzilar FHC, esquece e retoma a obra não concluída de Collor e FHC, anunciando a venda da BR Distribuidora, da metade das refinarias e da cessão onerosa do pré-sal (3 a 7).

O povo brasileiro foi para as ruas, no maior movimento cívico que foi “O Petróleo é Nosso!”, o que resultou na criação da Petrobrás, isso quando o petróleo era um sonho. Será que agora, que o pré-sal é uma realidade, o capitão vai conseguir privatizar a Petrobrás, aquilo que Collor, não conseguiu e FHC por isso chegou a ser ameaçado de fuzilamento?

Fonte:

SINDICALISTA SAÚDA INVESTIMENTOS DA FIAT EM BETIM, MAS COBRA MAIOR GERAÇÃO DE EMPREGOS

REDAÇÃO -

O secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região, Alex Custódio, definiu como positivo o investimento de US$ 500 milhões anunciado nesta quarta-feira (22) pela Fiat Chrysler Automobiles (FCA), com vistas à ampliação de sua planta em Minas Gerais. No entanto, o dirigente fez ressalvas em relação ao número de empregos que será gerado, diante do alto nível de demissões ocorrido ao longo dos últimos anos.


A empresa está anunciando, com toda pompa, que cerca de 1.200 empregos serão gerados, número contestado por Custódio. “Em termos de empregos diretos, o número correto é 350. O dado divulgado pela empresa leva em conta os postos indiretos que deverão surgir”, argumenta o dirigente, que também é secretário do Setor Automotivo e de Autopeças da Fitmetal.

Segundo a companhia, será o maior polo produtor de motores da América Latina, com capacidade de produção de 1,3 milhão de unidades por ano a partir de 2021. 

Histórico de demissões - O dirigente sindical critica a publicidade que a FIAT tem feito desde o anúncio desta quarta-feira. “Precisamos ver com bons olhos o investimento, mas temos que manter os pés no chão, pois a empresa mandou quase 10 mil trabalhadores embora nos últimos sete anos. Isso representa quase 50% da fábrica”, recorda.

Alex Custódio entende que não serão esses 350 novos empregos que resolverão os altos índices de desemprego na categoria metalúrgica de Betim e Região. “Nossa base de atuação já teve 48 mil metalúrgicos e hoje tem menos de 20 mil. Essa notícia é importante, mas está longe daquilo que almejamos. Queremos que todos os desempregados da região voltem a ter perspectivas reais de recolocação no mercado de trabalho”, diz.

Cobrança ao governo federal - Para o sindicalista, o Brasil necessita, com urgência, de uma política que tenha como prioridade a geração de empregos para atender os mais de 13 milhões de brasileiros e brasileiras que aguardam por uma oportunidade neste momento.

“Não vemos nenhum tipo de projeto concreto para atacar esse problema. Pelo contrário, vemos Bolsonaro e seus ministros agindo de maneira a tornar o atual cenário ainda pior. Enquanto o governo federal não utilizar o potencial do Estado para estimular, de fato, a criação de empregos, seguiremos apreensivos”, afirmou o dirigente.

Fonte: Contraf-CUT

OS MEIOS ALTERNATIVOS DE CONFLITOS NA JT?

ROBERTO M. PINHO -

(...) “Os objetivos instituídos para o fácil acesso ao Judiciário não podem contrariar a garantia constitucional do artigo 5º-LV da Constituição Federal, onde se estabelece: "Aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa com os meios e recursos a ela inerentes".


O número de processos que ingressavam a cada ano na justiça do trabalho era de (2,4 milhões/ano), segundo números do TST/CNJ. Neste lote, contabilizado as ações movidas por trabalhadores contra órgãos públicos (governo federal, estatais, estaduais e municipais), acrescido das execuções do INSS, pode-se estimar em 40% o total do tempo dispensado pela maquina administrativa na solução dos processos trabalhistas. Este dado se agravou, com a nova competência (EC n° 45/2005), da JT para julgar ações relativas aos débitos e parcelas da Previdência Social (INSS). Ocorre ainda que alem do tempo dispensado pelos servidores, o juiz também se desgasta conferindo e despachando os atos processuais, consistindo assim numa flagrante agressão ao direito do trabalhador que procura nesta justiça a prioridade na solução do conflito laboral, mas acaba refém desta injunção.

Juizados - A competência da especializada para executar débitos e parcelas do INSS, deveria ter sido remetida a outro setor, com a criação dos juizados especiais do trabalho, junto com a competência para julgar as ações da previdência social e as pequenas reclamações trabalhistas. A previsão se ampara no paradigma da Lei 10.259/01, que institui os Juizados Especiais Cíveis Criminais no Âmbito da Justiça Federal, (leia-se: "São instituídos os Juizados Especiais Cíveis e Criminais da Justiça Federal, aos quais se aplica, no que não conflitar com esta lei, o disposto na lei nº 9.099, de 26 de setembro de 1995".). Conforme podemos observar o artigo 1º da lei 9099/95 estabelece que "o processo orientar-se-á pelos critérios da oralidade, simplicidade, informalidade, economia processual e celeridade, buscando, sempre que possível à conciliação ou a transação”.

A folha de pagamento pesou mais no orçamento da Justiça do Trabalho. Em 2006, era de 93,65% dos gastos foram destinadas ao pagamento dos funcionários. No ano anterior, o número foi de 90,50%. O judiciário trabalhista foi o que mais investiu em informática, destinando 8% de seu orçamento para a área. A média de gastos com informática da segunda e primeira instância foi de 0,95%. Analisando os números, concluímos que a ação chegando aos juízos e tribunais do Trabalho são mais processos do que os magistrados conseguem julgar. Cada vez mais caro e moroso.

Juízes leigos - Os objetivos instituídos para o fácil acesso ao Judiciário não podem contrariar a garantia constitucional do artigo 5º-LV da Constituição Federal, onde se estabelece: "Aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes". A ausência de Juízes leigos, no âmbito dos Juizados Especiais Federais. No sistema da Lei n° 9.099, eles atuam como auxiliares da Justiça, sendo recrutados, preferentemente, entre advogados com mais de 5 anos de experiência (art. 7º). Já a CF (art. 98) admite Juizados Especiais constituídos por juízes togados e leigos, este jurisdicionado federal de forma mais política que propriamente no interesse da sociedade, achou inconveniente a existência de juízes leigos em causas submetidas à JF. Prevaleceu a idéia de que juízes leigos têm lugar apenas em causas privadas, não devendo participar de causas em que haja interesses do Estado lato sensu, dessa forma sem juízes leigos, os JEFS perdem a agilidade e produtividade.

Empresas públicas - Há muito cobramos dos legisladores antes mesmo do fechamento do texto da reforma trabalhista, a criação dos Juizados Especial do Trabalho, no paradigma dos JEFS, por entender que este destrava o andamento das ações trabalhistas. Isso se justifica, não apenas pelas razões já expostas, mas pelo simples fato de que milhões dessas ações acumuladas na especializadas são do segmento estatal (ações contra empresas públicas), governo federal, estadual, municipais e estatais, onde se conclui das duas uma: ou elas migram para os juizados federais, ou são criadas as varas especiais no âmbito da justiça do trabalho. No entanto existe uma densa e maquiavélica campanha dos juízes para que meios alternativos não sejam utilizados na especializada.

MINISTRO FACHIN MANDA RETIRAR ADOLESCENTES INFRATORES DE UNIDADES SUPERLOTADAS

REDAÇÃO -

Reportagem de Carolina Brígido no Globo informa que o ministro Edson Fachin , do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu liminar para transferir adolescentes infratores que estejam internados em unidades com lotação superior a 119% de ocupação, que é a média nacional nesses estabelecimentos. Em caso de impossibilidade de transferência, Fachin determina que os jovens sejam liberados para o regime domiciliar. A medida atinge unidades do Rio de Janeiro, Ceará, Bahia e Pernambuco.


De acordo com a publicação, a decisão foi tomada em um habeas corpus coletivo da Defensoria Pública do Espírito Santo, em nome dos adolescentes internados na cidade de Linhares. Em agosto, Fachin beneficiou os jovens com uma liminar. Agora, estendeu a decisão a adolescentes de outros quatro estados. O mérito da ação será julgado no dia 15 de junho, na Segunda Turma do STF, que poderá manter a decisão de Fachin, ou revoga-la.

Segundo o processo, nas 25 unidades do estado do Rio de Janeiro estão internados 2.046 adolescentes do sexo masculino, sendo que a capacidade real é de 1.613 vagas. Na Bahia, são 552 vagas nas unidades de internação, que abrigam 631 adolescentes. Já em Pernambuco, existem 1.049 internos para uma capacidade de 702 vagas. Existem também 178 adolescentes em regime de semiliberdade para 160 vagas, completa o Jornal O Globo.

Fonte: DCM

O MEDO

MIRANDA SÁ -

“O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não” (Gandhi)


Advogado formado com louvor em Harvard, Franklin Delano Roosevelt, o presidente dos Estados Unidos que tirou o País da grande crise de 1929, revidou o traiçoeiro bombardeio japonês a Pearl Arbour e declarou guerra ao Eixo, foi reeleito por quatro mandatos consecutivos. Era um ‘fraseur’; entre os pensamentos deixados, destaca-se: – “Nada é mais temível do que o medo”.

Não tenho certeza, mas o dr. Google garante que é de Charles Chaplin outra frase antológica que prega a libertação deste sentimento, ao dizer que:  – “A vida é maravilhosa se não se tem medo dela”. Nada mais do que verdade, pois há pessoas que têm até medo de viver…

O verbete “Medo”, dicionarizado, tem uma dupla classe gramatical: é adjetivo e substantivo masculino; a sua origem é latina, “metus.us”-  sentimento de ansiedade sem razão fundamentada; receio. Trata-se de um estado emocional e inquietude provocados por estar diante de um perigo, ou na imaginação dele; mal-estar diante de alguma relação desagradável.

No Deserto do Saara circula uma antiquíssima estória que é transmitida de pais para filhos, como lição para fortalecer o espírito e enfrentar as agruras da vida: Conta o encontro de uma caravana que ia para Bagdá com a Peste.

– “Porque está com tanta pressa para chegar à Cidade dos Califas? ”, perguntou o chefe dos cameleiros.

– “Vou em busca de cinco mil vidas”, respondeu a Peste.

De volta, um novo encontro de ambos:  – “Mentiste”, disse corajosamente o caravaneiro; – “em vez de cinco mil vidas, levaste 50.000”.

– “Não é verdade”, afirmou a Peste: – “ Cinco mil, nem uma vida a mais”; as outras foram por conta do medo”…

A experiência milenar do filósofo grego Aristóteles levou-o a ensinar nas suas aulas peripatéticas, que não se deve alimentar o medo por se tratar de uma emoção tóxica, que faz muito mal à saúde física e mental.

O aluno mais dedicado de Aristóteles e divulgador das suas ideias nunca publicadas foi Platão, que surfando no ensinamento do Mestre, completou-o, dizendo que: –  “Podemos facilmente perdoar uma criança que tem medo do escuro; a real tragédia da vida é quando os homens têm medo da luz”.

Aí temos uma magnífica aula para nós expositores e debatedores de ideias pelas redes sociais. É muito triste aqueles que temem a clareza da verdade e se prendem ao medo de enfrentar o clamor das minorias organizadas ou de individualidades arrogantes.

O segredo está em ignorar ameaças e enfrentar hostilidades. José Maria Eça de Queiroz, um dos ícones da cultura lusitana, romancista e pensador português do século XIX, nos legou um pensamento que transcrevo para a reflexão:

– “Não tenha medo de pensar diferente dos outros, tenha medo de pensar igual e descobrir que os outros estão errados! ”.

DAMARES FRAGILIZA PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE TESTEMUNHAS NO RIO

REDAÇÃO -

O Programa de Proteção de Vítimas e Testemunhas (Provita) do Rio de Janeiro está em risco. O Ministério da Família, da Mulher e dos Direitos Humanos, comandado por Damares Alves, suspendeu os repasses de verba e ainda solicitou dados que podem comprometer a identidade das vítimas e testemunhas protegias.


O atraso de repasses chega a quatro meses e já fez com que famílias protegidas tivessem que abandonar o programa. A solicitação de informações, que ameaçam a rede de segurança, foi criticada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por representar ameaça à vida dessas pessoas. O órgão encaminhou uma recomendação para que o ministério revogasse a requisição.

O defensor público do Rio de Janeiro Fábio Amado explica que o serviço é utilizado em casos relacionados ao crime organizado e seu objetivo é a preservação da vida e da integridade das vítimas e testemunhas. "Os atuais gestores do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não compreenderam ou desconhecem as características que regulam esse sistema de colaboração. Há sigilo previsto em lei e não pode ser demandado o fornecimento de dados, que colocam em iminente risco esses núcleos familiares", disse à repórter Viviane Nascimento, da TVT.

O Rio de Janeiro é o único lugar do Brasil em que não há contribuição financeira do governo do estado para a manutenção do programa, o que aumenta a vulnerabilidade das famílias, que precisam deixar suas moradias e não podem trabalhar em função dos riscos.

No estado, o programa atende a 46 famílias e metade possui crianças e adolescentes. O atraso no repasse dos recursos do governo federal dificulta o pagamento de despesas básicas, como água luz e o salário da equipe técnica. Segundo o ministério, o programa custa R$ 148 mil por mês e os repasses são feitos nos meses de abril e outubro.

Em nota, o ministério alega que a prestação de contas está de acordo com a Lei nº 13.019/14, o Marco Regulatório da Sociedade Civil, e que não houve solicitação de dados das pessoas protegidas, mas da equipe técnica, da rede de proteção voluntária e da busca por novos parceiros. "A dependência exclusiva do governo federal fragiliza o programa, seja em função dessa demanda recente descabida do governo federal, seja em função da omissão do estado do Rio de Janeiro, que não aporta recursos", critica Fabio Amado.

24.5.19

CHICO BUARQUE MERECIDAMENTE CONQUISTOU O PRÊMIO CAMÕES, O MAIS IMPORTANTE DA LÍNGUA PORTUGUESA

HELIO FERNANDES -

Compositor, cantor, escritor, notável personalidade, com mais de 60 composições enfrentando e confrontando a ditadura de 21 anos. Foi premiado pelo conjunto da obra. Como seu admirador, estou satisfeitíssimo.

Mas ele era a minha esperança do Brasil ter o seu primeiro Nobel pelo conjunto da obra. O Chile, (duas vezes), o Peru, a Argentina estão na relação. O Brasil esteve perto com Don Helder Câmara, vetado pela ditadura, a Academia da Suécia se submeteu.

Lula parabeniza Chico por Prêmio Camões: “A Globo teve que colocar você no ar"
O criador do premio que leva seu sobrenome, Alfredo Nobel, ganhou fabulas de dinheiro como o maior fabricante de armas da sua época. A partir de 1880 lançou no mercado armas altamente inovadoras e até revolucionarias, que o mundo todo comprava. E armas só servem para matar, individual ou coletivamente.

Financiou guerras terríveis com multidões de mortos. Com isso acumulou fortunas incalculáveis. Morrendo e sem herdeiros deixou tudo para a criação e distribuição do Premio com seu nome, prestigiadíssimo. Chico Buarque tem todos os títulos e credenciais para ir á Suécia, representando o Brasil.

PETROBRÁS APRESENTA CONTRAPROPOSTA ANTECIPADA DE CORTES DE DIREITOS

REDAÇÃO -

Nenhum direito a menos, foi o grito dos petroleiros durante a reunião de negociação do Acordo Coletivo de Trabalho 2019-2021, que aconteceu na quarta, 22/05, no Rio de Janeiro. Em mesa única, com representantes da FUP e FNP, a Petrobrás apresentou sua contraproposta que mal dá para considerar como tal. Mas como um documento que retira direitos e visa acabar com o movimento sindical.


Para o coordenador da FUP, José Maria Rangel, esta é mais uma etapa da privatização. “Ela quer pavimentar o caminho para a privatização da empresa. Que é retirar os nossos direitos e também praticamente aniquilar o movimento sindical. Por isso nós temos que resistir e participar das assembleias rejeitando essa proposta com disposição de luta, que será necessário”, comenta.

O indicativo é de rejeição - Como a empresa apresentou a contraproposta antecipadamente sem sequer negociação com os sindicatos, invertendo a ordem do processo, ficou decido pelos representantes dos trabalhadores que os petroleiros não comparecerão nas reuniões que aconteceriam nos dias 27 e 28/05, pois a postura da empresa na primeira rodada inviabiliza qualquer tipo de reunião sem que antes sejam realizadas as assembleias com a categoria.

“Uma proposta absurda”. Foi como classificou o diretor da FNP, Adaedson Costa. “Essa é uma pauta da alta direção da empresa para acabar com os direitos dos trabalhadores e vender o refino e tudo que for possível a preço vil”. A contraproposta foi distribuída para a categoria pela empresa ao mesmo tempo em que acontecia a reunião com as entidades sindicais, em uma demonstração clara de como pretendem gerir a empresa nos próximos anos. Desrespeitando os trabalhadores, e descumprindo o Acordo Coletivo de Trabalho.

Sendo assim, até o dia 6 de junho acontecerão assembleias em todas as bases para rejeitar essa proposta, demonstrando a disposição de luta da categoria. A proposta tem que ser uma só: NENHUM DIREITO A MENOS.

Vai ter resistência - Ainda na mesa de negociação, o coordenador da FUP, fez questão de lembrar aos presentes que quem construiu a Petrobrás foram os trabalhadores. “Não vamos ver isso acontecer e ficar quietos. Vai ter resistência. Porque nós todos construímos essa empresa com o objetivo comum de uma Petrobrás indutora do desenvolvimento nacional. E provamos que isso é possível, tanto que descobrimos o Pré-sal”.

Entre os dias 23 e 26 de maio, os petroleiros dos sindicatos filiados à FUP estarão em Minas Gerais para a VIII PlenaFUP, onde serão traçadas estratégias e um calendário de luta contra a privatização e em defesa dos direitos e da liberdade sindical, que será apresentado para a categoria. Por isso é muito importante a participação de todos e todas nas assembleias do mês de junho. Juntos somos mais fortes.

Fonte: CNQ

BOLSONARO, QUE QUERIA FUZILAR FHC POR PRIVATIZAR A VALE E NOSSO PETRÓLEO, AGORA FAZ O MESMO!

EMANUEL CANCELLA -


Luiz Inácio falou para Guedes criar vergonha na cara e não tirar R$ 1 trilhão dos aposentados.

“Lula lembrou ter juntado, durante seu governo, 370 bilhões de dólares em reservas, com dólar a 4 reais, sem causar nenhum prejuízo a nenhum brasileiro" (1).

Ao invés de Bolsonaro e Guedes tirarem dos pobres na reforma da Previdência esse trilhão, eles  podem buscar esses valor nas ricas petroleiras estrangeiras, já que  o golpista MiShell Temer articulou e aprovou uma lei que isenta, em impostos, as multinacionais de petróleo, em um trilhão de reais, entre elas a Shell (11). E a Lava Jato que investiga corrupção na área do petróleo ficou calada!

Sabe onde também Bolsonaro e Guedes podem buscar esse trilhão ou mais? Na indústria naval, com o Brasil voltando a construir navios e plataformas no país, como fazia com Lula e Dilma. Além da geração de empregos, havia uma gigantesca arrecadação de impostos da União, estados e municípios. Mas a Lava Jato, dizendo combater a corrupção, destruiu a indústria naval brasileira (2).

Três  trilhões de reais Bolsonaro vai entregar aos gringos com a “venda” da cessão Onerosa do pré-sal. Bolsonaro assim quer arrecadar R$ 106,5 bilhões.

A cessão onerosa do pré-sal tem no mínimo 15 bilhões de barris de petróleo, considerando o barril de petróleo a US$ 58 no mercado internacional, chegamos a US$ 750 bilhões, e com o dólar a 4 reais  são R$ 3 trilhões. Vamos “vender” a cessão onerosa por R$ 106,5 bilhões quando seu valor é de mais de R$ 3 trilhões (3,9,10).  Será que Bolsonaro e Guedes são burros ou entreguistas?

E pior é que Bolsonaro quando deputado queria fuzilar FHC por que vendia nossas estatais e entregava nosso petróleo, e agora Bolsonaro anuncia a venda dos Correios, BR Distribuidora, metade das refinarias da Petrobrás e a cessão onerosa do pré-sal! (4 a 8).

Fonte:

APRESENTAÇÃO SOLO DESTACA SUCESSOS DE ED MOTTA. DIA 15/06 NO TEATRO RIVAL PETROBRAS

REDAÇÃO -


'No Meu Coração Você Vai Sempre Estar', 'Colombina', 'Fora Da Lei', 'Manuel', 'Caso Sério', 'Vamos Dançar', 'Vendaval', 'Daqui Pro Méier', 'Tem Espaço na Van'. Esses são alguns dos grandes sucessos de ED MOTTA que estão no repertório do show "solo" que ele faz no dia 15 de junho (sábado), às 19h30, no Teatro Rival Petrobras (Cinelândia). Combinando uma variedade de sons vocais, o cantor, compositor, multiinstrumentista, arranjador e produtor de trânsito internacional usa seu “Edmottês” de maneira brincalhona e sonora. É a música sem a “ditadura das letras”, como o artista mesmo diz.

Ed Motta carrega uma trajetória de sucesso. Seu estilo tem veia funk-soul, tritura influências que vão do jazz à canção brasileira, das trilhas sonoras de Hollywood ao rock, da música clássica aos standards americanos, da bossa nova ao reggae. O resultado desse amálgama de referências já é reconhecido no mundo todo e confirmado nas turnês que nos últimos anos rodaram a Europa, o Japão, os Estados Unidos e a América do Sul. Ed Motta é um artista que representa o talento brasileiro para o mundo.

Suas canções ganham vida no piano e na guitarra, apenas. E assim será neste show solo: no palco do Teatro Rival Petrobras estarão Ed Motta, um piano e sua guitarra. É essa configuração que ajuda a enaltecer no repertório a chance de trazer temas que Ed tem prazer em tocar, músicas que tocam no inconsciente, relembrando baladas nacionais e internacionais de grandes artistas. E assim ele desenvolveu um estilo muito próprio, totalmente seu, único e prazeroso de se ouvir.

Serviço
Teatro Rival Petrobras – Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro/Cinelândia – Rio de Janeiro. Data: 15 de junho (Sábado). Horário: 19h30.Abertura da casa: 18h. Ingressos: R$ 80,00 (Inteira), R$ 40,00 (meia-entrada). Venda antecipada pela Eventim http://bit.ly/EdMottaNoTeatroRival2K5ToR5 Bilheteria: Terça a Sexta das 13h às 21h | Sábados e Feriados das 16h às 22h Censura: 18 anos.www.rivalpetrobras.com.brInformações: (21) 2240-9796. Capacidade: 350 pessoas. Metrô/VLT: Estação Cinelândia.

*Meia entrada: Estudante, Idosos, Professores da Rede Pública, Funcionários da Petrobras, Clientes com Cartão Petrobras e Assinantes O Globo.

POEMAS DO COMANDANTE ERNESTO 'CHE' GUEVARA: "CANTO A FIDEL", "CONTRA O VENTO E AS MARÉS"

ILUSKA LOPES -

O poema 'Contra o Vento e as Marés' é dedicado à Aleida, esposa do comandante. E 'Canto a Fidel' foi escrito pouco tempo antes do histórico embarque dos revolucionários no iate Granma rumo à Cuba. "Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros" (Che).



Contra o Vento e as Marés

Este poema (contra o vento e as marés) levará minha assinatura.
Deixo-lhes seis sílabas sonoras,
um olhar que sempre traz (como um passarinho ferido) ternura,

Um anseio de profundas águas mornas,
um gabinete escuro em que a única luz são esses versos meus,
um dedal muito usado para suas noites de enfado,
um retrato de nossos filhos.

A mais linda bala desta pistola que sempre me acompanha,
a memória indelével (sempre latente e profunda) das crianças
que, um dia, você e eu concebemos,
e o pedaço de vida que resta em mim.

Isso eu dou (convicto e feliz) à revolução
Nada que nos pode unir terá força maior.

(Poema dedicado à Aleida, sua esposa)

***
Canto a Fidel

Vamos, ardoso profeta da alvorada,
por caminhos longínquos e desconhecidos,
liberar o grande caimão verde* que você tanto ama...
Quando soar o primeiro tiro
e na virginal surpresa toda selva despertar,
lá, ao seu lado, seremos combatentes
você nos terá.
Quando sua voz proclamar para os quatro ventos
reforma agrária, justiça, pão e liberdade,
lá, ao seu lado, com sotaque idêntico,
você nos terá.
E quando o final da batalha
para a operação de limpeza contra o tirano chegar,
lá, ao seu lado, prontos para a última batalha,
você nos terá...
E se o nosso caminho for bloqueado pelo ferro,
pedimos uma mortalha de lágrimas cubanas
para cobrir nossos ossos guerrilheiros
no trânsito para a história da América.
Nada mais.

* Caimão verde era o nome alegórico atribuído à ilha de Cuba. (Poema escrito pouco tempo antes de embarcarem no iate Granma rumo à Cuba)

23.5.19

RECUO PARCIAL DO GOVERNO BOLSONARO NOS CORTES DA EDUCAÇÃO É INSUFICIENTE E NÃO DESMOBILIZARÁ OS MOVIMENTOS SOCIAIS

REDAÇÃO -


Na tarde dessa quarta-feira (22), após mais uma intervenção desastrosa do ministro da Educação na Câmara dos Deputados, dessa vez na Comissão de Educação, onde ao invés de explanar sobre as políticas MEC (sic) preferiu cercear a intervenção de estudantes denominados “idiotas úteis” pelo presidente durante a mobilização convocada pela CNTE no dia 15 de maio contra os cortes na educação e a reforma da Previdência, o ministro da Fazenda decidiu anunciar a recomposição de R$ 1,5 bilhão do contingenciamento na pasta do MEC, cujo valor total foi de R$ 7,4 bilhões.

A estratégia do governo em aliviar 20% os cortes na educação, além de insuficiente, não conseguirá desmobilizar os trabalhadores em educação, os estudantes e as comunidades escolares e universitárias, que estarão engajadas no dia 30 de maio contra as desmedidas de Bolsonaro e sua equipe na educação, e depois na Greve Geral da Classe Trabalhadora, dia 14 de junho.

O dia 15 de maio foi decisivo para convocar a sociedade e cobrar do governo os investimentos necessários na educação, assim como para alertar os parlamentares sobre os perigos da reforma da Previdência. Ambas as medidas só acarretarão retrocessos sociais e econômicos ao país e precisam ser barradas! Daí porque o movimento educacional e a classe trabalhadora não sairão das ruas até que derrotemos essas e outras pautas prejudiciais ao Brasil e à maioria do povo!

A CNTE se mantém mobilizada e convoca suas afiliadas e demais entidades parceiras para engrossarem o ato dos estudantes no próximo dia 30. Nossa entidade reitera que a recomposição parcial do orçamento do MEC está longe de atender as necessidades das universidades, dos institutos federais e das escolas públicas de nível básico, sendo que essas últimas tiveram subtraídos 33% dos investimentos oriundos da União (foram cortados programas de manutenção e infraestrutura na educação infantil; alimentação e transporte escolar; livro didático; alfabetização e EJA, entre outros).

Mais: diante das sucessivas ações inomináveis do governo Bolsonaro contra a educação, seus profissionais e estudantes, quem garante que a irrisória recomposição de um quinto do orçamento do MEC não constitui mais uma estratégia espúria para atacar determinadas instituições através da liberação seletiva das verbas, excluindo aquelas que promovem “balburdia” e que não se alinham aos desmandos desse governo autoritário e sem rumo?

Nossa luta é pela ampliação dos investimentos na educação pública! O PNE aponta a necessidade de atingirmos 10% do PIB na educação, mas a agenda do governo Bolsonaro segue a trajetória de redução dos atuais investimentos, privilegiando rentistas da dívida e empresários que desejam privatizar não apenas a educação, mas também a Previdência, as empresas públicas e as riquezas naturais estratégicas para o desenvolvimento soberano e inclusivo do país.

Não ao projeto de estado mínimo e ultraliberal de Bolsonaro, Guedes e Weintraub!
Não à reforma da Previdência e à sua privatização através do regime de capitalização!
Por um Brasil com educação pública de qualidade, gratuita, democrática, laica, integral, desmilitarizada e para todos/as!

Brasília, 23 de abril de 2019
Diretoria da CNTE

Fonte: CNTE