17.8.17

PRESIDENTE DA FENEPOSPETRO RETOMA CARAVANA PELO PAÍS COM DEBATES SOBRE A REFORMA TRABALHISTA

Via FENEPOSPETRO -

Após interrupção de uma semana, o presidente da Federação Nacional dos Frentistas, Eusébio Pinto Neto, retoma nesta quinta-feira (17), pelo estado de Minas Gerais, a visita aos sindicatos da categoria e os debates sobre a conjuntura política do país e a reforma trabalhista.


A Lei da Reforma Trabalhista impõe aos sindicatos uma reestruturação e nova organização para melhor representar a categoria. Para se adequar ao novo modelo de relação de trabalho, a Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO) estuda as medidas que deverão ser adotadas para garantir os direitos dos cerca de 500 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência de todo o país. Para esclarecer os dirigentes sindicais sobre a conjuntura política e econômica e as mudanças no mercado de trabalho, com a entrada em vigor da Lei da Reforma Trabalhista, o presidente da federação, Eusébio Pinto Neto, retoma hoje (17) pelo estado de Minas Gerais, a visita aos sindicatos da categoria.

Eusébio Neto iniciou a caravana pelo Sul do país, na semana passada, se reunindo, em Porto Alegre, com os dirigentes dos Sindicatos dos Frentistas do Rio Grande do Sul. Ele teve que interromper as viagens, por uma semana, por causa das mortes do filho mais novo do presidente da Federação dos Frentistas do estado de São Paulo, Luiz Arraes, e da companheira Angela Matos, diretora e uma das fundadoras do Sindicato dos Frentistas do Rio de Janeiro.

Na reunião, que acontece nesta quinta-feira, na sede do Sindicato dos Frentistas de Juiz de Fora (SINTRAPOSTOS), com os cinco dirigentes da categoria em Minas Gerais, Eusébio Neto, vai destacar a importância do trabalho de base para unir a categoria e fortalecer os sindicatos. Ele diz que nesse momento de incertezas, os sindicatos precisam ir às ruas e investir no corpo a corpo com o trabalhador, para esclarecê-lo e conscientizá-lo sobre as perdas de direitos. “Os frentistas têm uma história de luta. Conseguimos a nossa liberdade na década de 90, com a fundação do primeiro sindicato da categoria, em São Paulo, e agora organizados teremos força para resistir a mais essa investida do capital”, completa.

Os trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do estado de Minas Gerais serão os primeiros a passar pelo teste de fogo da Reforma Trabalhista, já que a categoria tem data-base em novembro, quando começa a vigorar a lei. O encontro de hoje também tem por objetivo reforçar a estratégia de luta e ajudar os Sindicatos dos Frentistas de Minas a construir uma Convenção Coletiva sólida e que garanta todos os direitos da categoria.

Na próxima segunda-feira (21), o presidente da federação vai se reunir com os cinco dirigentes dos Sindicatos dos Frentistas do Paraná. Além de debater as questões políticas e econômicas do país, Eusébio Neto vai analisar com os presidentes dos Sindicatos de Cascavel, Curitiba, Londrina, Maringá e Ponta Grossa as estratégias de luta para fechar a negociação dos trabalhadores do Paraná, que têm data-base em maio. Os sindicatos resistem às pressões dos patrões e não aceitam a retirada de direitos históricos. Nem um direito a menos!

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Fenepospetro

1- PMDB EXPULSA A SENADORA KÁTIA ABREU; 2- GEDDEL É DENUNCIADO PELO MINISTÉRIO PÚBLICO POR OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA

REDAÇÃO -


A Comissão de Ética e Disciplina do PMDB Nacional decidiu, por unanimidade, expulsar nesta quarta-feira 16 a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO).

O motivo: ela feriu, na opinião dos nove membros do colegiado, a ética e a disciplina partidária, com críticas à legenda, a Michel Temer e por ter votado contra matérias defendidas pelo governo.

A expulsão atendeu a uma representação do diretório regional do Tocantins. Para a acusação, ao discursar contra a aprovação da Reforma Trabalhista e criticar peemedebistas como o governador do Tocantins, Marcelo Miranda, Temer e Romero Jucá, a parlamentar praticou atos “nocivos, provocativos e desrespeitosos” e promoveu “inequívoca afronta ao partido”.

Em sua defesa (confira a íntegra aqui), Kátia indicou 24 testemunhas, entre elas políticos do Tocantins. A senadora lembrou que a legenda não propôs nenhum tipo de punição a filiados condenados por crimes graves, como corrupção e formação de quadrilha.

No documento, Kátia citou políticos do partido que têm enfrentado problemas de ordem criminal, sendo que alguns já foram condenados e presos – como o ex-deputado Eduardo Cunha e o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral.

“Até mesmo o presidente da República foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República”, lembra. O partido, porém, não questionou a conduta de nenhuma desses filiados. (via 247)

***
Geddel é denunciado pelo Ministério Público por obstrução de Justiça

O Ministério Público apresentou nesta quarta-feira (16) à Justiça Federal em Brasília uma denúncia contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima por obstrução de Justiça.

A acusação se baseia numa suposta tentativa de impedir a celebração de um acordo de delação premiada do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro, apontado como parceiro do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em vários esquemas de propina.

O MPF quer que Geddel seja enquadrado no crime de embaraçar investigação que envolva organização criminosa, cuja punição varia de três a oito anos de prisão.

Os procuradores apontam que, em um mês e meio, entre maio e julho deste ano, Geddel fez 17 ligações para a mulher de Funaro a fim de sondar se ele faria um acordo de delação premiada.

Para o Ministério Público, os contatos de Geddel com Raquel Pita, mulher de Funaro, tinham como objetivo intimidar o casal, em razão do poder político de Geddel.

“Com ligações alegadamente amigáveis, intimidava indiretamente o custodiado, na tentativa de impedir ou, ao menos, retardar a colaboração de Lúcio Funaro com os órgãos investigativos Ministério Público Federal e Polícia Federal”, diz um dos trechos da ação. (…)
(via G1)

JOÃO DORIA: "SOU GESTOR NÃO SOU POLÍTICO"

HELIO FERNANDES -

Foi a sua primeira tentativa de surfar na onda que parecia dominar o mundo. Que provocara a surpreendente vitoria de Trump, que as pesquisas dos EUA diziam que "tinha 99% de possibilidades de perder". E que derrotara Le Pen na França, mas mantida o tempo todo nas manchetes.

Com isso, Doria surgiu do nada para candidato a prefeito da mais importante e populosa capital do país. E ganhava no primeiro turno. O que acontecia pela primeira vez, 67 anos depois de Jânio Quadros. Mas não fôra vitoria dele e sim da tática e estratégia do governador Alckmin.

Leia mais na COLUNA

HISTORIADORES DENUNCIAM A CAPTURA DAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS PARA O AVANÇO DO AUTORITARISMO

Por VERÔNICA COUTO - Via SOS Brasil Soberano -


O que têm em comum o projeto “Escola sem partido”, que quer censurar professores em sala de aula, e as agressões xenófobas cometidas por um sujeito em Copacabana contra um refugiado sírio? “É a pegada, a marca do fascismo”, alerta o professor Francisco Teixeira, do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA), da UFRJ/UFRRJ, que lançou a coleção “Políticas Educacionais e Traumas Coletivos”(vol. 1 e 2), com o também professor Maurício Parada, da PUC-RJ, no Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio (Senge-RJ). Os livros mostram como os regimes autoritários, para se consolidarem, precisam interferir nas políticas educacionais. Uma relação que hoje se traduz no país em propostas como as do “Escola sem Partido”, no “denuncismo” contra professores, ou nas reformas no ensino promovidas pelo governo de Michel Temer.

“O ódio é ensinado, programado”, diz Teixeira. E, por isso, ele observa que, não por acaso, o primeiro gesto do atual governo foi a reforma da educação, seu primeiro projeto votado e imposto ao país. “O traço marcante dessa reforma foi a exclusão da História como disciplina obrigatória, porque a História amedronta essas pessoas.” Mas não só. O historiador destaca que a ofensiva autoritária atinge também o próprio espaço educacional, a Filosofia, as Ciências Sociais – “e, pasmem!, até a Biologia, seja pelos conteúdos relacionados ao aparelho reprodutor, seja pelo evolucionismo, atacado pelos adeptos de noções ‘criacionistas’ [que explicam a vida com base em fundamentos religiosos]”.

O ensino da História e a intervenção no campo da educação “são centrais para a construção do autoritarismo político e para a experiência totalitária”, destaca o professor Maurício Parada, da PUC-RJ. Por isso, ele considera crucial o debate sobre a questão do ensino, as relações entre educação e instituições, as possibilidades de construção – ou não – de sociedades democráticas ou autoritárias. “Para pensar o que já fomos e o que ainda seremos – se é que seremos alguma coisa”.

Francisco Teixeira lembra que, no Japão, onde a História também não é disciplina obrigatória nas escolas, é possível encontrar nos livros didáticos dos estudantes a versão fantasiosa de que o país entrou na II Guerra Mundial devido a um ataque dos chineses ao Japão, a 62 km da Ponte Marco Polo, em Pequim. Ele também conta que, nos arquivos da Gestapo, foram descobertas séries de apostilas organizadas pela SS de Hitler, orientando como o antisemitismo deveria ser ensinado em sala de aula.

Já no Brasil, o professor do CPDA da UFRJ/UFRRJ lembra que já existem, só no Paraná, 11 mil professores denunciados e perseguidos pelos conteúdos apresentados em sala, além de muitos outros casos no resto do país, entre eles o da professora Marlene de Fáveri, processada devido a sua orientação feminista por uma aluna militante do Escola sem partido. “Alejo Carpentier [escritor cubano] diz que ‘quem fala tanto em revolução acaba sendo levado a fazê-la’; estudamos tanto o fascismo, e agora sentimos na cara o bafo dele.” Além de violento, capaz de dividir amigos, vizinhos, Teixeira adverte para a extrema simplicidade do pensamento fascista, o que o torna perigosamente popular. “Não se enganem, ele penetra facilmente nas camadas populares, dizendo coisas muito simples, que podem convencer os desavisados. Se a gente não estiver nas ruas para defender os direitos democráticos, o fascismo vai estar e vai vencer. É hora de dizer não ao fascismo.”

A DEFESA DE QUEM PLANTA MACONHA – PARTE 2

ANDRÉ BARROS -


Na semana passada, escrevi sobre a importância de construirmos uma rede nacional de advogados para lutar pela mudança da jurisprudência sobre pessoas condenadas por tráfico de drogas em razão de plantar maconha. Como nunca plantei nem um pé de feijão em algodão na escola, o que sei sobre plantar Cannabis, aprendi com amigos plantadores da Marcha da Maconha e nas defesas criminais de denunciados por tráfico pelo Ministério Público, presos por delegados e juízes por plantar maconha. Comecei cedo nessas causas e atuo até hoje. Mas ainda estou aprendendo e peço a todos que retifiquem todas as possíveis informações equivocadas. Além disso, novas questões colocadas são super bem vindas. Tudo isso é fundamental para realizarmos um banco de perguntas às perícias de plantas de maconha apreendidas.

A perícia brasileira, propositalmente, não quer se preparar para casos de plantação de maconha. Frequentemente, pesam a planta inteira, de forma grosseira, com terra, vaso e tudo, só para impressionar. Se já é difícil defender alguém acusado de tráfico de drogas com pouca, imagine com grande quantidade.

A perícia no Brasil costuma juntar tudo numa balança e afirmar que há tetraidrocanabidiol (THC), a substância proscrita, no material pesado. O laudo pericial não esclarece que se trata de uma planta angiospérmica, com raiz, caule, folhas, flores, sementes e frutos. O gênero Cannabis inclui as espécies Cannabis sativa, Cannabis indica e Cannabis ruderalis.

Trata-se de planta dióica, ou seja, machos e fêmeas encontram-se separados em indivíduos diferentes. Somente a flor da planta fêmea produz tetraidrocanabidiol (THC), a substância de uso proscrito inserido na lista F2, item 28, do anexo I da Portaria 344 de 1998. A maconha é composta de diversas substâncias, dentre elas, o Canabidiol, que chega a constituir quase metade da planta. Portanto, o laudo de exame do material entorpecente deve apontar a quantidade de THC, ainda mais depois da decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) que retirou o Canabidiol (CBD) da lista de substâncias proibidas.

Laudos padronizados, que colocam, literalmente, “tudo no mesmo saco”, devem ser impugnados com pedido de nulidade. A literatura científica atesta que somente as plantas fêmeas possuem THC, capaz de causar dependência. Por isso, a perícia deveria responder com precisão:

– qual a quantidade de flores de plantas fêmeas de Cannabis apreendida?

– caules, folhas, sementes e ramos secos contêm THC?

Apresentem suas perguntas…

1- “DE ONDE VEM TANTO ÓDIO?” NO FACEBOOK, MARK ZUCKERBERG FALA SOBRE OS NEONAZISTAS E EM RETIRAR “AMEAÇAS”; 2- RAFINHA BASTOS DEFENDE “LIBERDADE DE EXPRESSÃO” DOS NEONAZISTAS DE CHARLOTTESVILLE

REDAÇÃO -

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, disse que sua rede social vai remover “ameaças violentas”. Ele escreveu um post em sua página sobre a marcha neonazista em Charlottesville.


Zuckerberg engrossa o coro de empresários de tecnologia que estão expurgando nacionalistas brancos e neonazistas. Passou da hora de o FB abandonar sua política hipócrita de permitir páginas de ódio fascista e retirar fotos de mães amamentando. Segue a íntegra do post:

Não nascemos para odiar-nos um ao outro. Não nascemos com visões tão extremas. Podemos não ser capazes de resolver todos os problemas, mas todos temos a responsabilidade de fazer o que podemos. Acredito que podemos fazer alguma coisa sobre as partes da nossa cultura que ensinam uma pessoa a odiar outra pessoa.

É importante que o Facebook seja um local em que as pessoas com diferentes pontos de vista possam partilhar as suas ideias. O debate faz parte de uma sociedade saudável. Mas quando alguém tenta silenciar os outros ou ataca-los com base em quem são ou naquilo em que acreditam, isso magoa-nos a todos e é inaceitável.

Não há lugar para o ódio na nossa comunidade. É por isso que sempre são tomadas providências sobre qualquer publicação que promova ou celebre crimes de ódio ou atos de terrorismo — incluindo o que aconteceu em Charlottesville.

Com prováveis novas marchas, estamos analisando de perto a retirada de ameaças de agressões físicas. Não vamos ser sempre perfeitos, mas tens o meu compromisso de continuar a trabalhar para tornar o Facebook um lugar onde todos possam sentir-se seguros.

Os últimos dias têm sido difíceis de processar. Sei que muitos de nós têm se perguntado de onde vem este ódio. Como judeu, é algo que eu quis saber toda minha vida. É uma vergonha que ainda temos de dizer que os neo-Nazis e os supremacistas brancos estão errados — como se isso não fosse óbvio. Os meus pensamentos estão com as vítimas do ódio ao redor do mundo, e todos os que têm a coragem de enfrentá-lo todos os dias.

Pode haver sempre algum mal no mundo, e talvez não possamos fazer nada em relação a isso. Mas há demasiada polarização na nossa cultura, e podemos fazer alguma coisa a esse respeito. Não há equilíbrio, nuance e profundidade no nosso discurso público, e acredito que podemos fazer alguma coisa a esse respeito. Temos de aproximar as pessoas, e sei que podemos fazer progressos nesse sentido.

***
Rafinha Bastos defende “liberdade de expressão” dos neonazistas de Charlottesville

ASSOCIADOS DO SINPOSPETRO-RJ CONTAM COM DESCONTOS EM ACADEMIAS DE GINÁSTICA

Via SINPOSPETRO-RJ -

Sindicato Frentistas do RJ também prioriza a saúde do trabalhador e garante descontos especiais em academias de ginástica para funcionários de postos de combustíveis e lojas de conveniência.


Praticar exercícios físicos vai muito além da questão estética, e apesar de estudos comprovarem a importância da prática de atividade física, o sedentarismo é um grave problema para muitos brasileiros que sofrem com a vida corrida e a falta de recursos para investir na saúde e no lazer. Preocupado com o bem-estar dos funcionários dos postos de combustíveis e lojas de conveniência, o SINPOSPETRO-RJ firmou convênio com academias de ginástica que oferecem descontos especiais para os associados e seus dependentes no Estado do Rio de Janeiro.

Por estar exposto aos riscos de acidentes e contaminação por produtos tóxicos, o empregado do posto de combustível está mais predisposto ao estresse e a depressão do que a outros trabalhadores. E o melhor remédio para combater o desequilíbrio emocional e corporal é a atividade física. Exercícios regulares reduzem consideravelmente o risco de morrer de doença arterial, coronariana e diminui o risco de infarto, câncer de cólon, diabetes e pressão alta.

No Município do RJ, a academia Aptus oferece desconto especial para os associados do sindicato e seus dependentes. Por apenas R$ 50, o trabalhador poderá se exercitar monitorado por professores. Os trabalhadores de postos também têm direito à isenção na taxa de matrícula. A academia Aptus fica dentro do Clube de Regatas Guanabara, na Avenida Repórter Nestor Moreira, nº 42, salão B, em Botafogo.

SUL DO ESTADO - No Sul do estado, os trabalhadores contam com descontos em três academias. Em Valença, a Raider Academia oferece 10% de desconto nas mensalidades dos associados do sindicato. O mesmo percentual de desconto é oferecido pela Academia Flex Retiro aos trabalhadores de Volta Redonda.

Já a Academia Proquality, que tem filiais em Volta Redonda e Barra Mansa, oferece desconto de 31% nas mensalidades das aulas de ginástica. Os associados que optarem pelas aulas de dança e luta vão pagar apenas R$ 50 de mensalidade.

ASSOCIADO - Para se associar ao SINPOSPETRO-RJ entre em contato pelo telefone (21) 2233-9926, na sede de Vila Isabel, ou ligue para a subsede de Volta Redonda, no Sul do Estado (24) 3348-4955. Ou solicite a visita de um diretor do sindicato ao seu local de trabalho.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ

16.8.17

A BARRACA DO SEBASTIÃO ESTÁ VAZIA

RUMBA GABRIEL -


Um barulho ensurdecedor tomou conta da favela do Jacarezinho e em qualquer parte desta, se ouvia. Ao olhar para o alto avistávamos um helicóptero o qual erroneamente é chamado de águia. Ele mais parece ser um monstro mal definido que cospe fogo feito o diabo dos filmes de terror. Pena que não se trata de ficção. Este monstro é a mais pura realidade.

Durante cinco dias consecutivos vomitou balas “perdidas” no nosso Quilombo Jacaré deixando duas vítimas fatais: Sebastião Verdureiro e André Mototaxista.

Segundo a Coordenadoria de Recursos Especiais “elite” da Polícia Civil, estas operações têm a finalidade de capturar os responsáveis pela morte de um agente deste setor que estranhamente permaneceu na favela, mesmo depois que quase todos já haviam saído. Muitos estão entendendo que estas operações não passam de uma espécie de vingança.

O certo é que os justos estão pagando pelos pecadores, ou seja, nesta briga do mar contra o rochedo, os mariscos estão levando a pior.

É a mesma história sem fim, a polícia entra atirando e as balas perdidas são achadas nos corpos dos moradores.

A foto ilustra o vazio que ficou entre nós. Sebastião era um incansável trabalhador. Era em sua barraca que eu e mais dezenas de pessoas comprávamos verduras, frutas e legumes por um precinho especial.

Por outro lado, hoje e para sempre ficaremos também sem o André. Um jovem cheio de esperanças e perspectivas. Como a rotina diz, ficará apenas uma grande lembrança.

A pior parte desta história real e macabra, é que o cineasta não tem inspiração para novas histórias, sempre reproduz as mesmas cenas. Então a Secretaria de Segurança Pública continua anunciando as cenas dos próximos capítulos: Entre atirando e pergunte depois! Afinal, são negros, pobres e favelados. São coisas!

A LAVA JATO PRODUZIU MUITO MAIS QUE PRISÕES, PRINCIPALMENTE: LAMA !

EMANUEL CANCELLA -

Como disse um amigo meu ninguém contrataria um lava Jato que lave o carro pela metade!


Na maior cara de pau os delegados da Lava Jato fizeram campanha para o tucano, Aécio Neves e no blog de campanha chamaram Lula e Dilma de anta. E pior vazaram na véspera da eleição, a farsa,  para ajudar, Aécio, que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás. Quem desmentiu foi o próprio advogado do pseudo delator (3).

E mesmo hoje com Aécio envolvido num mar de lama. Denunciado pela gravação vazada do dono da J&F, pedindo dois milhões e ameaçando:  “a gente mata antes dele fazer delação (2)”.

Leia mais na COLUNA

TROPA DE CHOQUE DA DIREITA APONTA O NAZISMO COMO SENDO DE ESQUERDA

MÁRIO AUGUSTO JAKOBSKIND -

Ele se intitula porta-voz dos defensores da ditadura empresarial militar de 64.
É de uma estupidez histórica sem par e que circula e de alguma forma pode ser aceita por ignorantes que pululam nas redes sociais. Como dirigia Umberto Eco, em tais espaços comportam pessoas estúpidas. Um exemplo concreto dessa estupidez é o surgimento de ideias apontando o nazismo como sendo de esquerda.

A citação de Bolsonaro é automática, porque o parlamentar é bem próximo desse tipo de menção que se vale da ignorância. O referido deputado, que se apresenta como candidato à Presidência da República, geralmente se vale da ignorância e da falta de memória de alguns incautos para proferir asneiras semelhantes ao do tipo que afirma ser o nazismo de esquerda.

Para simplificar o entendimento, o nazismo é uma espécie de regra três do capitalismo. Só prolifera exatamente onde esse sistema econômico está em crise.

Na Alemanha se desenvolveu com o apoio e financiamento de grandes empresas, como acontecia no período sombrio da ditadura empresarial militar no Brasil, cuja repressão assassina era bancada por empresas. Haja vista a chamada Operação Bandeirantes e assim sucessivamente. Hoje, por exemplo, se sabe que a Wolkswagen estava associada a repressão, seja interna contra os trabalhadores da empresa, como também com grupos que nos porões da ditadura cometiam crimes até hoje impunes.

No caso atual, quando o nazismo, de extrema direita, tem novamente dado o ar de sua graça, como nos Estados Unidos, é preciso estar atento e denunciar essa forma de manifestação covarde que mata sem piedade, como aconteceu no último fim de semana em que se assassinou uma manifestante contrária aos racistas nazistas que aparecem em público, possivelmente estimulados pelos mesmos setores que nos anos 30 possibilitaram a ascensão do famigerado III Reich.

Todo cuidado é pouco, porque os nazistas ainda existentes nos mais diversos rincões, inclusive por aqui, se sentem estimulados. Aí aparecem os ignorantes históricos com afirmações estúpidas como a de que o nazismo é de esquerda. Mas não basta apenas apontar a ignorância que se manifesta nas redes sociais. É necessário unir esforços para evitar que dias sombrios, como no III Reich nazista e na ditadura empresaria militar que esteve vigente no Brasil durante 21 anos, como defende Bolsonaro, se repitam.

É preciso também o máximo de esforços no sentido de evitar que neste continente latino-americano volte a proliferar tentativas de retorno aos tempos em que a região era considerada um “quintal” ou ”pátio traseiro“ dos Estados Unidos.  Em suma, mais uma vez todo cuidado é pouco com o que tenta impor o Departamento de Estado norte-americano e que é às vezes apoiado por incautos envenenados pela mídia comercial conservadora. Até porque, se esse ponto de vista prevalecer se repetirão os tempos tenebrosos do III Reich nazista, com outros rótulos.

* Via site Brasil de Fato

OS FILHOS DE CORNÉLIA OU A HISTÓRIA COMO TRAGÉDIA

Por PEDRO AUGUSTO PINHO -


Os irmãos Graco são parte da História da Roma antiga e mais conhecidos, talvez, pelo exemplo de sua mãe. Conta a lenda que recebendo em sua casa uma socialite, vaidosa e oca, como vocês conhecem várias bate panelas, coberta de joias, pergunta à Cornélia: onde estão suas joias? E a mãe de Tibério e Caio chama seus filhos e responde: estas são minhas joias.

E ambos mostraram a assertiva de sua mãe no futuro comportamento político.

“Os novos problemas sociais não podiam ser equacionados dentro das estruturas, que não abriam espaço para outros interesses senão os da oligarquia”, estarei comentando o Brasil do século XXI? Não, transcrevo da historiadora Maria Luiza Corassin, doutora pela Universidade de São Paulo, o início do capítulo “As Reformas de Tibério e Caio Graco”, de “Sociedade e Política na Roma Antiga” (Atual Editora, São Paulo, 2ª tiragem, 2011). São tantas as semelhanças das ações dos Graco, com as que ocorrem no Brasil atual, que meu caro leitor irá, com certeza, ter dúvida se reproduzo a obra citada ou descrevo nossa desdita.

Em 133 a.C., Tibério Graco era tribuno da plebe na República Romana.. A questão das terras públicas (ager publicus) estava na ordem do dia. Sua proposta reafirmava lei anterior fixando o limite máximo de ocupação destas terras por  família. Os senadores avançavam em muito mais do que permitia a lei e, com isto, criavam dificuldade para fixar novos proprietários que abasteceriam Roma e seriam eventuais guerreiros da república. Tibério foi considerado subversivo, os “ricos por toda parte se reuniam” temendo terem suas propriedades contidas nos limites legais. Armaram um “tumulto no dia da assembleia eleitoral”, Tibério foi assassinado e seus partidários perseguidos.

Mas não parou aí. Em 123 a.C. Caio assume o cargo de tribuno da plebe. As questões sociais se avolumavam. Existia um tribunal de júri, “composto de senadores, sempre parciais ou venais no julgamento de membros de sua própria ordem” Caio transferiu o júri para os “cavaleiros”, propôs cidadania romana para os latinos, incumbiu o Estado de fornecer os equipamentos dos recrutas e, com algumas medidas de alcance social, beneficiou os cidadãos e os comerciantes.

Mas a oligarquia senatorial, com manobras demagógicas, divulgando falsamente que Caio iria dividir privilégios dos romanos com outras etnias, assustou a plebe e incentivou cavaleiros e homens de negócio a abandonarem Caio. Estes, “que já haviam obtido o que desejavam, retornavam à aliança com os senadores, com os quais tinham afinidade social”. Não conseguindo se reeleger, considerado inimigo público Caio se fez matar. “O cônsul desencadeou uma violenta repressão contra os defensores dos Gracos. A oligarquia conseguiu naquele momento sufocar o movimento reformista, fortalecendo seu poder”.

A violência passou a ser o instrumento dos conservadores do Senado. Avolumavam-se os problemas sociais e políticos sem solução. “O Estado romano, nas mãos de uma oligarquia fechada e conservadora, não encontrava os instrumentos necessários para administrar um império cada vez mais complexo”. Começam a explodir movimentos reivindicatórios. “A vida política em Roma, na fase final da República, foi caracterizada por um clima de insegurança, sendo constantes perturbações por conjurações, assassinatos e tumultos nas ruas”. Campeiam as traições.

Os generais, vitoriosos em combates contra piratas e escravos e em guerras no Oriente, formam um triunvirato e termina a República.

É assim que caminha nossa república? Mas não serão os generais, os substitutos da oligarquia conservadora e corrupta.. Os representantes do poder financeiro já são estes magistrados. Para eles a insegurança jurídica foi fácil. Quem arriscará hoje investir em algum empreendimento produtivo? Quem fará algo diferente do que especular, sendo a nação a perdedora habitual?

Assim não veremos apenas o fim da república, mas do Estado Brasileiro.

Às panelas, às farsas, aos julgamentos sem prova, às ofensas e vão destruindo o Brasil. Os vencedores nem são brasileiros. Moram em locais que poucos conhecem e detêm mais riquezas do que 90% da população da Terra.

Os coxinhas, seus capitães do mato, seus agentes no judiciário não os conhecerão jamais. Mas continuarão cumprindo suas ordens para destruir um país, como os senadores destruíram a República.

É a nossa tragédia. Mais de 2000 anos após Roma republicana.

* Via e-mail. Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

PRESIDENTE DO SINTHORESSOR PARTICIPA DE FÓRUM PARA ERRADICAÇÃO DE TRABALHO INFANTIL

Via SINTHORESSOR -



O presidente da FETRHOTEL (Federação Interestadual dos Trabalhadores Hoteleiros de São e mato Grosso do Sul) e do SINTHORESSOR (Sindicato dos Trabalhadores do Setor Hoteleiro de Sorocaba e Região), Cícero Lourenço Pereira, participa agora a noite da solenidade de lançamento do Fórum Permanente do Município de Sorocaba para Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FPETI). O evento começa as 19h30 e será realizado na Faculdade de Direito de Sorocaba.

O FPETI será composto por órgãos públicos, entidades não governamentais, entidades representativas de trabalhadores e de empregadores, instituições, pessoas jurídicas, voltados para a garantia dos direitos da criança e do adolescente e que manifestem seu interesse em integrá-lo e cumprir suas finalidades e objetivos, terá como objetivo garantir os direitos fundamentais da criança e do adolescente, com ênfase na prevenção e erradicação do trabalho infantil e proteção ao adolescente trabalhador.

Entre os integrantes do fórum está João Batista Martins César, Juiz e Desembargador do Trabalho.

Segundo os organizadores do evento o fórum reúne esforços que são decisivos para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, notadamente sem a chaga do trabalho infantil, dando concretude ao disposto no artigo 227 da Constituição da República, ou seja, a proteção integral e absolutamente prioritária de nossas crianças e adolescentes.

1- MEIRELLES ANUNCIA ROMBO DE R$ 159 BI, QUE PODE PARAR A MÁQUINA PÚBLICA; 2- CNJ MANDA SUSPENDER PAGAMENTOS MILIONÁRIOS A JUÍZES DO MATO GROSSO

REDAÇÃO -


Não poderia ser diferente... Fiasco da política econômica leva a equipe de Michel Temer a anunciar um rombo de R$ 159 bilhões como meta fiscal para este ano, que pode colocar em risco atividades essenciais do Estado. Irresponsáveis a serviço do capital.

Como o rombo acumulado em 12 meses já soma cerca de R$ 180 bilhões, o ministro Henrique Meirelles terá que cortar ainda mais despesas, já que a base de Temer avisou que novos aumentos de impostos não passarão no Congresso. Aguardem.

O aumento do deficit em R$ 20 bilhões representa um fracasso retumbante para o nada competente Henrique Meirelles.

***
CNJ manda suspender pagamentos milionários a juízes do Mato Grosso

O corregedor Nacional de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, determinou a abertura de pedido de providências para suspender os pagamentos milionários de salários de juízes no Mato Grosso. A Coluna do Estadão noticiou ontem que o juiz Mirko Vincenzo Giannotte, da 6ª Vara de Sinop (MT), recebeu no mês de julho R$ 415.693,02 líquido de salário, segundo dados do portal da transparência do Tribunal de Justiça do Mato Grosso. O valor bruto pago foi de R$ 503.928,79. Hoje, a Coluna mostrou outro caso: o juiz Mario Augusto Machado recebeu no contracheque do mês de julho R$ 404.112,09 do Tribunal de Justiça do Mato Grosso.

O ministro Otávio Noronha esclareceu que não houve autorização por parte da Corregedoria do CNJ para os pagamentos aos 84 magistrados, referentes a substituições de entrância entre 2005 a 2009. Noronha explica, em nota à imprensa, que o Tribunal do Mato Grosso fez os pagamentos amparado em uma decisão do ministro-corregedor, de janeiro deste ano, em que foi autorizado o pagamento de R$ 29.593,08 a uma juíza referente a diferenças de substituição de entrância. “Cabe ressaltar que esta decisão (PP 0005855-96.2014) é específica e não é extensiva a outros casos”. (…)
(via Estadão)

É CONSTITUCIONAL O IMPEACHMENT DE MINISTROS DOS TRIBUNAIS SUPERIORES

HELIO FERNANDES -

Só que os que devem julgar, e que são os que têm que preservar a Constituição, não se interessam, não se preocupam, não providenciam. Pelo menos deviam fazer a denuncia, providenciar o processo, estabelecer o julgamento, deixar que os supostos acusados, se defendam.

Em menos de 25 anos, dois presidentes perderam o mandato. E um terceiro ainda não sofreu a mesma sanção por causa de uma contradição: vem sendo defendido no TSE, pelo próprio Ministro que  devia julgá-lo. E no processo pedido pelo próprio Supremo, é aconselhado por esse mesmo Ministro  que pode vir a julgá-lo.

Leia mais na COLUNA

MALCOLM X – “ELES ME CHAMARAM DE O NEGRO MAIS RAIVOSO NA AMÉRICA” - FILME COMPLETO

REDAÇÃO -


Malcolm X expressou a fúria de milhões contra a pobreza, o racismo e a brutalidade policial. Evoluindo de um Nacionalismo Negro para o anticapitalismo e chegando ao socialismo, ele continua como uma inspiração para todos aqueles que desafiam o sistema capitalista, racista e excludente.

“Por que eu sou como sou?”

Malcolm X experimentou o racismo desde seu nascimento. Forçado por supremacistas brancos a mudar de casa, Malcolm ainda era jovem quando estes assassinaram seu pai. As companhias de seguro recusaram-se a pagar “afirmando que meu pai cometeu suicídio... como o meu pai poderia espancar a si mesmo na cabeça e caminhar até o trilho dos bondes para ser atropelado?”.

Leia mais em CULTURA

Dirigido por Spike Lee, o Filme Malcolm X é um retrato da vida pública e pessoal de uma das mais importantes figuras do movimento negro e da sociedade norte americana. Confira:

DE VOLTA

MIRANDA SÁ -

“A corrupção dos governantes quase sempre começa com a corrupção dos seus princípios” (Montesquieu).


Como um filme, ainda passa nos meus olhos e na minha consciência, a luta que mantivemos nas redes sociais denunciando os roubos da quadrilha Lula-Cabral-Ricardo Teixeira-Paes nas Olimpíadas e na Copa do Mundo. Enfrentamos, além desta poderosa ORCRIM, a maré popular, ingênua e cega, encantada pela propaganda e um falso ufanismo.

É com alegria que vemos voltar à cena as denúncias de corrupção naqueles dois eventos, fazendo realidade a ficção exposta no excelente filme “De Volta para o Futuro” dirigido e escrito por Robert Zemeckis e a viagem no tempo de Marty McFly  com as invenções malucas do Dr. Emmett Brown.

Não é só aqui que estão pipocando memórias e delações premiadas. Conforme noticiou o Le Monde na semana passada, a Justiça francesa investiga suspeitas de pagamento de propina na escolha do Rio como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

O pau já nasceu torto. Vimos Lula, no auge da sua popularidade, sempre cobiçoso, explorar a Copa do Mundo sediada no Brasil e se postou na linha de frente da gangue que corrompeu o Comitê Olímpico.

De braços dados com Ricardo Teixeira, o mafioso da CBF, e ao lado de Cabral, notório assaltante dos cofres públicos, Lula discursou em Johanesburgo dizendo que “A Copa será uma grande oportunidade para acelerar o crescimento em infraestrutura necessário para o desenvolvimento do nosso Brasil”.

Foi o aval necessário para a compra da eleição do Rio como sede olímpica. A transação foi executada por Arthur Cesar de Menezes Soares, amigo e sócio na roubalheira do ex-governador Sérgio Cabral.

É inegável que o assalto não teria se consumado se não fosse no palco da Fifa, a arqui-corrupta Federação Internacional de Futebol, e no COL, o não menos criminoso Comitê Olímpico.

Parafraseando Lula, na escandalosa roubalheira praticada pelos seus comparsas “foi uma grande oportunidade para estabelecer uma desenfreada corrupção e o fortalecimento da quadrilha que afundou o Brasil”.

É isto que agora aparece e se comprova de volta para o futuro. Assiste-se como era feito o favorecimento para empreiteiras, os sobrepreços, as propinas e o caixa dois. É com indignação e revolta que lembramos a construção e a reforma dos 12 estádios entre junho e julho de 2014. Desses 12, somente dois escaparam da sanha maldita dos quadrilheiros, o Beira-Rio, em Porto Alegre, e a Arena da Baixada, em Curitiba.

Delações da Odebrecht e da Andrade Gutierrez envolveram figurinhas carimbadas, além de Sérgio Cabral e Eduardo Paes. Entrou também na divisão do butim Eduardo Cunha, e Lula, este sempre poupado nas delações das grandes construtoras, embora tenha escorregado na lambança do Tríplex do Guarujá com outra beneficiária de obras, a OAS.

Ficou esclarecido o preço das propinas estabelecido por Sérgio Cabral: 5% do valor orçado nos empreendimentos, tanto em 2014 como em 2016. O montante do desvio criminoso, só na reforma do Maracanã, foi de R$ 30 milhões.  Nas listas do Departamento de Propinas da Odebrecht com o pseudônimo “Nervosinho”, Eduardo Paes recebeu R$ 15 milhões, e Cunha, segundo a Procuradoria-Geral da República, R$ 1,9 milhão.

Diante deste quadro horrendo, voltemos ao passado com Rui Barbosa: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”.