26.8.16

FRENTISTA ASSUME CARGO NO CONSELHO NACIONAL DO SENAC

Via SINPOSPETRO-RJ -

As ações desenvolvidas pelo SINPOSPETRO-RJ em defesa dos direitos dos trabalhadores ganham, a partir de agora, mais repercussão no país com a entrada do presidente do sindicato, Eusébio Pinto Neto, no Conselho Nacional do Senac. Ele assume nesta sexta-feira(26), às 15h, o cargo de conselheiro em reunião ordinária do Conselho Nacional do Senac, que acontece no Rio de Janeiro.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ foi indicado para o cargo pela Força Sindical pelo trabalho realizado para libertar os frentistas em todo o país. Como frentista e sindicalista, Eusébio Neto fundou vários sindicatos da categoria no Brasil, representando a Federação Nacional dos Frentistas (FENEPOSPETRO).

A participação de um frentista no Conselho Nacional do Senac é de extrema importância para categoria, já que a instituição desempenha um papel fundamental no mundo do trabalho com ações educacionais e disseminando conhecimentos no setor de Comércio de Bens, Serviços e Turismo. O Senac presta também um enorme serviço a comunidade brasileira na formação técnica, ensino regular e promoção social. Através de organizações sociais, a instituição promove o desenvolvimento das pessoas.

O Senac já preparou mais de 40 milhões de pessoas para o mercado de trabalho contribuindo para a valorização do empregado, por meio de sua capacitação profissional em diversas áreas de formação, incluindo cursos de idiomas. A instituição oferece inserção social por meio de bolsas e outros serviços gratuitos aos mais carentes.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, disse que a indicação para o cargo de conselheiro vai fortalecer ainda mais as ações em defesa dos direitos dos frentistas de todo o país. Cada central sindical só pode indicar dois trabalhadores para o Conselho Nacional do Senac, um representante e outro suplente.

Segundo Eusébio Neto, a indicação é consequência do trabalho que vem desenvolvendo ao longo dos anos. Ele diz que a atuação como diretor suplente na Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio(CNTC) e a participação na Operativa da Executiva Nacional da Força Sindical o qualificaram para o cargo de conselheiro no Senac.

Há mais e vinte anos no movimento sindical, o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, tem liderado lutas para conquistar melhorias para os 600 mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência em todo o país.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ.

A SENADORA TEM RAZÃO; AS MENTIRAS DA REDE GLOBO

MIRSON MURAD -


A senadora do PT, em plenário, durante o início do processo definitivo pela cassação da presidenta da República, hoje, disse que a maioria dos senadores presentes não teriam envergadura moral para votar contra Dilma.

A senadora está coberta de razão. Caiado, Aecinho, Aloysio, Renan, Anastasia, Malta... enfim, a maioria esmagadora dos presentes, especialmente aqueles que mais vociferam são Fichas Sujas. Alguns deles bem imundas.

AS MENTIRAS DA REDE GLOBO

A Rede Globo mente sempre, não para de mentir. Se não vejamos; O ministro Lewandowski recusou a testemunha de acusação, a primeira convocada, por seu envolvimento e disse que o procurador confirmara.

O Jornal Nacional disse que ele negara. É assim sempre. A Globo dá notícias com exclusividade mas, inúmeras delas saem também, e até antes, na Band.

A Vênus Platinada informa que acaba de acontecer certos fatos que já foi noticiado por Ricardo Boechat uma hora antes, na Band.

É ainda a Rede Globo que desinstrui a população com récord e muitas outras firulas, assistidas sem reação posterior pelos membros da ABL, pelos ministérios da Educação e Cultura.

DEFESA DA PETROBRÁS E DO NOSSO PETRÓLEO: A LUTA PETROLEIRA JÁ RECOMEÇOU!

Via Sindipetro-RJ, Jornal Surgente N.1401 – 


A greve da BR de cinco dias contra a venda da empresa, em defesa dos campos maduro, a de advertência de 24 horas da FUP e FNP no dia 16 deflagraram o processo de luta dos petroleiros. Vamos protocolar a pauta histórica no dia 26, vamos disponibilizá-la em nossos sites e vamos realizar assembleias até o dia 15/9 para aprovar a pauta e delegar a FNP para negociar em nosso nome dos nossos sindicatos.

A resistência da categoria ao PIDV, que a direção da Petrobrás esperava uma adesão de 12 mil, até agora só atingiu 7 mil. Fora os aposentáveis, que achamos razoável aderirem, para os novos funcionários consideramos um tragédia ou suicídio. Na era FHC, aconteceu o mesmo incentivo: a demissão ‘voluntária’. 99% dos que aderiram ou foram forçados, se arrependeram. Estão até hoje organizados nos sindicatos tentando sem sucesso o retorno.

O cenário econômico de hoje é o mesmo na época dos tucanos, os concursos públicos vão ficar cada vez mais raro. O terror aplicado aos trabalhadores no governo de FHC, que forçou as adesões  é o mesmo no governo golpista Temer. Companheiro, caso você tenha se inscrito ao PIDV desista!

Se tem um setor viável no país é o do petróleo que através do nosso trabalho garante a autossuficiência de petróleo no mínimo nos próximos 50 anos. O fato é que a Petrobrás com os impostos que arrecada garantiram até hoje 80% das obras do país, que têm gerado milhões de empregos diretos e indiretos.

Existem boatos na base de que a empresa estaria disposta até a fazer concessões a categoria nas negociações para nos afastar da luta principal: a defesa da Petrobrás e do nosso petróleo, barrando a venda de ativos e a flexibilização do pré-sal. Se o cala boca se concretizar, estaremos entregando nossos empregos. Foi assim nas empresas privatizadas. Nossos inimigos querem transformar nossa empresa em simples exportadora de petróleo cru. Para tanto, o efetivo está inflado.

Lutaremos para que nenhum direito nosso seja retirado ou diminuído. Além de combater a venda de ativos, devemos priorizar neste instante a luta contra a flexibilização da lei vigente para a extração do pré-sal e, igualmente, exigir a continuação da construção das refinarias do Maranhão e Ceará, para alcançarmos a autossuficiência no refino e pararmos de importar gasolina e diesel. Temos que construir o braço petroquímico do Comperj, setor mais lucrativo do petróleo.

O ataque à Petrobrás e aos petroleiros é o maior da História. Pedro Parente é um cavalo de aluguel das multinacionais estrangeiras, além de conhecido vendilhão do País e por sua incapacidade enquanto ministro do Apagão da Era FHC. Precisa ser derrotado. Derrotamos Phillipe Reischstul, Francisco Gros, Bendine... Sabemos fazê-lo.

Para a categoria, não existe zona de conforto: se correr, o bicho pega. Se ficar, o bicho come. SE UNIR, O BICHO FOGE!
Fora Parente! Fora Temer!

A DEPOSIÇÃO DE DILMA E A QUEBRA DO PACTO SOCIAL BÁSICO NO BRASIL

JOSÉ CARLOS DE ASSIS -


É possível que para milhões de brasileiros o que aconteceu em Brasília nos últimos meses, com o coroamento agora da deposição definitiva de Dilma Rousseff, seja uma “simples” troca de governo do PT para a aliança PMDB-PSDB-DEM. É um equívoco. O que aconteceu foi a ruptura do pacto social básico do país que, desde Getúlio Vargas, e confirmado até pela ditadura de 64, estendeu-se pelo governo de conciliação de Lula e equilibrou as relações básicas da sociedade brasileira sem grandes convulsões sociais durante décadas.

O símbolo do Governo interino que se apropriou do poder sem votos é sua estreita colaboração com a Fiesp de Paulo Skaf, sendo o traço característico de Skaf – que sequer é industrial - a profunda ignorância em relação aos interesses da própria burguesia brasileira. Por mais de um século os empresários que representaram a classe capitalista foram suficientemente inteligentes para acolher pelo menos parte dos interesses dos trabalhadores como condição de convivência e, naturalmente, de preservação e ampliação de seus próprios lucros a partir daí.

Skaf não se preocupa com isso porque, na condição de dono de um armazém e não de uma indústria, não precisa de se preocupar com empregados. Na verdade, sua exclusiva preocupação é administrar como bem entende os bilhões de reais que irrigam os cofres do Senai e do Sesi, uma aberração brasileira que coloca impostos públicos sob gestão de empresários privados. Por outro lado, não admira que Temer leve tanto em consideração os conselhos de Skaf. Foi ele quem geriu um caixa de R$ 500 milhões para comprar o impeachment de Dilma, dinheiro recolhido entre alguns presidentes de federações que certamente o tiraram do mesmo lugar, o Sesi/Senai financiado por imposto.

A forma como a burguesia conciliou seu apetite de lucros com salários controlados por ela mesma foi o que chamo de mais valia social. Em síntese, a mais valia social é o tributo distribuído em programas de interesse social e despesas de infraestrutura do governo. Em termos rigorosos, é a parte do valor da mercadoria produzida pela força de trabalho acima do salário que é apropriada pelos não produtores diretos, ou seja, o próprio capitalista, o rentista e o governo. É a mais valia social que financia a saúde, a educação, a previdência, o Estado de bem-estar social enfim.

Uma vez retirada a mais valia social, resta aos trabalhadores a luta de classes a fim de obter salários diretos que lhes garantam um mínimo de bens e serviços de sobrevivência. Como contrapartida, os lucros advindos da mais valia convencional explodem, na media em que a burguesia se apropria da mais valia social. Essa é uma bela receita para convulsões sociais. A Europa e os Estados Unidos já passaram por isso em tempos de grandes crises sociais no passado. Skaf quer trazer isso para o tempo presente no Brasil, e Temer, com aquela expressão de tão alienado quanto ele, se associou à tarefa politicamente estúpida.

Trata-se de uma situação tão claramente regressiva que eu próprio me vejo usando um terminologia originalmente marxista para descrevê-la. Justifica-se. É efetivamente uma regressão. Bata olhar a pauta Temer-Renan, e agora Rodrigo Maria, para concluir que o Brasil está andando para trás de forma acelerada. Imagine-se quando o interino se tornar permanente. Está em curso uma pauta de abolição de direitos consagrados na Constituição em nome de um suposto equilíbrio fiscal que é fruto exclusivamente de uma ideologia que interessa sobretudo a banqueiros e financistas, e finalmente visando ao Estado mínimo. Certamente, isso não acabará bem!

*Economista, doutor pela Coppe/UFRJ, autor de mais de 20 livros sobre economia política brasileira.

COMEÇA A CAÇA A DILMA E A NECESSÁRIA CASSAÇÃO DE TEMER

HELIO FERNANDES -

A partir das 9 da manhã de ontem, pontualmente, teve inicio a ultima fase da usurpação de um presidente incompetente, mas eleito. Por outro, igualmente incompetente, mas que jamais disputou eleição majoritária. O máximo a que chegou foi duas vezes a vice, carregado pela cabeça da chapa, duplamente financiado por dinheiro de propina da corrupção. Assunto e rotina eleitoral, que ele conhece muito bem. E desde sempre. Jamais poderia ser presidente, mesmo provisório.

Como vice e se arrogando a condição de constitucionalista, poderia ou deveria ter alertado a presidentA, (como os subservientes chamavam) "isso pode ser caracterizado, mais tarde em crime de responsabilidade". Ficou em silencio, usou o fato contra ela, na fase da USURPAÇÃO. Posição revoltante, exercida e assumida por ele, com a cumplicidade comprometida e comprometedora do corrupto Eduardo Cunha.

Leia mais ma COLUNA

TRABALHADORES DO SISTEMA PETROBRÁS FAZEM PROTESTO EM DEFESA DA EMPRESA; STÉDILE DIVULGA APOIO AOS PETROLEIROS [VÍDEOS]

Via Agência Petroleira de Notícias -

O abraço à subsidiária de logística, operadora de navios e oleodutos do sistema coloca em pauta a luta contra o desmonte da Petrobrás e o processo de privatização de empresas da holding como BR Distribuidora, Liquigás, Transpetro e entrega do Pré-sal.


***

Stédile divulga apoio à greve dos petroleiros

Em defesa do pré-sal, da Petrobrás e dos recursos naturais do país.

No vídeo, o líder do MST João Pedro Stédile diz que a crise econômica, política, ambiental e institucional que o Brasil atravessa  está inserida numa crise do capital internacional. O golpe que levou Temer à presidência visa transferir recursos naturais brasileiros para os países do Norte, sede das transnacionais que pretendem se apropriar desses recursos, especialmente o petróleo. Também faz parte do projeto de Temer, que representa os interesses do capital transnacional em aliança com parte da burguesia nacional, a redução drástica dos direitos sociais e trabalhistas. Assista!

COMEÇAR SEM ELES

CARLOS CHAGAS -


Magalhães Pinto era presidente do Senado Federal, quando o regime militar já havia perdido o frágil apoio que recebera da opinião pública em 1964. De repente, os generais foram surpreendidos pelo fenômeno da fadiga dos metais. “Um avião ficou anos transportando passageiros de uma cidade para outra sem o menor acidente ou dificuldade técnica. Só que um dia explodiu. Não houve erro do piloto, nem tempestade, sequer gasolina adulterada ou sabotagem. Simplesmente, explodiu. A causa foi afinal detectada: fadiga dos metais, que se recusaram, não aguentaram mais voar.”

Isso aconteceu com a ditadura que nos assolava, hoje acontece com o sistema de governo estabelecido desde a ascensão do PT ao governo. O climax da exaustão do regime chegou em meio ao processo de impeachment de Dilma Rousseff. A performance do modelo incinerado por Madame chegou ao limite, ontem, quando seus últimos defensores, encenando uma pantomima sem graça, sustentaram que o Senado não tinha moral para julgá-la, nem o Supremo Tribunal Federal, muito menos as instituições pelas quais somos regidos. Explodiram a ex-presidente e junto com ela tudo o que restou da aventura da Nova República. Nem se fala do papelão das três senadoras e do senador que compunham o quarteto funerário. Foram apenas os coveiros, mostrando até onde pode ir a ignorância humana.

Gleise, Vanessa, Fátima e Lindberg, acolitados por mais um monte de obstinados, conseguiram botar o país em frangalhos, com a colaboração de seus adversários. Por quase três horas impediram o desenvolvimento de um processo constitucional que poderia encerrar uma sequela banal.

Entre procrastinações e agressões, contribuíram para demonstrar à população que tudo deve começar de novo. Mesmo sem eles, seus  partidos políticos, suas leis, seus poderes e até seus eleitores.

Dilma já estava condenada, semanas atrás. A sentença sairá em alguns dias, caso o processo no Senado se estenda mais um pouco. Como recomeçar parece cada dia mais dificil....

SINDICATO PROMOVE JÚRI SIMULADO SOBRE LEI MARIA DA PENHA

Via SINDICATO DOS COMERCIÁRIOS-SP -


Agosto é o mês de aniversário da Lei 11.340, batizada de Maria da Penha, que cria mecanismos para coibir toda e qualquer violência praticada contra a mulher.

Uma década de existência na legislação motivam celebrações por ajudar nas mudanças de comportamento e salvar muitas vidas, mas serve também como estímulo para buscar avanços, devido os índices de violência ainda serem altos. São mais de um milhão de mulheres vítimas da violência doméstica no País, segundo o Ipea.

É no contexto de colaborar por uma sociedade mais consciente e menos violenta que  a Secretaria da Diversidade do Sindicato dos Comerciários de São Paulo realizou, no último dia 24, um Júri Simulado sobre o uso da Lei Maria da Penha. A atividade aconteceu na sede da Procuradoria Regional da República em São Paulo.

“Sabemos que a violência doméstica persiste e, de forma lúdica, vamos tentar levar ao público a importância de denunciar e fazer uso da Lei Maria da Penha. Esta é uma forma mais criativa para falar do assunto”, disse Cleonice Caetano Souza, diretora da Secretaria da Diversidade do Sindicato.

O Sindicato já realizou júris em diversos lugares públicos e privados como hospitais, empresas, faculdades, shoppings, praças públicas, etc.

Mais fotos:
https://www.flickr.com/photos/comerciariossp/albums/72157671954930271

TERCEIRIZAÇÃO: ENTIDADE PATRONAL FAZ CAMPANHA EM FAVOR DA REGULAMENTAÇÃO E CHAMA MOVIMENTO SINDICAL DE MENTIROSO

Via DIAP -

A Associação Nacional das Empresas Promotoras de Crédito e Correspondentes no País (ANEPS) tem feito uma campanha institucional na internet em apoio à aprovação do Projeto Lei da Câmara (PLC) 30/2015, que dispõe sobre a terceirização em tramitação no Senado Federal.


Via e-mail, a entidade manda “alertas” chamando atenção para a enquete que o Senado Federal lançou na internet sobre o projeto de terceirização em discussão na Casa. No comunicado, pedem haja ampla divulgação e esforço para reverter o placar que hoje, 24/08, conta com 8.624 votos a favor e 47.017 votos contrários ao projeto da terceirização.

No comunicado a ANPES pede: “divulgue na sua rede, no Facebook, peça ajuda aos amigos, na sua empresa, seus colegas etc. Não poupe esforços, pois essa luta também é sua! VOTE A FAVOR através do link:https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=120928”.

“Movimento sindical mentiroso”
Na campanha em favor da terceirização a ANEPS destaca que “o Sindicato dos Bancários, assim como outros sindicatos ligados à CUT, espalham boatos de que a terceirização é danosa aos trabalhadores, argumentando que a terceirização torna o trabalho precário”.

E prossegue a entidade patronal: NÃO EXISTE MENTIRA MAIOR!. Assim como a maioria dos discursos defendidos pela ELITE SINDICAL, a afirmação é oposta a verdade. Com a terceirização, essa elite teme somente pelos seus cofres arrecadatórios.”.

Íntegra do e-mail enviado pela ANEPS

“Caro Correspondente,

Alerta Importante:

Essa não é uma luta do patrão ou do empregado: ESSA É UMA LUTA PELO TRABALHO E PELO EMPREGO, pois sem a vitória nessa batalha não existirá nenhum dos dois.

ANEPS se posiciona fortemente a favor da regulamentação dos serviços terceirizados, ou serviços especializados, como o próprio Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, se refere ao assunto (Veja entrevista do ministro ao Jornal da Globo, exibida no dia 20 de julho passado).

O Sindicato dos Bancários, assim como outros sindicatos ligados à CUT, espalham boatos de que a terceirização é danosa aos trabalhadores, argumentando que a terceirização torna o trabalho precário.


NÃO EXISTE MENTIRA MAIOR!
Assim como a maioria dos discursos defendidos pela ELITE SINDICAL, a afirmação é oposta a verdade. Com a terceirização, essa elite teme somente pelos seus cofres arrecadatórios.

No serviço especializado, como na Ciência, quanto mais se descobre e quanto mais especialista o mundo se toma, mais subdivisões de especialidades do conhecimento são necessárias.

A REALIDADE
Por pressão sindical, no final de 2011 o Banco Central editou medida que culminou com a demissão de mais de 40 MIL pessoas em 2012. Uma atitude covarde da instituição reguladora, que até hoje não se explica, já que foi uma posição política e sindical.

Já os Sindicatos dos Bancários e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) adoçaram o discurso com o argumento de que com isso os bancos contratariam mais e em melhores condições.

CONCLUA VOCÊ MESMO
Veja estudo do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) pertencente aos sindicatos de elite.


BancoNº de Empregados
201320142015
Itaú/Unibanco95.69686.19283.481
Bradesco100.48995.52092.861
Banco do Brasil112.216111.628109.191
Caixa Econômica Federal98.198100.67797.458
Santander49.62149.30950.024
TOTAL456.220443.326433.015
Variação – ano anterior- 12.894- 10.311
Total demissões- 23.205
Fonte: Demonstrações Financeiras dos Bancos
Elaboração: DIEESE – Rede Bancários

Ou seja, a grande verdade é que além dos mais de 40 MIL correspondentes que perderam seus empregos, mais de 23 MIL bancários foram demitidos. Por isso, mais uma vez a ANEPS pede que você ajude a salvar o seu próprio emprego, e o de milhares de trabalhadores do nosso e de outros segmentos. Vote a favor da regulamentação dos serviços terceirizados na consulta pública do Senado Federal.

Divulgue na sua rede, no Facebook, peça ajuda aos amigos, na sua empresa, seus colegas etc.

Não poupe esforços, pois essa luta também é sua!

VOTE A FAVOR através do link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=120928

25.8.16

PRESIDENTE DA UGT COBRA DO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO IMPLANTAÇÃO DO PISO REGIONAL

Via UGT -


Câmara, governador de Pernambuco recebeu em seu gabinete, na tarde desta quarta-feira (24), Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Gustavo Walfrido, presidente da UGT-PE e Aldo Amaral, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada de Pernambuco (Sintepav).

Os sindicalistas levaram a conhecimento do governador a real situação dos trabalhadores e trabalhadoras que hoje encontra-se desempregados com a paralisação das atividades na Refinaria de Abreu e Lima e no Complexo Industrial Portuário – SUAPE. “Temos ao todo 40 mil trabalhadores desempregados e apesar de já termos resolvido uma parte, ainda tem cerca de 10 mil trabalhadores que não receberam sequer suas verbas rescisórias”, explica Aldo.

“O sr. Sabe que a justiça é lenta e tem coisas que está fora do alcance do sindicato, por exemplo, em novembro deste ano teremos o dead line para uma empresa pagar o que deve aos trabalhadores, se ela não fizer os pagamentos iremos pedir sua falência, só ai já temos uma ação que envolve  mais de 5 mil profissionais. A outra deve 130 milhões e até agora conseguimos o bloqueio de 10 milhões, é muito pouco perto do montante, contudo o Sindicato está na briga, mas nem tudo depende da gente”, relata Aldo.

Patah enfatizou que este foi um encontro emergencial para definir estratégias que visem amenizar o sofrimento dos trabalhadores e trabalhadoras prejudicados com a paralização de todas as obras do estado. “Sabemos que a responsabilidade não é do governo do estado, mas queremos um apoio ou que seja feito um acordo para que possamos reconstruir alguns caminhos que estimulem o retorno dos postos de trabalho na região”, diz o líder ugetista.

O presidente da UGT esclareceu que a assembleia que aconteceu na Praça da Estação de Cabo de Santo Agostinho, com a presença do ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira foi emblemática, pois os trabalhadores estão sem oportunidade de trabalho e, como forma de protesto, milhares de pessoas entregaram seus currículos para o ministro, que ficou emocionado, pois ali existem famílias que já estão vivendo em completa miséria, sem dinheiro para comer ou para pagar aluguel.

“Há algum tempo o estado de Pernambuco vivia um desenvolvimento formidável, graças a realização de obras importantíssimas, como a transposição do Rio São Francisco, entre outras. Mas  de uma hora para outra houve um efeito dominó, em que tudo foi caindo até chegar na situação que estamos vendo hoje. Nós da UGT temos sugestões para que possamos juntos iniciar um processo de inclusão social, precisamos sinalizar caminhos que façam o estado voltar a se desenvolver”, propõe Ricardo Patah.

O governador Paulo Câmara, que recebeu das mãos de Aldo um documento contendo 12 pontos principais que retratam as dificuldades do trabalhador pernambucano, se comprometeu com a UGT em aprofundar esses debates e, de uma forma rápida, como o caso requer, buscar caminhos viáveis para resolver a situação desses trabalhadores.

Uma central diferenciada

Gustavo Walfrid, presidente da UGT-PE, em seu relato, explicou ao governador que a UGT é uma central diferenciada, que luta em prol dos direitos trabalhistas, mas acreditando que o bem estar da classe trabalhadora está além da relação capital e trabalho, busca desenvolver ações que promovam a construção de politicas públicas que beneficiem toda a população. “Nós queremos contribuir para construir um estado forte”, diz o sindicalista.

“Nós queremos fazer parceria e construir uma relação com o senhor (governador), para que tenhamos o seu respaldo em tudo que precisarmos e que seja de interesse da classe trabalhadora e da sociedade em geral”, conclui Gustavo.

A luta ugetista em prol do Piso Estadual

Ricardo Patah aproveitou o encontro com o governador para falar sobre o projeto da UGT de implantação de pisos estaduais. “Esta é uma proposta que não gera encargos ao governo, mas é muito valiosa para a classe trabalhadora e para a economia local, já que os trabalhadores terão aumento na sua renda e no seu poder de compra”.

*Fonte: Com informações UGT-PE.

MINISTRO DO STF, GILMAR MENDES, MANDA UM RECADO PARA O JUIZ SÉRGIO MORO: O CEMITÉRIO ESTÁ CHEIO DE HERÓIS

EMANUEL CANCELLA -

Os golpistas acreditam que a luta em defesa do mandato da eleita pela maioria da vontade popular vai somente até a votação no Senado, tanto que a mídia publica diariamente a intenção dos votos dos senadores. E os golpistas vão além, caso não consigam afastar Dilma no Senado, ainda querem apelar para o TSE, presidido pelo ministro Gilmar Mendes, que, de forma nada escamoteada, já antecipou seu voto contra o mandato da presidente Dilma.

Aliás, Gilmar Mendes ainda disse que a lei da ‘Ficha Limpa” não é uma lei sóbria. Ora, até um embriagado entende que Gilmar, com a tentativa de desmoralizar o Congresso, rotulando seus integrantes de um bando de bêbados quando aprovou a lei da ‘Ficha Limpa’, é somente para livrar a cara do golpista de plantão, Michel Temer, que está inelegível por oito anos pela lei da ‘Ficha Limpa”.

Os golpistas têm pressa até porque não estão claros, para a maioria da sociedade, os planos daqueles que, em nome do combate à corrupção, querem saquear o país. As gravações do ex-presidente da Transpetro deixam claro que Dilma foi afastada principalmente porque não interferia nas investigações da PF (1).

Agora assistimos à briga do STF com a Lava Jato, em torno da delação da OAS que citou o ministro do STF Dias Toffoli.  Gilmar Mendes, em claro recado ao juiz Sérgio Moro(2), afirmou:  ‘O cemitério está cheio de heróis’. Isso não é palavreado de ministro do STF, parece linguajar de bandido chefe de alguma facção. Como se não bastasse, o procurador geral da República, Rodrigo Janot, disse em entrevista que dorme com uma pistola. Essas pessoas estão mostrando a que vieram!

As contradições entre os golpistas começam a aflorar, por isso eles têm pressa. E por isso tentam passar a ideia de que tudo termina no Senado.

O golpe, capitaneada por Michel Temer, vai muito além da retirada de uma presidente legitimamente eleita, o que já é muito grave!

Os golpistas querem retirar direitos trabalhistas, como tornar negociável aquilo que era direito consagrado na CLT, como férias e 13°; querem passar a semana de trabalho de 40 para 80 horas; aposentadoria para os golpistas é aos 70 anos; querem acabar com acúmulo de aposentadorias e pensão por morte. Isso representaria um impacto fiscal significativo, mas essa mesma preocupação o governo não teve quando deu reajuste generoso a várias categorias, em especial ao Judiciário. E os mais prejudicados serão os aposentados e pensionistas de baixa renda, que são a ampla maioria dos envolvidos. Ou seja, aumento para eles e os pobres coitados que paguem a conta!

Como se não bastasse, querem retomar a Privataria Tucana, entregando aquilo que o governo de FHC não conseguiu entregar, como a Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica, Furnas etc. Vão ainda congelar por dez anos o orçamento dos estados, consequentemente impedindo o crescimento dessas regiões, impulsionando o desemprego; vão também reduzir os programas sociais entre outros, Minha casa Minha Vida, Fies, políticas de Cotas, Pronatec, Mais Médicos, Bolsa Familia e Bolsa Esporte, sendo que o Bolsa Esporte resultou na maioria das medalhas na Olimpíadas. Querem também destruir o SUS, para privilegiar os donos dos planos de saúde, seus comparsas!

A mídia esconde, mas a maioria da sociedade entende, e a cada dia mais, que estamos diante de um golpe, não na Dilma, mas no povo brasileiro e em nossas riquezas. A sociedade não percebeu, ainda, o tamanho da roubalheira que os golpistas estão nos impondo, entretanto, apesar da Globo e da mídia golpista, a sociedade acordará!

Chico Buarque falava em música, na gota d’água, acerca da revolta dos brasileiros, que ainda não será na troca de gentileza entre o STF e a Lava Jato.

Os golpistas devem lembrar que Collor caiu quando mandou que os brasileiros colocassem na janela bandeira verde e amarela e o povo colocou a bandeira preta. Também a rainha da França perdeu o pescoço na guilhotina, na revolta popular que resultou na queda da Bastilha, quando propôs ao povo revoltado e faminto : ‘Não tem pão come brioche’.

Do Congresso Nacional, STF, PF, MPF nada a esperar, no limite a briga do STF e da Lava Jato, que se assemelha a coisa de bandidos.

A verdadeira luta na defesa do nosso patrimônio, dos nossos direitos e da soberania nacional não tardará e vai ser travada nas ruas!

A propósito a luta entre os golpistas já começou!

Fonte:

*Emanuel Cancella é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).

TRABALHADORES DA REFINARIA DE ABREU E LIMA E DO PORTO DE SUAPE REALIZAM ASSEMBLEIA COM MINISTRO DO TRABALHO

Via UGT -


Com a presença de Ricardo Patah, presidente nacional da União Geral dos Trabalhadores (UGT), o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada de Pernambuco (Sintepav), juntamente com a UGT Pernambuco realizou, na manhã desta quarta-feira (24), uma grande assembleia para que sejam retomados os empregos na Refinaria de Abreu e Lima e no Complexo Industrial Portuário - SUAPE, cujas obras encontram-se paradas desde que se tornaram públicos os casos de corrupção envolvendo a Petrobrás, que teve como consequência, não só prejuízos financeiros para a empresa, mas também sociais para o Brasil.

Ricardo Patah ressaltou que o Brasil é o país que é por conta dos trabalhadores e trabalhadoras que um dia ergueram e hoje movimentam a economia desta nação, por isso esses cidadãos merecem respeito. "O que fizeram aqui nessa região foi o maior desrespeito do nosso país, destruíram a nossa maior empresa e os trabalhadores foram para a rua sem receber nada”, descreve o sindicalista.

“É muito triste a gente ver que neste local, mais de 40 mil pessoas encontram-se desempregadas. Há pessoas passando fome, pois não recebem salários e essa situação faz com que o cidadão perca sua autoestima. A UGT está aqui porque precisamos encontrar uma solução rapidamente para minimizar o drama dessa população”, explicou Patah, que concluiu: “Temos que encontrar alternativas de emprego, fazer voltar rapidamente às atividades na Refinaria de Abreu e Lima e em SUAPE, retomar a transposição do São Francisco e incentivar a volta das empresas que geram emprego e renda para a população”.

Aldo Amaral, presidente do Sintepav-PE falou que a região vinha num ritmo bom de desenvolvimento e que o crescimento chegava a ser superior ao PIB da união, mas hoje o desemprego é alarmante e não podemos continuar nessa situação. “Está tudo parado, tanto na refinaria quanto no porto e grande parte do que já foi feito está se deteriorando, a situação é que hoje lá não se chega a 80 postos de emprego, mas já chegou a ter 60 mil”.

O sindicalista reiterou que a única assistência que a região tem do Governo Federal, são as obras da transnordestina e de transposição do Rio São Francisco, que também estão se arrastando e que já precisam de reforma. “A obra que estava impactando positivamente na região era a refinaria, que parou e a gente está hoje aqui com o Ministro do Trabalho para definir estratégias emergenciais para solucionar esse caso”, observou Aldo.

O ministro Ronaldo Nogueira, assumiu o compromisso de se responsabilizar pela volta das obras em Suape e que isso será providenciado mais rápido possível. “Precisamos repudiar aqueles que protagonizaram a corrupção e saquearam Petrobrás, quebrando todo o sistema produtivo desse setor, o que gerou mais 40 mil postos de trabalho fechados só nesta região. A partir de agora precisamos organizar uma estratégia de ação que tem como base a pauta de reivindicação entregue a mim pelo Aldo e pelo  Patah (presidentes do Sintepav-PE e da UGT nacional)”, ressaltou o ministro.

Em seu discurso, Ronaldo reforçou seu posicionamento em relação as mudanças que estão sendo propostas para a Legislação Trabalhista e afirmou que: “Algumas pessoas têm falado que o ministro do Trabalho vai tirar direito do trabalho, isso é mentira, pois direito você não revoga, direito você aprimora”.

O ato aconteceu na Praça da Estação de Cabo de Santo Agostinho e teve como um dos pontos mais marcantes, a entrega de milhares de currículos ao ministro Ronaldo Nogueira, o que refletiu a dura realidade em que vivem os trabalhadores daquela região, que hoje tornou-se o retrato do que a corrupção faz com toda uma nação.

*Por Fábio Ramalho – imprensa UGT.

PRESIDENTE OU PRESIDENTA? O TSE CASARRÁ OS DOIS, SEJA LÁ O QUE A REGRA GRAMATICAL VALIDAR. POVO, POLÍTICOS E JUDICIÁRIO NÃO QUEREM DILMA

ROBERTO MONTEIRO PINHO -


Porque será que estão polemizando quanto o tratamento de presidente ou presidenta? Ou é falta do que fazer, ou então estão jogando uma nebulosa no processo do impeachment da presidetE Dilma Rousseff.

Possivelmente a chapa Dilma-Temer seja cassada pelo TSE. Nascerá então outra polêmica. Teremos novas eleições antecipadas? A discussão estará focada em dois pontos: os escândalos dos governos já citados acima, e no projeto de um novo governo.

A pergunta é: que projeto alguns dos possíveis candidatos, apresentariam? Afinal essa retórica já vem sendo apresentada a cada eleição, mas o que se fala, nao se pratica e a sociedade é que paga a conta da insanidade desrespeito público. Imoralidade, cinismo e traição, me parece ser o tema mais lúcido a ser discutido até mesmo nesta eleição municipal.

Uma nação que contabiliza um dos índices per capita mais baixos do planeta, alta taxa de desemprego, juros escorchantes, não tem saneamento básico em mais da metade de suas cidades, 22% de analfabetos (a China tem 0,2%), não controla a inflação que atinge, dois dígitos, e deve uma fortuna. Sinceramente não pode embarcar nessa de discutir em petit comité manifestação da afastada presidentE Dilma, que data venia pelo desserviço prestado não merece nenhum apreço da comunidade.

Dilma é culpada pelo esfacelamento da articulação política em sua gestão implodiu o PT, inviabilizou a eleição de prefeitos e vereadores nas eleições de outubro. Considerada o mais grave erro cometido pelo ex-presidente Lula da Silva, que já admite ter avaliado mal a sucessão, indicando Dilma Roussef para um  segundo mandato.

Agora surge com uma Carta cujas linhas iniciais diz: "Na jornada para me defender do impeachment me aproximei mais do povo, tive oportunidade de ouvir seu reconhecimento, de receber seu carinho. Ouvi também críticas duras ao meu governo, a erros que foram cometidos e a medidas e políticas que não foram adotadas". Que povo e reconhecimento? Agoniza a afastada presidente.

Depois confessa: "Acolho essas críticas com humildade e determinação para que possamos construir um novo caminho". O caminho de casa evidente!

Como se embriagada pelo pouco que restou de sua conturbada estada no topo da política, disparou: "Quem afasta o presidente pelo 'conjunto da obra' é o povo e, só o povo, nas eleições. Por isso, afirmamos que, se consumado o impeachment sem crime de responsabilidade, teríamos um golpe de Estado", declarou.

Ocorre que a presidentE, embora negue (eis que não sabia de nada) esta sendo acusada de ter adotado operações ilegais na gestão das contas públicas, para manter gastos em alta, mesmo com a queda de arrecadação. Ela nega qualquer irregularidade e diz que seus antecessores adotaram as mesmas medidas.

Depois empurra a conta para outro: "Os atos que pratiquei foram atos legais, atos necessários, atos de governo. Atos idênticos foram executados pelos presidentes que me antecederam. Não era crime na época deles, e também não é crime agora".

Da mesma forma que outros militantes da esquerda durante o regime militar (1964/1985), vendem seu “peixe” relembrando seu passado em que chegou a ser presa e torturada. Como se isso fosse curriculun para se livrar das fartas acusações. Pesa sobre a presidentE, à corrupção que envolve Pasadena, Petrobras, Belo Monte, BNDES e CAIXA, entre outros crimes os quais são investigados pela policia federal.

Sou “Honesta” declara Dilma em sua Carta aos senadores. Fala para duas dezenas deles E nem precisaria falar, eis que os mesmo são ventríloquos de um sistema, que tinha como propósito escravizar a nação brasileira, comandada pela sigla petista, sob a flama de “projeto de poder”.

Entrega a Carta e vai pra casa. Caiu em desgraça pública, só está sendo defendida por uma ala da CUT e de funcionários públicos (autêntico boquinhas), que dormem alimentados pelos contra cheques e a vida estável conquistada num concurso, de múltipla escolha.

O Brasil não tem sido contemplado por bons dirigentes. Desde Itamar, Collor FHC, Lula, Dilma e o interino Temer.

Porém, por mais que se critique os demais. Dilma foi um desastre sob vários aspectos. Omissão, preguiçosa, rancorosa, desarticulada e traidora. Vive de um passado conturbado, pouco explicado e nebuloso, que lhe deu o prêmio de ser presidente de uma nação, isso porque seu padrinho o ex-presidente Lula, a colocou no pedestal.

Outros que muito mais fizeram na luta armada, ou estão cobertos por lápide, desaparecidos ou recebendo o bolsa-ditadura. Hoje nem Lula, seu malfadado criador, e até os Sem Terra não querem Dilma.