EMANUEL CANCELLA




CONDENAÇÃO DE LUIS NASSIF PODE SER PAU MANDADO DO MORO!

Agora dá para entender o porquê de os principais corruptos da Petrobrás, presos pela Lava Jato, estejam pagando suas penas em casa, verdadeiros clubes de lazer, construídos com dinheiro da corrupção.


Nassif é condenado pelo TJ do Rio:
“(...) Na espécie, o autor alega ter sofrido dano moral em virtude de matéria jornalística veiculada na página da internet administrada pelo réu. em verdade, a matéria em comento macula a dignidade do autor, ao associar o seu nome a criminosos e a esquema de sonegação de impostos” (1).
Ninguém acredita que Nassif, com sua matéria jornalística, tenha maculado a dignidade do Cunha. Aliás, Cunha tem dignidade?

O motivo com certeza é outro.

Nassif, com sua coragem, dignidade e verdades está acabando com  a imagem de herói do juiz Sergio Moro, como na reportagem “Tacla Durán Pagou Esposa de Moro (2)”.

E o pagamento, segundo Duran, foi para pagar propina aos membros da Lava Jato para celebração de acordo de delação premiada que lhe daria, entre outras benesses, a prisão domiciliar (2).

Bem como em outra reportagem de Luís Nassif:  “Xadrez sobre a falsificação de documentos na Lava Jato”. “O livro-bomba sobre a Lava Jato, prometido pelo doleiro espanhol Tacla Duran, começa a dar frutos. Tacla é o doleiro cuja declaração de renda comprovou pagamentos a Rosângela Moro, ao primeiro amigo Carlos Zucolotto e a Leonardo Santos Lima. Alguns capítulos do livro ficaram por alguns dias no site de Tacla. No livro, ele diz que a delação da Odebrecht teve vários pontos de manipulação, com a montagem de documentos, provavelmente por pressão dos procuradores, atrás de qualquer tipo de prova contra Lula... (3)”

Agora dá para entender o porquê de os principais corruptos da Petrobrás, presos pela Lava Jato, estejam pagando suas penas em casa, verdadeiros clubes de lazer, construídos com dinheiro da corrupção (9).

Depois dessas reportagens, também começam a ser vislumbrados os motivos da omissão criminosa da Lava Jato em relação aos tucanos:

- primeiro foi FHC, várias vezes denunciado em corrupção na Petrobrás, e em muitas junto com seu filho, e silêncio abissal da Lava Jato (4,5);

- depois vem o nomeado pelo golpista Michel Temer, Pedro lalau Parente. Lalau porque já é réu, desde 2001, em ação movida por petroleiro pela venda de ativos, quando dera um rombo na Petrobrás de R$ 5 bi (8). Essa ação contra Lalau dorme nas gavetas do MPF.

E a Lava Jato não toma qualquer providência contra Lalau, sabendo de seu modus operandi e Lalau, protegido, continuando a prevaricar, já que vende ativos estratégicos e valiosíssimos da companhia, sem licitação, como o campo de Carcará do pré-sal, a preço de um refrigerante o barril de petróleo; e a Petroquímica de Suape, ao valor de 5 dias de operação (6,7).

Como se não bastasse, a dupla Lava Jato & Pedro lalau Parente acabou com a engenharia nacional e a indústria naval (10,11). Navios e plataformas serão agora construídos no exterior, gerando emprego e renda para os gringos.

A condenação de Luis Nassif, por ataque à dignidade de Eduardo Cunha, não cola. O que está em jogo é a dignidade do juiz Moro e a lisura da Lava Jato, que Nassif botou em cheque!

Fonte:
11-https://ocafezinho.com/2017/04/03/lava-jato-destruiu-industria-naval-brasileira/




***



MPF É CÚMPLICE DOS CRIMES DOS TUCANOS, COM PROVAS E CONVICÇÃO!

Pasmem! Pedro Lalau Parente voltou à Petrobrás, indicado pelo golpista Michel Temer, e acreditamos que, com a certeza da impunidade, principalmente por parte do MPF, Parente chafurda ainda mais...


Há cumplicidade do MPF, com a corrupção de tucanos, quando blinda FHC, em sua gestão na Petrobrás, depois de inúmeras denúncias, sendo que várias envolvem até seu próprio filho (2,3). E com o agravante de que o FHC reconheceu, em seu livro, “Diários da Presidência”, de que havia corrupção, em seu governo, na Petrobrás.

Essa omissão gritante do MPF em relação ao governo de FHC persiste na ação temerosa do tucano Pedro lalau Parente, mesmo este já sendo réu, desde 2001, em venda ilegal de ativos, que dera um rombo de R$ 5 BI na Petrobrás, na época (4).

Pasmem! Pedro Lalau Parente voltou à Petrobrás, indicado pelo golpista Michel Temer,  e acreditamos que, com a certeza da impunidade, principalmente por parte do MPF, Parente chafurda ainda mais, vendendo ativos sem licitação para quem quer e pelo preço que ele mesmo determina.

Foi assim com o campo de Carcará do pré-sal, pelo valor de um refrigerante o barril de petróleo; e a Petroquímica de Suape, a preço de 5 dias de faturamento (5,6).

E o MPF, de forma criminosa, calou-se  mesmo sendo formalizada  denúncia, em novembro de 2016, cobrando punição para as ações temerárias na Petrobrás, tanto de FHC quanto de Pedro Lalau Parente. Omissão criminosa, sim, porque o MP é fiscal da lei e tanto FHC como Pedro lalau Parente extrapolaram o limite legal (8)!

Mas o MPF fez pior, pois além de continuar omisso, atendendo pedido do juiz Sergio Moro, intimou, em dezembro do mesmo ano, o autor da denúncia, por possível crime contra a honra do servidor público, no caso do juiz Sergio Moro (7).

E agora, para corroborar, acerca da cumplicidade do MPF com os tucanos, vem a noticia:
“ Os mui ciosos membros do Ministério Público de São Paulo que investigam corrupção, segundo a Folha, ” decidiram que não vão assinar um acordo com a Odebrecht para receber provas de que houve pagamento de propina, em obras do Metrô, CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), Dersa e DER (Departamento de Estradas de Rodagem).(1) (....)
O resultado prático do impasse com os promotores de São Paulo é que as investigações sobre autoridades dos governos de Geraldo Alckmin e José Serra, ambos do PSDB, e da gestão de Gilberto Kassab, na Prefeitura de São Paulo, devem atrasar ainda mais. Há risco de prescrição em algumas ações...(1)”
Creio que esses fatos, com provas e convicção, mostram claramente que o MPF não é publico, é tucano!

Fonte:
8-http://www.apn.org.br/w3/index.php/nacional/8685-petroleiro-protocola-denuncia-contra-operacao-lava-jato



***



É A ROCINHA QUEM VAI PAGAR O PATO?


O golpe destrói a economia nacional, tira o emprego e os direitos dos trabalhadores e ainda querem acabar com a aposentadoria. E o culpado é a Rocinha?

Cerca de cem mil pessoas vivem na Rocinha, a maior favela do país. Até então tranquila, sendo um dos cartões postais da cidade, atraindo turistas nacionais e internacionais, onde a vista deslumbrante da Zona Sul, no alto do morro, inspira poetas e compositores.

Todo tipo de comércio e até banco se instalou na Rocinha.

A violência cresce geometricamente em função da crise social, do desemprego em massa e da queda no PIB. Os golpistas querem culpar os pobres e por isso focam na Rocinha, para mostrar serviço! As malas de dinheiro roubado não apareceram na Rocinha; quem destruiu a economia nacional não está na Rocinha.

Foi principalmente o juiz Moro, com seu combate fajuto à corrupção, que acabou com a engenharia nacional, com a indústria naval e paralisou de forma irresponsável as grandes obras no país (5,6). Digo combate fajuto porque os principais corruptos estão pagando suas penas em casa (7).

A Petrobrás que, até outubro de 2014, financiava 80% das obras no país, com os impostos que pagava, por omissão da Lava Jato está crescendo que nem rabo de cavalo, para baixo.

Pedro lalau Parente, indicado pelo golpista Michel Temer, está entregando a Petrobrás aos gringos, como o campo de Carcará do pré-sal, a preço de um refrigerante o barril, e a petroquímica de Suape, a preço de 5 dias de faturamento (1,2).

Esses são os negócios de Pedro lalau Parente na Petrobrás! O mesmo Lalau que, em 2001, foi réu pela venda ilegal de ativos. Naquela época dera um rombo de R$ 5 BI na empresa (8).

O rombo que Pedro Lalau Parente causa hoje à companhia é muito maior e, se não barrá-lo, os prejuízos serão irreversíveis, pois ele, além de vender ativos sem cumprir a lei de licitação, vende para quem quer e pelo preço que ele mesmo determina.

Pedro lalau Parente extrapolou: tirou a Petrobrás de setores mais lucrativos, empregatícios e estratégicos. Agora principalmente os gringos é que vão atuar na petroquímica, gás, biocombustíveis e fertilizantes. A Petrobrás está fora por vontade de Pedro Lalau Parente (9).

Pedro Lalau Parente e a Lava Jato, com sua ação temerária, acabaram com o conteúdo local e implementam o conteúdo internacional, assim, como no governo de FHC, estão mandando construir navios e plataformas no exterior, resultando em emprego e renda para gringos (11).

Pedro lalau Parente age com a cumplicidade da Lava Jato. A mesma Lava Jato que diz textualmente que, sem provas mas com convicção, Lula é o comandante máximo da corrupção na Petrobrás, pasmem:

- não investigam o governo de FHC na Petrobrás, citado várias vezes na Operação e em muitas denúncias envolvendo seu próprio filho (3,4).

- Nem Pedro lalau Parente, que não é nenhum primário, posto que é réu desde 2001, e age impunemente com aval da Lava Jato, destruindo a Petrobrás.

É preciso retomar as grandes obras no país e livrar a Petrobrás dos entreguistas. O combate à corrupção tem que continuar, mas lugar de bandido é na cadeia, não é em casa como faz a Lava Jato, em que grande parte dos ladrões está pagando suas penas em casa, verdadeiros clubes de lazer, construídos com dinheiro da corrupção (7).

Vamos mandar o poder de polícia para a mídia, principalmente para a Globo, que apoiou o golpe. E toda essa Força Nacional tem que ir para Brasília atrás dos corruptos. Vamos cercar o Palácio do Planalto, o STF, o MPF, ao invés de cercar a Rocinha. É de Brasília que se instalou o Golpe e o caos no país!

10-http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,atual-politica-de-conteudo-local-prejudica-petroleiras-critica-parente,10000066682


***



LULA TEM QUE EXIGIR, DE MORO, TRATAMENTO DE VOSSA EXCELÊNCIA

E o que torna mais grave de Moro não investigar a gestão de FHC e de Pedro lalau Parente, é que esse é seu dever de ofício, já que a principal tarefa da Operação é investigar a Petrobrás.


Lula está, entre os presidentes no mundo, o mais investigado, já que ele e sua família foram submetidos a uma devassa, por mais de três anos. E por mais que procurassem nada foi encontrado contra ele, entretanto, mesmo nada devendo, Lula pagou um custo altíssimo, pois perdeu sua companheira, mãe de seus filhos, por conta da irresponsabilidade de seus perseguidores, principalmente o juiz Sergio Moro.

Moro teve a cara de pau de absolver a jornalista da Globo, Claudia Cruz, dos crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas (1).   Também absolveu a mulher de Sérgio Cabral, envolvida em crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro (2). E Moro, sem nenhuma base legal, não absolveu, em vida, a mulher de Lula, dona Marisa Letícia, que acabou morrendo, com certeza em decorrência da perseguição legal que sofreu, extensiva a seu marido e sua família.

Lula recebeu publicamente o título de ficha limpa, depois de mais de 3 anos de investigação, sem encontrar qualquer prova contra ele, restando apenas os vazamentos criminosos, para mídia, para tentar manchar sua honra.

Todo o Ministério Público e Policia Federal gastando dinheiro público para produzir uma denúncia vazia, apresentada ao vivo na Globo,  que se resumiu, a “ Não tenho provas mas tenho convicção de que Lula é o comandante da corrupção na Petrobrás” (7).  Com o agravante de que Dallagnol, que chefia o grupo de procuradores da Lava Jato, nunca investigou aqueles que podem ser “O comandante da corrupção na Petrobras”:

- FHC, várias vezes citado em corrupção e, em muitas, envolvendo até seu próprio filho;

- O tucano Pedro lalau Parente, presidindo hoje a Petrobrás, nomeado pelo golpista Michel Temer. Chamo de Lalau porque ele é réu, desde 2001, em ação que versa sobre venda ilegal de ativos (4). E retorna para Petrobrás para chafurdar ainda mais, continuando a venda de ativos valiosíssimos sem licitação (8,9).

Com certeza que Moro, Dallagnol e todos da Lava Jato cometem crime de omissão, já que não investigam essa gestão de Pedro lalau Parente, com o agravante de que existe denúncia formalizada acerca da omissão da Lava Jato perante a gestão criminosa de Lalau na Petrobrás e do período de FHC, formalizada desde novembro de 2016, mas que nunca foi apurada.

E o que torna mais grave de Moro não investigar a gestão de FHC e de Pedro lalau Parente, é que esse é seu dever de ofício, já que a principal tarefa da Operação é investigar a Petrobrás.

Até hoje o MPF não investigou essa denúncia de omissão. Caso quisesse  investigar, com certeza encontrariam, com convicção e provas, o provável chefe da corrupção na Petrobrás. Moro faz pior, pois pediu ao MPF, que acatou o pedido em dezembro do mesmo ano, para intimar aquele que o denunciou (5,6).

Ao invés de chamar Lula de Vossa Excelência, o juiz tem a petulância de criticar Lula, que não cometeu nenhum deslize ou falta de respeito, com a procuradora, quando lhe chamou de “Querida”: Moro a Lula: “Não chame a procuradora de querida””(3).

E toda onda de devassa e manipulação da lei contra Lula só o fazem crescer aos olhos dos brasileiros e do mundo; prova disso é que Lula cresce a cada pesquisa de intenção de voto para 2018.

Fonte:
9-http://www.vermelho.org.br/noticia/285181-1



***



MORO, O ÚLTIMO GOLPISTA A SER DESMASCARADO!


A justiça e a mídia golpista trancam, com sete chaves, a lama do chefe da República de Curitiba, o juiz Moro.

Temer, Cunha e Aécio já foram para o lixo da história. Falta ainda o Moro!

Outra coisa, Moro, PGR, STF, TST e MPF foram o sustentáculo do golpe, e hoje, à custa do dinheiro público, reforçam sua própria segurança e da família. Estão com medo de quem (4)?

Provavelmente dos milhões de trabalhadores que em função do golpe, perderam seus empregos, seus direitos trabalhistas e agora ainda querem acabar com suas aposentadorias com a Reforma da Previdência. Ou também das pessoas que não querem a entrega criminosa da Eletrobrás, da casa da Moeda, da Amazônia e a Petrobrás, com o pré-sal e tudo.

Os golpistas aumentam sua própria segurança e de suas famílias, com o dinheiro das pessoas que eles estão destruindo, e também  usam as forças armadas para  reprimir qualquer protesto nas comunidades pobres.

Os brasileiros que perderam seus empregos e seus direitos os trabalhadores, em decorrência do golpe, principalmente a classe mais pobre, são os mesmos que mais têm que enfrentar a violência crescente dos assaltos e das balas perdidas. E não têm a quem pedir segurança!

Se esses golpistas, governo e Justiça, estivessem preocupados com o tráfico de droga tinham que mandar investigar os golpistas envolvidos com aviões de transportes de drogas, em suas magnânimas  propriedades, como foi o caso do helicoca, com 450 kg de cocaína, envolvendo os senadores Aécio e Zezé Perella  e os aviões do tráfico na fazenda dos ministros Aloysio Nunes e Blairo Maggi (1,2,3).

O juiz Sergio Moro, chamado de herói por essa corja, foi o cabeça do golpe. Sim, foi Moro que prendeu políticos importantes, somente para ganhar credibilidade e abrir caminho para que os poderosíssimos criminosos, os chefões da corrupção, pudessem livremente entregar a Petrobrás aos gringos.

Para não deixar duvidas, a Lava Jato nunca investigou nenhum tucano: Aécio recordista de denuncias, FHC delatado varias vezes em corrupção na Petrobrás e em muitas delas envolvendo seu filho. E o tucano, Pedro lalau Parente que já é reu na venda ilegal de ativos da Petrobrás e continua vender ativos sem licitação (12,13,14,15,16,17).

Foi Moro, através da Lava Jato, que destruiu a engenharia nacional e a indústria naval, demitindo milhões de trabalhadores, tudo em favor dos gringos (7,8). Quem você acha que está comprando o petróleo e os ativos da Petrobrás? Os gringos, que também vão ocupar o lugar da engenharia nacional e vão construir navios e plataformas em seus países.

E foi Moro, da Lava Jato, que, às vésperas da eleição, para favorecer o seu candidato, o tucano Aécio Neves, vazou informação mentirosa para a capa da revista Veja e o Jornal Nacional, de que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás (9). Todos os delegados da Lava Jato também fizeram campanha para Aécio e, no blog de campanha, de forma descarada, até chamaram Lula e Dilma de anta (10).

Mesmo assim Dilma ganhou e aí, para derrotar Dilma, só restava o golpe.  E partiram para cima, porque eles sabem que, para  destruir a Petrobrás e entregar o país, precisavam, antes de tudo, afastar Dilma e destruir Lula e o PT.

Agora os golpistas Temer, Cunha, Aécio, e muitos outros, já foram desmascarados e nada provaram contra Lula, Dilma e o PT.

Lula é o exemplo clássico: mais de três anos de investigação, usando toda máquina do Ministério Público e da Policia Federal, rios de dinheiro.  E o procurador, chefe da Força Tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, ao vivo na Globo, denunciou o ex-presidente Lula, sem quaisquer provas, com base apenas em sua convicção golpista (11).

E Moro, não só aceitou a denúncia vazia, como condenou Lula a nove anos e meio de prisão, e agora, dentro da mesma tese fajuta, quer torná-lo inelegível.

Prova de que as manobras contra Lula não funcionam é que ele lidera as pesquisas de intenção de votos, em todos os institutos de pesquisas, e em alguns Lula ganha no primeiro turno.

Moro, que enfrenta denúncias de vazamentos seletivos de delação; prisões abusivas; vazamento ilegal; grampo do telefonema de Lula e Dilma, agora ainda enfrenta uma denúncia maior que o furacão Maria:

Tacla Duran, advogado da Odebrecht, acusa os membros da Lava Jato de cobrarem propina para celebrar acordo de delação premiada.

Moro negou a acusação, mas pior que batom na cueca, a revista Veja, com base em informação da Receita Federal, mostrou que Duran fez depósito na conta da Mulher de Moro, Rosangela Moro (5). E pior, Duran disse também que tem provas de que a Lava Jato falsificou documentos da Odebrecht para incriminar Lula e o PT (6).

A mídia e a Justiça, não sabemos até quando, jogam para baixo do tapete  as denúncias contra Moro. Do jeito que a sujeira se avoluma, ou apuram as graves denúncias ou aumentam o tapete!

Fonte:
17-http://www.vermelho.org.br/noticia/285181-1



***


TRUMP, TEMER E MORO TRAZEM DE VOLTA O FANTASMA DE 1964!

No Brasil, para nossa salvação, temos que caminhar para ter somente dois partidos: o de Tiradentes, o patrono de nossa independência, e o do traidor, Joaquim Silvério dos Reis.


Donald Trump, com sua política belicista, ameaça intervir na Venezuela e fala em destruir totalmente a Coreia do norte, de Kim Jong-Un. Esquece ele que estamos no mesmo barco, e essa guerra pode destruir o mundo.

Não sabemos quem é mais doido, Trump ou Kim, mas sabemos que estamos diante de uma ameaça muito maior que a última grande guerra mundial, até porque entraram em cena as chamadas bombas atômicas e de forma generalizada.

O golpista Michel Temer se agarra a Trump, como um náufrago ao salva-vidas. E Trump, aproveitando-se da submissão de Michel Temer, quer usar nossas forças armadas contra a Venezuela. Na verdade, ele quer, nem que seja através da intervenção, apossar-se do petróleo tanto da Venezuela quanto do Brasil.

A Venezuela detém a maior reserva de petróleo do planeta, passando a Arábia Saudita, e o Brasil desenvolveu tecnologia inédita no mundo, que permitiu a descoberta do pré-sal, a maior descoberta petrolífera da atualidade.

- Moro, assumindo sua contribuição ao golpe que corrói o Brasil, saiu em defesa de Michel Temer, cancelando 21 das 41 perguntas de Eduardo Cunha, em sua delação (8).

O juiz Sergio Moro tem sobre si fortíssima suspeição, muito mais que simples convicção, de corrupção e de estar mancomunado com os americanos:

- Moro convocou os procuradores estadunidenses para fiscalizar a Petrobrás. Também mandou os maiores corruptos da Companhia testemunharem contra ela, em tribunais ianques. E não por acaso, Moro foi tema das principais revistas americanas, Fortune e Time, esta última lhe premiando, como já lhe premiara a apoiadora de todos os golpes no país: a Globo (9,12,13).

- A  Lava Jato atua em duas frente a saber, a  primeira, entregando nosso petróleo aos gringos, via o nomeado pelo golpista Temer, o tucano Pedro lalau Parente. Isso porque dá carta branca a Lalau, em sua gestão criminosa, mesmo Parente sendo réu, desde 2001, na venda ilegal de ativos da Petrobrás, que deu um rombo de R$ 5 BI a Petrobrás, na época (5).

E Parente, nessa liquidação avalizada pela Lava Jato, continua a entregando ativos estratégicos da companhia sem licitação, vendendo para quem quer e pelo preço que ele mesmo determina: entre tantos outros, foi assim com o campo de Carcará, a preço de um refrigerante o barril de petróleo, e a petroquímica de Suape, pelo preço de 5 dias de faturamento (6,7).

A dupla Pedro Lalau Parente e a Lava Jato patrocina, além da entrega da Petrobrás, a destruição da engenharia nacional, o fim da indústria naval e o desemprego em massa (3,4). É a destruição de um país!

Nem denúncia formalizada ao MPF, em novembro de 2016, solicitando intervenção quanto à omissão da Lava Jato, adiantou. Muito pelo contrário, o MPF, em dezembro do mesmo ano, a pedido de Moro, intimou o autor da denúncia e até hoje não tomou qualquer medida para coagir esse conluio que levará à entrega de nosso ouro negro (1,2).

A segunda frente da Operação sai do escopo principal, que seria o de investigar a Petrobrás, e parte para  atacar governos populares: com Dilma na véspera da eleição, só para favorecer o tucano, Aécio Neves, pois foi da Lava Jato que saiu a farsa de que Lula e Dilma sabiam da corrupção na Petrobrás - o próprio advogado do pseudo delator negou (9).

E agora Moro tenta, de todas a formas, tirar Lula da eleição de 2018, já o condenou sem provas, falta torná-lo inelegível.

Depois de tantas arbitrariedades, a gota d’ água contra a reputação de Moro foi o depósito do advogado Tacla Duran na conta da esposa de Moro, Rosangela Moro. Quem fez a denúncia foi a revista Veja, com base em informação da Receita Federal. E a propina na conta de Rosângela foi fruto da negociação entre o amigo, compadre, e ex-sócio de sua esposa, advogado Zucoloto e o advogado da Odebrecht, Tacla Duran.

O dinheiro na conta da mulher de Moro foi para pagar membros da lava Jato, num acordo de delação premiada, pelo qual Duran, entre outras benesses, pagaria sua pena em prisão doméstica (1).

Agora dá para entender como tanto bandido confesso na Lava Jato vai para casa com tornozeleira!

A justiça começa a se manifestar contra Moro: “Procuradora Pede Que Suspeição de Moro Seja Debatida No STJ”, a representante do Ministério Público citou, foto em que o juiz Sérgio Moro aparece rindo numa festa ao lado do senador Aécio Neves (10)...

O golpe, em todas as suas nuances, só vai ser derrotado quando unirmos toda a sociedade em dois partidos, como dizia o saudoso Barbosa Lima Sobrinho: o Partido de Tiradentes, o patrono de nossa independência, e o partido de Joaquim Silvério dos Reis o  traidor.

Fonte:
13-https://www.brasil247.com/pt/247/economia/266338/Costa-vai-ajudar-EUA-em-a%C3%A7%C3%A3o-contra-Petrobras.htm



***



LAVA JATO E MPF SÃO CONIVENTES COM A ENTREGA CRIMINOSA DA PETROBRÁS

Leia, na íntegra, a denúncia formalizada ao MPF, em novembro de 2016, e até hoje sem resposta.


A única manifestação do MPF foi, em dezembro do mesmo ano, intimando o autor,  a pedido do juiz Sergio Moro, por possível crime contra a honra do servidor público (1ª).

“EXMO(A). SR(A). PROCURADOR FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ.

EMANUEL JORGE DE ALMEIDA CANCELLA, brasileiro, industriário, RG 75.300 OAB/RJ, CPF: 255.264.137-72, com endereço comercial na Avenida Passos, 34, Centro, Rio de Janeiro Rio de Janeiro, RJ, 20051-040 como cidadão brasileiro e empregado da sociedade de economia mista Petróleo Brasileiro S.A. Petrobrás, integrante da administração federal indireta e controlada pela União,  funcionário da Petrobrás, dirijo-me a essa instituição para fazer as seguintes denúncias:

O Ministério Público (MP) é uma instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis (art. 127, CF/88).

A Petrobrás é uma empresa estatal vinculada à administração federal indireta, motivo pelo qual, como patrimônio público, deveria ser objeto de defesa, por parte  dos órgãos estatais, dentre os quais o Ministério Público.

Nesse contexto, causa estranhamento que na denominada Operação Lava Jato, na qual concorrem juízes, procuradores e agentes da Polícia Federal, se tenha extrapolado o objeto central da investigação, vale dizer, desvios na gestão da Companhia, atuação que vem causando imensos danos à imagem e patrimônio da própria Petrobrás.

A Lava Jato, cujo objeto central de investigação deveria ser a gestão da Petrobrás, investiga, no mesmo contexto, a Eletronuclear (4), Transposição do Rio São Francisco (3), a construção do estádio de futebol do Corinthians (2), e até o assassinato do prefeito de Santo  André, Celso Daniel (1).

Se a Lava Jato vai além de investigar a Petrobrás, atingindo obras públicas, assassinato de prefeito e outras empresas estatais desvia o foco de sua missão principal, que é investigar a gestão da Petrobrás, quando não investiga, por exemplo, o governo Fernando Henrique Cardoso na Petrobrás apesar de inúmeras denuncias, inclusive quando o próprio ex-presidente da República revelou, em seu livro Diários da Presidência, que havia corrupção na Petrobrás durante seu governo.

E agora, muito estranhamente, a Lava Jato, que sumariamente determinou a prisão do ex governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral não demonstra a mesma firmeza em relação por exemplo ao ex- governador de Minas Gerais, Aécio da Cunha Neves, por mais de 5 vezes delatado na Lava Jato.

E o pior, a Lava Jato não investiga os atos do atual presidente da Petrobrás, Sr. Pedro Pullen Parente, que está alienando ativos da Companhia sem a necessária licitação, em uma liquidação.

Foi assim que a atual gestão da empresa vendeu a mais rica malha de dutos da Transpetro, subsidiária integral da Petrobrás, qual seja, a malha de dutos do sudeste, o que obrigará a Companhia a pagar para utilização de um ativo que anteriormente lhe pertencia.

No mesmo sentido, e sem a necessária licitação, a Petrobrás, como acionista majoritária, vendeu a Liquigás e quer vender  a BR-Distribuidora, a empresa de maior  faturamento do Brasil.

Vendeu, também sem licitação, o petróleo do campo gigante do pré-sal de Carcará, ao preço de um refrigerante o barril, quando preço do petróleo, no mercado internacional, beira US$ 45 o barril (7).

Ignorando a legislação de conteúdo nacional, suspendeu ou cancelou encomendas de navios e plataformas a estaleiros nacionais, causando enorme desemprego e ameaçando a própria sobrevivência da indústria naval brasileira.

A Gestão do Sr. Pedro Pullen Parente tirou a Petrobrás de setores estratégicos da economia e altamente lucrativos, tais como o Petroquímico, de fertilizantes, gás e de biocombustíveis.

Outra grande preocupação que externo na presente denúncia é o fato da Lava Jato ter convocado os procuradores estadunidenses para investigar a Petrobrás (6). Segundo noticias veiculadas pela imprensa nacional e internacional, esta movimentação tem por objetivo subsidiar a Justiça de outro país para impor pesadas multas e condenações judiciais à Petrobrás, em flagrante prejuízo para seu acionista majoritário (União) e demais acionistas minoritários, notadamente os pequenos acionistas nacionais, muitos dos quais se utilizaram, inclusive, de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço - FGTS.

A principal acusação contra a Petrobrás é que a corrupção seria o principal motivo da queda nos valores da ações nas bolsas de valores, em especial a de NY - EUA.

Nesse particular,é importante destacar que as ações de empresas petroleiras de todo mundo tiveram queda, essencialmente por conta da substancial queda do preço do barril de petróleo.

Outro relevante motivo para a desvalorização desses papeis seria uma ação provocada pelo governo dos EUA junto a Arábia Saudita, principal produtor de Petróleo no mundo, para prejudicar os países produtores, principalmente: Rússia, Irã, Venezuela e Brasil.

Aliás, não é a primeira vez que o governo dos EUA faz isso.

E nesse sentido que causa perplexidade que a Lava Jato autorize que os corruptos da Petrobrás presos testemunhem nos EUA contra a empresa (8).

Ora, por uma questão de reciprocidade indago, como cidadão brasileiro e funcionário da Petrobrás, se não seria o caso dos procuradores brasileiros irem aos EUA investigar a petroleira estadunidense, Chevron por conta de uma denuncia da maior gravidade divulgada pelo Wikleaks, publicada em vários jornais no mundo, em que, em uma troca de correspondência ocorrida em 2009 entre executivos dessa empresa e o então candidato à Presidência da República José Serra, este prometia favores a petroleira estrangeira em prejuízo da Petrobrás (5). Contudo, certamente as regras processuais norte-americanas, dificilmente permitiriam esse tipo de ofensa à soberania daquela nação.

E por último, é importante destacar que o Exmo. Juiz Sérgio Moro declarou nos EUA que “ ...não julgou casos relacionados ao PSDB porque investigações, sobre o partido não chegaram a ele... (9)".

Conclusão:

Por tudo que por mim foi exposto, requeiro que este MPF adote as medidas necessárias para que as distorções acima indicadas sejam corrigidas, e, ainda, que as investigações sejam estendidas, de forma a apurar todas as irregularidades ocorridas no âmbito da Petrobrás que guardem pertinência como o objeto original das investigações da Lava Jato, para que prevaleça o interesse público, que sejam observados os princípios norteadores da administração pública e que não ser tenha a falsa impressão de seletividade, pelo que, confia na justa e firma atuação deste r. órgão.

Termos em que Pede Deferimento.

EMANUEL JORGE DE ALMEIDA CANCELLA
OAB/RJ 75.300

Rio de Janeiro, 24 de novembro de 2016”.

Fonte:
1-https://www.google.com.br/webhp?sourceid=chrome-instant&ion=1&espv=2&ie=UTF-8#q=Lava+jato+investiga+o+assassinato+do+prefeito+de+Diadema%2C+Celso+daniel
2-http://g1.globo.com/politica/operacao-lava-jato/noticia/2016/03/lava-jato-investiga-propina-na-construcao-do-estadio-do-corinthians.html
3-http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/pf-deflagra-operacao-contra-desvios-na-transposicao-do-sao-francisco-com-doleiros-da-lava-jato/
4-http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/07/pf-cumpre-mandados-da-operacao-lava-jato-no-rio-e-porto-alegre.html
5-http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/wikileaks-as-conversas-de-serra-com-a-chevron-sobre-o-pre-sal
6-http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/lava-jato-tera-cooperacao-dos-eua-para-chegar-a-operador-da-odebrecht/
7-http://www.tijolaco.com.br/blog/venda-de-carcara-petrobras-perdeu-hoje-tanto-quanto-com-lava-jato-inteira/
8-http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2016/11/paulo-roberto-costa-assina-acordo-de-colaboracao-com-justica-dos-eua.html
9-http://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/08/nos-eua-sergio-moro-explica-por-que-nao-julga-politicos-do-psdb.html
---
1ª-https://www.brasil247.com/pt/247/brasil/288251/Petroleiro-%C3%A9-intimado-pela-PF-ap%C3%B3s-criticar-Moro-e-Lava-Jato.htm



***



ROSÂNGELA MORO TEM CONDIÇÃO DE CONTINUAR NA APAE?

Creio que o silêncio dos envolvidos joga mais suspeita em cima do escândalo que desmascara, de vez, a família Moro.


Para quem não sabe, a Apae é Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais. A Associação conta com a ajuda da sociedade para que os pais dessas crianças tenham condição de educá-las, socializá-las e criá-las. Eu sou doador frequente de instituições como a casa dos Artistas, Central da Cidadania e outros, porém ainda não consigo doar para APAE, por problemas técnicos. Mas recomendo a todos que ajudem essas instituições por que, antes de tudo, é um ato de amor.

Mas ficamos tristes quando tomamos conhecimento do envolvimento de entidades como Apae em escândalos de corrupção, como na reportagem “Caso de corrupção envolve esposa de Sérgio Moro” (1,2) e as palestras de Dallagnol, promovidas pela Apae, quando eram cobrados até R$ 40 mil reais (3).

Dalagnol e Moro chefiam a Lava Jato. De onde partiu esse convite para as palestras da APAE, se não foi da mulher de Moro, Rosângela Moro, que responde pelo jurídico da Apae?

A imagem de Rosângela Moro fica em suspeição também porque está envolvida em outro escândalo, publicado pela Revista Veja, mostrando que o advogado da Odebrecht, Tecla Duran, depositou dinheiro em sua conta. Há provas, porque o depósito de Duran para Rosângela está registrado na Receita Federal.

Duran foi entrevistado pela jornalista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, e disse que foi procurado pelo advogado Zucoloto, falando em nome da Lava Jato, pedindo propina para custear um acordo de delação premiada que, entre outras benesses, lhe concederia a prisão doméstica (4).

Ao tomar conhecimento dessa entrevista, Moro, esbravejando, criticou a jornalista e Folha e atacou tecla Duran, chamando-o de foragido da justiça e farsante e defendeu o advogado Zucoloto, dizendo que ele é seu amigo pessoal. Rosangela Moro em relação a entrevista de Duran, criticou a Folha e declarou: “ESPOSA DE MORO PEDE MENOS FOLHA, MAIS NEW YORK TIMES” (5).

Depois descobrimos, através da imprensa, que Zucoloto, muito mais que amigo é compadre e ex-sócio da mulher de Moro (4).

E depois vem a comprovação, pela Receita Federal, do depósito de Tecla Duran na conta da Mulher de Moro. A partir daí, Moro e sua esposa se calaram.

Creio que o silêncio dos envolvidos joga mais suspeita em cima do escândalo que desmascara, de vez, a família Moro.

E será que, diante desse lamaçal, Rosângela Moro ainda tem condição de continuar à frente da Apae?

Fonte:
5-https://www.brasil247.com/pt/247/parana247/314953/Esposa-de-Moro-pede-menos-Folha-mais-New-York-Times.htm



***




TECLA DURAN DEPOSITOU PROPINA NA CONTA DA MULHER DE SERGIO MORO, SEGUNDO A REVISTA VEJA, COM BASE EM RELATÓRIO DA RECEITA FEDERAL. HÁ PROVAS E CONVICÇÃO!



O dinheiro foi para pagar os membros da Lava Jato, num acordo de delação premiada, intermediado pelo advogado Zucoloto, amigo de Moro e sócio de Rosângela Moro (1):
“Segundo Duran, haveria diminuição da multa e da pena que Duran deveria pagar, em um acordo de delação premiada, em troca de um pagamento que seria feito pelo caixa 2 para acertos com membros da Lava Jato. Segundo Duran, a proposta de Zucolotto era alterar o regime de prisão em regime fechado para domiciliar e redução da multa para um terço do valor, ou seja US$ 5 milhões. A proposta teria sido feita no dia 27 de maio de 2016” (1).
A advogada Catta Preta atuou em nove casos da Lava Jato e arrecadou, segundo informação da imprensa, cerca de R$ 20 milhões e saiu do negócio por ameaças de morte (2,).

Além do advogado Zucoloto, atua nessa tarefa milionária da Lava Jato, intermediando negociação de delação premiada, Marlon Arns, que substituiu a advogada Catta Preta. Marlon está envolvido junto com Rosângela Moro, no escândalo de desvio de dinheiro, algo em torno de R$ 450 milhões, da Apae (Associação de Pais e Amigos de Excepcionais) (3).

A indústria da delação premiada, montada pela Lava Jato, mostra, através de fatos, que muito mais que esclarecer crimes de corrupção tinha a missão de arrecadar propina para os membros da Operação, os fatos falam por si, e com provas e convicção.

Agora a sociedade começa a entender muita coisa, entre elas:

-  por que os principais corruptos da Petrobrás estão pagando pena em suas casas, verdadeiros clubes de lazer, adquiridas com dinheiro da corrupção?

- por que a Lava jato fez vista grossa à gestão criminosa de FHC na Petrobrás, que, em muitas maracutaias, envolveu até seu filho?(4,5).

- e a gestão temerosa de Pedro Lalau Parente, como pode ser permitida pela Lava Jato?  Lalau é réu, desde 2001, em ação que versa justamente sobre venda de ativos e, mesmo assim, retorna à Petrobrás, indicado pelo golpista Michel Temer, não para limpar seu nome, mas para chafurdar mais ainda, continuando a venda ilegal de ativos, sem licitação, vendendo para quem quer, e pelo preço que ele mesmo determina (6).

E não é refugo que Lalau “vende”, é o campo de Carcará do pré-sal a preço de um refrigerante o barril; a petroquímica de Suape pelo valor de 5 dias de faturamento (7,8) e muito mais.

A sociedade espera que a Lava Jato, junto com o MPF, que, mesmo sem provas mas com convicção, denunciou e condenou o ex-presidente Lula, pelo menos investigue o depósito na conta da mulher de Moro, com provas e convicção!
(Veja o vídeo dessa matériahttps://www.youtube.com/watch?v=1t_3JxdOhC4)
Fonte:
8-http://www.vermelho.org.br/noticia/285181-1



***



LULA PODERIA TER PEDIDO A PRISÃO DE MORO EM CURITIBA EM SEU DEPOIMENTO!

Esse tipo de prisão está previsto nos artigos 301 e 302, do Código de Processo Penal brasileiro.



Moro chamou o advogado Tecla Duran, da Odebrechet, de fugitivo da Justiça e farsante, por conta de uma entrevista, na Folha, à jornalista Mônica Bergamo, quando Duran disse que o advogado Zucoloto, amigo pessoal de Moro, lhe pediu dinheiro em nome da Lava Jato. Moro se defendeu e atacou Duran e Mônica, mas não explicou o depósito que Duran fez na conta de sua esposa, Rosângela Moro, segundo informação publicada na Veja com base em dados fornecidos pela Receita Federal (3).

Além desse flagrante pagamento de propina, Moro cometeu outros crimes, como o de prevaricação porque blinda os tucanos, nunca sequer investigou nenhum; pelos sucessivos vazamentos seletivos de delação; pelas prisões arbitrarias; pelos grampos ilegais, principalmente de Lula e Dilma; pelo uso da Justiça para perseguir desafetos; pela omissão perante os crimes que o reincidente Pedro Lalau Parente comete na Petrobrás, etc (3).

Vale lembrar que todos os principais golpistas caíram em desgraça: Eduardo Cunha, Aécio Neves, Michel Temer e agora só falta Moro. Sobrevivem com folga à farsa do massacre parlamentar, jurídico e midiático, Lula, Dilma e o PT. Lula é líder de todas as pesquisas para corrida presidencial e, em algumas, leva em primeiro turno.

Contra Lula foram mais de três anos de investigação com toda máquina do ministério público, PF e Justiça, dinheiro a rodo para a conclusão ridícula do “Não tenho provas, mas só convicção” (2).

De que vale a convicção de um procurador, no caso Deltan Dallagnol, que usou o balcão do MP para patrocinar palestras cobrando até R$ 40 mil reais patrocinadas pela APAE - Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais? Lamentavelmente, o responsável pelo jurídico da APAE é a mulher de Moro, Rosângela Moro (5). Dallagnol também comprou duas unidades do Minha Casa Minha Vida, programa do governo para ajudar os pobres que não têm moradia, e não foi para morar, foi para especular, ganhar dinheiro (4).

E Moro não só acatou essa denúncia sem provas de Dallagnol, contra Lula, como o condenou a nove anos e seis meses. A tarefa de Moro sempre foi tornar Lula inelegível, agora mais do que nunca.

Contra a presidente Dilma, todos os seus algozes também caíram em desgraça, principalmente Cunha, Aécio e Temer. E todas as críticas só a fazem crescer como estadista: não cedeu às chantagens de Cunha, não estancou a sangria da Lava Jato e não comprou deputados para votar contra o impeachment.

A mídia e a justiça, por questão de sobrevivência, têm razão em blindar o corrupto Moro, o último grande golpista que ainda sobrevive, agora como numa CTI, entubado.

Não podemos esquecer que Moro tirou 21, das 41 perguntas da delação de Eduardo Cunha, para proteger o golpista Michel Temer.  Uma dessas perguntas canceladas era “De quando e onde Temer se encontrou com o ex-diretor corrupto da Petrobrás, Nestor Cerveró e de que trataram”?. (1)

Mas a mídia, principalmente a Globo, e a justiça fogem, como o diabo da cruz, para proteger seu corrupto de estimação, é da denúncia recente de que o advogado da Odebrechet, Tecla Duran, depositou dinheiro na conta da mulher de Moro, Rosângela Moro. Duran afirmou que o depósito foi para auferir vantagens na delação premiada, ou seja, para pagar propina para os membros da Lava Jato. E há provas disso, não é só convicção, já que a denúncia foi feita pela revista Veja, com base em informação da Receita Federal do Brasil!

Fonte:
5-http://www.plantaobrasil.net/news.asp?nID=97303



***



SEGURANÇA URBANA NÃO É FUNÇÃO CONSTITUCIONAL DO EXÉRCITO BRASILEIRO

A própria presidente do STF, Carmem Lúcia, deliberou que é legal a troca de deputados, e ela sabe muito bem que a troca é movida a mensalão.


O governo Temer não tem nenhum respeito pelas Forças Armadas, haja vista que expõe o exército brasileiro, nas ruas do Rio, numa função que não é sua e para qual não foi treinado.

Como também  prova desse desrespeito assistimos à permanência de um herói nacional, Almirante Othon, mofando na prisão, condenado sem provas, pelo Moro, como mais uma estratégia para fragilizar o Brasil e possibilitar a entrada de Temer no poder.

O Rio já serviu de laboratório malsucedido com as UPP’s. E olha que, na época das UPP’S, mesmo com o governo Dilma ainda tentando frear os golpistas, o Brasil não estava num caos como hoje:

-  não tínhamos 13 milhões de desempregados;
-  os restaurantes populares ainda atendiam, com refeição a um real;
- havia programas sociais atendendo aos mais pobres, através da Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida;
- o Programa Mais Médicos atendia os moradores das regiões mais pobres;
- o filho do pobre entrava na universidade através do Fies, Prouni e das políticas de cotas, alguns indo até estudar no exterior, através do Programa Ciência Sem Fronteiras;
- as forças públicas de todos Estados recebiam seus  salários religiosamente, agora PM, Bombeiro e Guarda Municipal fica sem salário em várias localidade do brasil.

No Rio, a Operação Segurança Presente, bancada pela Fecomércio tem diminuído um pouco a violência, mas somente nos poucos locais onde ela está instalada. O modelo foi implementado na Lapa há três anos, e funciona no Aterro do Flamengo, Centro, Lagoa e Méier (1).

Cinicamente, o governo golpista coloca o exército, como bucha, como se isso fosse resolver o grave problema social que ele mesmo criou. Será que ele vai colocar o exército fazendo a segurança permanente da população, e em todo o Brasil?

Se por um lado o governo golpista de Temer afirma não ter dinheiro para a segurança nos Estados, por outro gasta bilhões para comprar votos dos parlamentares.

E lamentavelmente, o STF agora corrobora com essa troca de deputados efetuada agora por Temer, para lhe dar sobrevida. A própria presidente do STF, Carmem Lúcia, deliberou que é legal a troca, e ela sabe muito bem que a troca é movida a mensalão (2).

E foi esse mesmo STF que foi protagonista do combate ao mensalão do PT, considerado um dos maiores escândalos da República, que dizia que combatia a corrupção, mas, na verdade, da mesma forma que a Lava Jato, só serviu para perseguir petistas, sem provas.

Isso porque o mensalão do PSDB, anterior ao do PT, prescreve sem julgamento e, na Lava Jato, os maiores corruptos do Brasil, como os tucanos, não são sequer investigados, apesar das provas gritantes contra eles!

Enquanto isso, Michel Temer aumenta a gasolina várias vezes para fazer caixa e através de mensalão, comprar deputados e continuar presidente!

Se para o golpista, Michel Temer o que resolve o problema é o exército nas ruas; para a maioria da sociedade, o que resolve é o povo nas ruas!

Fonte:






***




PASMEM: LAVA JATO É CONIVENTE COM A CORRUPÇÃO NA PETROBRÁS!

A Lava Jato virou filme. que estará nas telinhas a partir de setembro. A chamada do filme: A lei é para todos! O todos exclui o PSDB.


A lava Jato chamou a atenção do Brasil e do mundo quando investigou, prendeu e confiscou bens de diretores e gerentes da Petrobrás. Na ocasião, ninguém acreditava que a Lava Jato só investigaria a gestão do PT na Petrobrás e deixaria de fora os principais corruptos da empresa.

A sociedade exige a prisão de todos os corruptos e corruptores, independente de qual partido a que pertençam e que sejam julgados e condenados, em processo transitado em julgado, no qual seja dado o amplo direito de defesa.

Agora, para confirmar o que escrevo, a Lava Jato prende o ex-presidente da Petrobrás, indicado por Dilma, Aldemir Bendine.

Bendine, segundo própria denúncia da Lava Jato, foi preso por simples suspeição de recebimento de propina.

Enquanto isso, os tucanos nem sequer são investigados, como é o caso dos tucanos FHC e Pedro lalau Parente (9), mesmo com provas irrefutáveis, tais como:

- A Lava Jato não investigou o governo tucano de FHC na Petrobrás com inúmeras delações, muitas delas envolvendo até o próprio filho de FHC (5,6).

- O tucano Pedro Lalau Parente, que foi ministro de FHC, agora preside a Petrobrás indicado pelo golpista Michel Temer, mesmo já sendo réu, em processo que questiona a venda de ativos, por causar prejuízo de R$ 5 BI, quando ministro do apagão de FHC e membro do Conselho de Administração da Petrobrás (10).

Lalau, de volta á Petrobrás, vende, de novo, criminosamente, os ativos da Empresa, e agora com aval da Lava Jato.

Lalau “vende” sem licitação, para quem quer e pelo preço que ele mesmo determina:

- O campo de Carcará do pré-sal, ao preço de um refrigerante o barril;

- a petroquímica de Suape a preço de 5 dias de faturamento;

- Os dutos do sudeste – NTS. Agora, além de a Petrobrás entrar na fila junto com os concorrentes para usar esse transporte de combustíveis, ainda terá que pagar para usá-lo (1,2,3).

Lalau também tirou da Petrobrás e entregou às concorrentes as áreas mais estratégicas, lucrativas e empregatícias, como as de gás, petroquímica, biocombustíveis e fertilizantes (4).

E Parente faz isso tudo com a total omissão da Lava Jato, encarregada justamente de fiscalizar a Petrobrás.

A Lava Jato, que não investiga tucanos, nas próprias palavras dos chefes da operação, juiz Sergio Moro, que chefia a Lava Jato, e Deltan Dallagnol, que coordena a Força Tarefa da operação (7,8).

Moro disse nos EUA que não investiga o PSDB porque as investigações não chegam até ele, entretanto, só contra o senador tucano Aécio Neves são sete delações na Lava Jato. Se Aécio foi desmascarado foi devido a outro juízo.

Dallagnol em entrevista ao jornalista Ricardo Boechat: “Não tem como achar na Petrobras corrupção de um diretor ou presidente até porque não existia diretores do PSDB”. Dallagnol sempre se esquece de FHC e Lalau.

A Lava Jato virou filme que estará nas telinhas a partir de setembro. A chamada do filme – A lei é para todos! O todos exclui o PSDB!

Fonte:



***





MORO TEM RABO PRESO COM EDUARDO CUNHA, POR ISSO SOLTOU SUA MULHER, CLÁUDIA CRUZ, JORNALISTA DA GLOBO


Eu aprendi ainda nos emails, antes das redes sociais (whatsApp, Facebook), a não responder a provocadores de plantão. São pessoas reacionárias, homofóbicas e preconceituosas e que normalmente não têm nada  a acrescentar na política ou na religião, ou qualquer outro assunto, pois só vivem a policiar os opostos. Eles, os provocadores, precisam da resposta pois eles se alimentam disso.  E Moro quer polemizar com Lula para se credenciar candidato a presidência. Ninguém merece!

Alguém tem que dizer a Lula que ele não tem que responder a provocações do juiz Moro.  Agora Moro comparou Lula a Cunha e diz que a reforma do triplex é prova da corrupção de Lula (2).

A condenação de Lula é absurda pois não tem nenhum embasamento jurídico, e só se sustenta pela perseguição odiosa ao PT e a Lula.

Aí  Moro junta-se à mídia, principalmente à Globo, a juízes da mesma estirpe e aos 300 picaretas do Congresso Nacional.

Vale lembrar que muitos juízes e procuradores estão se opondo a Moro e à Lava Jato, e não são poucos.

Moro vai para o lixo da história. Alguém já disse que, se o grampo criminoso que ele patrocinou nos telefones de Lula e Dilma fosse nos EUA, ele já teria ido para a cadeia.  Sem contar os vazamentos criminosos!

Lula para desespero de Moro e de todos os seus adversários, governou o Brasil por dois mandatos e saiu do governo com mais de 80% de aprovação e ainda elegeu sua sucessora.

Por acaso alguém sabe o nome do juiz que condenou Nelson Mandela a 28 anos de prisão? Não, mas a humanidade reverencia a memória de Mandela, que morreu em 2013 e ninguém nunca vai se esquecer dele.

Lula foi investigado pela Lava Jato por mais de três anos, usaram toda a máquina do Ministério Público, dinheiro publico a rodo, e absolutamente nada encontraram contra Lula.

Dalagnol declarou ao vivo, na Globo, que não tinha provas contra Lula, só sua convicção de que ele seria o comandante máximo da corrupção na Petrobrás. E mesmo assim o juiz Moro aceitou a denúncia e condenou Lula a 9 anos e meio de prisão.

Caso quisessem realmente combater a corrupção, Moro e a Lava Jato teriam investigado o governo de FHC na Petrobrás, várias vezes delatado na operação, em muitas delas envolvendo seu próprio filho (7,8).

Muito menos investigam a gestão criminosa do tucano Pedro lalau Parente, mesmo já sendo réu por venda ilegal de ativos, quando ministro de FHC e membro do Conselho de Administração na Petrobrás (3). Pedro lalau Parente agora volta à Empresa, como presidente nomeado pelo golpista Temer, e promove uma liquidação criminosa na companhia.
Pedro Lalau Parente entrega, sem licitação, áreas do pré-sal, petroquímicas e os principais e mais valiosos dutos da empresa, os do Sudeste – NTS, e quer vender ainda a BR. Ele vende para quem quer e pelo valor que ele mesmo determina e a Lava Jato finge que não vê (4,5,6).
Moro, fisicamente não se parece com Cunha, mas tem rabo preso, já que absolveu sua mulher, Claudia Cruz, jornalista da Globo, acusada dos crimes de lavagem de dinheiro e de evasão fraudulenta de divisas.   Não por acaso, o advogado da mulher de Cunha, Marlus Arns,  é ligado à mulher de Moro, Rosangela Moro, ambos envolvidos nos crimes da Apae, no Paraná. (1).

Parafraseando o senador Romário, Moro calado é um jurista.

E Lula, não responda a Moro, e diga para o povo que você volta em 2018 e que só o povo pode garantir o seu retorno!

Fonte:
8-https://www.pragmatismopolitico.com.br/2016/10/cervero-filho-fhc-sabia-termeletrica-contratado-petrobras.html




***



COM A CONDENAÇÃO DE LULA SEM PROVAS,

MORO QUEIMOU O FILME DA LAVA JATO

A fita, como diria o escritor Nelson Rodrigues: “Bonitinha, mas ordinária”.


Um advogado petroleiro, do Conselho da OAB/RJ, num processo defendendo o prefeito Cesar Maia, em 2000, me acusou de achar que tudo de ruim que acontecia eu culpava a Globo.

Foi num processo em que eu acusava o prefeito Cesar Maia de realizar as obras do Rio-Cidade para, gratuitamente, passar os cabos da Net, isso com base numa CPI conclusa, condenando a prefeitura. Como sempre, não deu em nada e os cabos da Net/Globo estão aí. Sem esquecer, às nossas custas (2)! Mas justiça seja feita, a Globo é golpista, mas é competente.

Mas essa agora da Globo, no dia em que o Congresso enterra os direitos trabalhistas, a CLT, o seu juiz premiado, Moro, condenar Lula, sem provas, pode ser um tiro no pé.  Lógico que isso foi para desviar a atenção da sociedade.

Creio que a Globo golpista exagerou na dose! O filme A Lei é para Todos tem a cara do padrão Globo de qualidade. A fita, como diria o escritor Nelson Rodrigues: “Bonitinha, mas ordinária”.

É como um filme de James Bond, este também conhecido pelo código 007, é um agente secreto fictício do serviço de espionagem britânico MI-6, criado pelo escritor Ian Fleming em 1953.

Coincidência ou não, o juiz Sergio Moro age como um agente secreto. Se Bond, na ficção, estava a serviço da coroa britânica, Moro esta a serviço de quem? Do governo brasileiro? Da Petrobrás? Dos trabalhadores? Da Engenharia nacional? Se fosse numa prova de múltipla escolha a resposta correta seria nenhuma das respostas anteriores.

Moro está a serviço da Globo, que lhe deu o prêmio de homem que faz a diferença; a serviço dos tucanos que, apesar da extensa folha de prestação de serviços ao crime, jamais um deles foi trancafiado pela Lava Jato, nem sequer investigado e Moro, com certeza, não esta a serviço da justiça, sim, porque justiça nenhuma, de nenhum lugar no mundo, pode condenar alguém sem provas.

Mas a serviço de quem mais está este juiz?

Não podemos cair no mesmo erro do juiz Moro de acusar e condenar ninguém sem provas. Mas com muita convicção chama atenção o fato de o juiz ter formação nos EUA; “Sérgio Moro foi treinado nos Estados Unidos pelo FBI”, diz Marilena Chauí... Em vídeo, a filósofa ainda criticou o governo interino de Michel Temer, que, segundo ela,  teria como objetivo entregar o pré-sal a empresas norte-americanas, destruindo a economia brasileira e enfraquecendo o Mercosul (3);

Moro convocou os procuradores estadunidenses para investigar a Petrobrás; mandou os maiores corruptos da empresa testemunharem contra a Petrobrás em tribunais americanos, prejudicando o Brasil (5,6).  Não por acaso, Moro foi tema de matéria de exaltação nas principais revistas americanas, Fortune e Time, essa última até premiou o juiz (4).

Não precisa ser mago para imaginar o que vai acontecer nas salas de cinema lotadas em todo país, a partir de setembro, com o lançamento do Filme da Lava Jato. Vai acontecer o mesmo que aconteceu com a mãe de Moro, em Maringá, sua terra natal, sendo homenageada. Ao Final da homenagem, os presentes gritavam: Lula, guerreiro, do povo brasileiro (1)!

Fonte:





***




JUIZ SÉRGIO MORO, COMO NUM ROTEIRO DE FICÇÃO, CONDENA LULA NA VÉSPERA DA ESTRÉIA DO FILME

EMANUEL CANCELLA -

Moro fala em "evitar traumas" e decide não pedir prisão preventiva de Lula. Será que eles estão com medo de prender Lula em Curitiba e por isso fecharam a sede da Lava Jato?



O filme: A lei é para todos.  Lógico menos para o PSDB. Entre outras chamadas do filme que tem estréia marcada para setembro, confira no link (10): ...‘a gente não investiga o partido investiga o fato’... eles montaram a maior operação anti corrupção no mundo... Eu votei neles eu fiz campanha...

Se o filme é de ficção tudo bem. Mas a Lava investiga o PT. Aliás, os acordos de delações só valem para diminuir a pena se falar mal do Lula, Dilma e PT. Fizeram uma grande campanha anti corrupção na Petrobrás para investigar o PT e esqueceram dos tucanos, igual ao mensalão. Os delegados votaram e fizeram campanha para o tucano, Aécio Neves e xingaram em material de campanha, Lula Dilma e o PT (3).

A Lava Jato jogou nossas instituições da lama, principalmente a Polícia Federal e nossa justiça. Você verá isso em detalhes no filme sobre a operação que enganou todos os brasileiros.

O juiz Sérgio Moro foi o mesmo que fez parte do mensalão, como assistente da Rosa Weber, e juntos, criaram um parecer que é um monstro jurídico para prender Jose Dirceu:  “Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite” (1).

Como era esperado, na primeira esquina, ou no primeiro tribunal fora da República de Curitiba, Jose Dirceu, o ministro de Lula, seria solto, como foi, pelo STF.

Também com uma condenação sem provas, o mesmo aconteceu com o tesoureiro do PT, Jose Vaccari Neto, solto pelo TRF 4. Para este, Moro não acatou nem decisão superior e, mais uma vez sem provas, manteve a prisão (5,6). Será que vão manter a condenação de Lula?

Dallagnol é outra estrela do filme, já que foi ele que admitiu literalmente não ter qualquer prova contra Lula, mas mesmo assim, ao arremedo da Justiça, ainda o denunciou e em seguida, como dupla de perseguidores políticos, o juiz Moro aceitou essa denúncia vazia contra o ex-presidente. 

Dallagnol fez essa declaração, ao vivo, na Globo, depois de mais de três anos de investigação contra Lula, vazando diariamente mentiras para a mídia, principalmente para a Globo. Gastou rios de dinheiro público, usou todo aparato estatal, e investigando, além de Lula, sua esposa, filhos, sobrinho, irmão, amigos, compadres, etc.

E agora como num filme de ficção Moro condena Lula nesta quarta, 12/07/17, a nove anos e meio de prisão. Na verdade a Lava não quer prender Lula, quer torná-lo inelegível por que sabem que segundo todas as pesquisas que ele é imbatível. “Moro fala em "evitar traumas" e decide não pedir prisão preventiva de Lula” (11). Será que eles estão com medo de prender Lula em Curitiba e por isso fecharam a sede da Lava Jato?

Dallagnol hoje precisa, como ninguém, de um lava-Jato, para lavar a lama em que se envolveu:
- usa o Ministério Público como balcão de negócios para vender suas palestras, pela bagatela de R$ 40 mil, cada uma;
- Dallagnol também é investidor de baixo nível ou de baixa renda, já que comprou duas unidades de imóveis do programa Minha Casa Minha Vida, não para morar, mas para especular com moradias custeadas com dinheiro públicos para ajudar pessoas pobres sem teto (4).

Depois de investigar muito bem a gestão do PT, na Petrobrás, prendendo diretores, gerentes e confiscando bens, a Lava Jato seria digna de louvores se fizesse isso dentro da lei e sem escolher partido, e agora, debochando da sociedade, ainda fecha as portas em Curitiba sem investigar os tucanos, os maiores corruptos do país.

O governo tucano de Fernando Henrique é líder de denuncias na Lava Jato e muitas delas envolvendo seu filho (12,13); o atual presidente da Petrobrás o também tucano Pedro lalau Parente é réu em ação que questiona a venda de ativos quando ele era ministro do “Apagão” de FHC e membro do Conselho de administração da Petrobrás (14).

Para debochar da sociedade e com total aval da Lava Jato, Pedro lalau Parente retorna com presidente a Petrobrás, indicado pelo golpista, Michel Temer para realizar uma liquidação criminosa de ativos da Petrobrás. Pedro, vende sem licitação áreas do pré-sal, petroquímica, dutos do sudeste – NTS e agora diz que vai vender a BR (7,8,9).

Para tirar saro com a sociedade Pedro lalau Parente disse para os sindicatos que esta fazendo isso para salvar a Petrobrás, o Globo, aliado de Parente, em editorial no ultimo domingo “O avanço da Petrobras na recuperação” anuncia que a empresa dobrou seu valor, isso segundo a Bolsa de Valores. Essa Bolsa entrou na robada (15) !

A Lava Jato parece replay do mensalão, lógico que não aparecerá no filme, que também fez uma devassa no PT e, da mesma forma, ignorou o mensalão tucano, mesmo sendo anterior ao do PT, e agora está prescrevendo sem julgamento. Alguém tem dúvida no que vai acontecer com os tucanos na Lava Jato?

Não espere assistir na fita qualquer menção negativa aos tucanos, pois da mesma forma que Moro e Dallagnol, o roteiro não faz nenhuma menção aos tucanos.

Veja o filme que vai estrear e leia o livro A outra face de Sergio Moro, à venda nos seguintes locais (2).

Fonte:
O editorial de o Globo de domingo, dia 09/07/17, faz parte de sua estratégia entreguista: “O avanço da Petrobras na recuperação” (1)




***





LAVA JATO = MENSALÃO TUCANO= FARSA



A Lava Jato plagia o mensalão: ambos encerraram seus trabalhos sem julgar os tucanos. O mensalão tucano, anterior ao do PT, está prescrevendo sem julgamento (2).

Prescrição é a perda do direito de punir do Estado pelo seu não exercício em determinado lapso de tempo.

Na reportagem PF ACABA COM GRUPO EXCLUSIVO DA LAVA JATO EM CURITIBA (1), tem-se a certeza que trata-se de manobra para não investigar a Petrobrás que está sendo delapidada pelo tucano Pedro Lalau Parente.

A Lava Jato não investigou o governo tucano de FHC na Petrobrás, mesmo com trocentas delações, muitas delas envolvendo seu próprio filho (3,4).

E a Lava Jato fecha as portas na nítida intenção de blindar o tucano Pedro Lalau Parente. Julgou, prendeu, confiscou bens dos gestores corruptos no governo do PT na Petrobrás, no que fez muito bem, e agora blinda a gestão criminosa dos tucanos na empresa.

Precisamos anular todos os atos da gestão do Pedro lalau Parente e, quem sabe, colocá-lo na prisão, já que ele é réu em ação justamente sobre venda ilegal de ativos, pois já praticava esse crime desde  quando ministro de FHC e membro do Conselho de administração da Petrobrás (8).

E Pedro Lalau, num total desprezo à lei ,retorna à Petrobrás indicado pelo golpista Michel Temer, continuando sua obra criminosa liquidando sem licitação áreas do pré-sal, petroquímica, malhas do sul NTS, os dutos mais valiosos da Petrobrás, e muito mais.

Pedro lalau Parente entrega também a área de exploração e produção da Petrobrás à Total, petroleira considerada a mais corrupta do mundo. E a Petrobrás nessa área tem excelência reconhecida pelo mundo, pois já ganhou pela terceira vez o prêmio OCT, considerado o “Oscar” da indústria do petróleo (7).

Pedro Lalau Parente vende tudo sem licitação para quem quer e pelo valor que ele mesmo determina.

A Petroquímica de Suape, por exemplo, está sendo “vendida” pelo valor de cinco dias de faturamento.

A área de Carcará do pré-sal está sendo entregue a preço de um refrigerante o barril (5,6).

O mensalão resultou na prisão de vários parlamentares, grande parte do PT. Fato é que todos os petistas presos pelo mensalão e pela Lava Jato, quando o ato de prisão é analisado por outro tribunal menos parcial, são absolvidos. Foi assim com José Dirceu e com João Vaccari (9,10). Moro mantém Vaccari preso com segunda ‘condenação’, também sem provas (11).

Mais do que anular esses atos lesivos de Pedro lalau Parente ao país, precisamos botar na cadeia gestores picaretas e juízes e procuradores omissos e coniventes com o crime lesa-pátria.

Ninguém está acima da lei!

Fonte:
11http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2017/06/moro-mantem-vaccari-preso-com-segunda-condenacao-sem-provas





***



COMO NO GOVERNO DE FHC, TEMER ESTÁ SUCATEANDO TODAS AS POLÍCIAS, NEM MESMO A LAVA JATO ESCAPOU

EMANUEL CANCELLA -

Polícia Federal diz que não tem dinheiro para passaporte (2); Polícia  Rodoviária  Federal  anuncia suspensão de vários serviços por falta de dinheiro (2).  Moradores e motoristas criticam a falta de policiamento nas ruas do Rio (3). A Lava Jato perde força- tarefa exclusiva cancelada.


Fiz essa chamada para lembrar que no governo de FHC também faltava dinheiro na PF para abastecer os carros, e os telefones eram cortados por falta de pagamento (4). E não podemos esquecer que o PSDB é a principal base de apoio do governo golpista de Michel Temer.

No governo do PT, a PF realizou 50 vezes mais operações do que com FHC (5).

A Polícia Federal que vimos recentemente nas operações, de helicóptero, armas de última geração e delegados e agentes jovens, isso é herança dos governos do PT. Agora estamos voltando à era do sucateamento, como foi no governo de FHC, com polícias sucateadas por falta de verba e sem renovação de quadros por falta de concurso público.

Tanto no governo de FHC como agora no governo de Temer esse esvaziamento das polícias não é por acaso, é uma política deliberada. No governo de FHC, além da PF sucateada, o procurador era conhecido como Engavetador Geral da República.

Na Petrobrás, todas as gestões do PT foram investigadas, diretores e gerentes foram presos, ótimo. Mas na gestão do PT, na Petrobrás, foi desenvolvido tecnologia inédita que permitiu a descoberta do pré-sal, garantindo, no mínimo, nossa autossuficiência na produção de petróleo, nos próximos 50 anos. Isso se o Temer e Parente não entregarem tudo!

Como também, com Lula e Dilma, foi retomada a indústria naval, gerando milhares de empregos e demanda para a indústria, e bilhões em impostos para municípios, estados e União.

Agora tudo mudou, pois nesta gestão do tucano Pedro lalau Parente está ocorrendo a liquidação total da Petrobrás: venda sem licitação de áreas do pré-sal, petroquímica, das malhas do sudeste NTS - os dutos mais importante da Petrobrás (9,10) e muito mais. E a entrega da área de exploração e produção para a empresa de petróleo considerada a mais corrupta do planeta (11).

Sem falar na indústria naval que Pedro lalau Parente, assim como FHC, está destruindo e entregando esse potencial aos gringos. Navios e plataformas agora vão ser construídos lá fora. E tudo isso com aval da Lava Jato que, na maior cara de pau, diz para o brasil e o mundo que não investiga o PSDB (12,13) e permite essa gestão altamente criminosa, mesmo incumbida de investigar a Petrobrás.

E não adianta denunciar a omissão da Lava Jato ao MPF como fiz, enquanto petroleiro e sindicalista, pois ao invés de o MPF mandar investigar a gestão de Pedro Lalau Parente, o MPF, a pedido do juiz Moro, ainda me intimou sob a acusação de possíveis ofensas à honra do juiz (14,15). A Lava Jato perde força- tarefa exclusiva. Será desculpa para não investigar a gestão do Pedro Lalau na Petrobrás (16)?

Agora com a declaração do dono da JBS: “Que Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do país” (6), não é mais Lula como queria a Lava Jato; e com as recentes pesquisas que apontam o PT com 18% da preferência popular e o PMDB/ PSDB com 5%, sendo Lula líder em todas as pesquisas, parece que os golpistas deram um tiro no pé (8)!

Fonte:

* Emanuel Cancella, OAB/RJ 75.300, ex-presidente do Sindipetro-RJ, fundador e ex diretor do Comando Nacional dos Petroleiros, da FUP e fundador e coordenador da FNP , ex-diretor Sindical e Nacional do Dieese,  sendo também autor do livro “A Outra Face de Sérgio Moro”





***






CARLOS CHAGAS (arquivo)

SÓ DECLARANDO GUERRA A DONALD TRUMP


O presidente Michel Temer reúne amanhã os governadores estaduais. Prevê-se que nenhum falte, dada a miséria em se encontram seus Estados. Todos vem atrás de dinheiro, imaginando rolar suas dívidas com a União, obter mais empréstimos e poder ao menos assegurar o pagamento do próprio funcionalismo.

Impossível que tragam sugestões capazes de ajudar o governo federal a sair do sufoco. Saber quem está pior, se os governadores ou o presidente da República, dá no mesmo. Andam todos à espera de um milagre.

Fez sucesso, muitos anos atrás, um filme intitulado de “O Rato que Ruge”, com o inigualável e saudoso Peter Sellers, acumulando três papéis: a rainha de um pequeno país europeu, o primeiro-ministro e um capitão da guarda. Reunidos, eles concluíram haver uma só saída para o país: declarar guerra aos Estados Unidos, iniciá-la e logo depois perder. Ou todos os países que haviam perdido guerras para os americanos, como o Japão e a Alemanha, não se encontravam no melhor dos mundos, ricos e prósperos?

Assim fizeram, embarcando seu limitado exército num cargueiro de quinta categoria, com arcos, flechas e escudos. Invadiram Nova York, cuja população nem se deu conta da invasão. Aconteceu, porém, um inusitado: os invasores entram na residência de um cientista nuclear que acabara de descobrir a fórmula de uma bomba atômica de bolso. O resto da trama fica por conta do leitor encontrar uma cópia do filme e deliciar-se com o espetáculo.

Porque se conta essa história que seria cômica se não fosse trágica? Afinal, sexta-feira assume um novo presidente dos Estados Unidos. Que tal Michel Temer e os governadores declararem guerra ao governo Donald Trump? O triste seria se nós ganhássemos...



***


“Acordei de madrugada, com o coração cheio de boas lembranças de meu pai”



Por HELENA CHAGAS -




O que dizer de tanto carinho, homenagens, elogios? Seu Carlos Chagas, o jornalista, lá do céu deve estar dizendo: uai, gente, não precisava tanto... Modéstia de quem, mineiramente, não gostava de mostrar a própria grandeza. Mas tenho certeza de que adorou. Principalmente porque tudo isso fez com que eu, mamãe, Claudia, netos e bisnetos nos sentíssemos abraçados e confortados. Porque eu tenho certeza de que, até nessa hora, ele está pensando na gente. E eu acordei de madrugada com o coração cheio de boas lembranças do meu pai.

Quando eu era bebê, meu pai me enrolava no lençol, como uma mumiazinha, e me prendia no berço com clipes de papel para eu não me descobrir à noite – o que, obviamente, não adiantava nada. Ele me levou à praia aos seis meses de idade, e de lá saiu com um pacote à milanesa debaixo do braço, deixando menos areia em Copacabana porque eu havia engolido um bocado. Ele me obrigou, literalmente, a gostar de jujuba. Aí eu já devia ter mais ou menos um ano e meio, era supergeniosa e berrava enquanto ele colocava as balas na minha boca e eu tentava cuspir. Até que comecei a sentir o açúcar. Amo jujuba até hoje.

Meu pai foi o ídolo de crianças das mais diversas gerações, das filhas, afilhados, sobrinhos, filhos dos amigos, amigos das filhas, dos netos e dos bisnetos. Conversava e brincava como um igual, se encarapitava no alto das árvores, subia no telhado, levava aqueles bandos de meninos para praias desertas, ainda no Rio, e ao Zoológico de Brasília, onde ele deveria ter recebido um título de sócio, de tanto que ia. O vovô é uma criança velha, definiu um dia o neto Cacá, quando tinha lá seus sete anos. Ele contava histórias muito bem. Do universo, do mundo, do Brasil. Às vezes eu chegava na escola e achava que a professora estava repetindo o que meu pai tinha inventado.

Ele me deu todos os livros que eu pude ler, e os que eu não pude também. Acho que nunca vi meu pai sem um livro por perto, e ele cercou-se deles de tal forma que as estantes foram se estendendo pela casa toda, transbordando da biblioteca para quartos, corredores, qualquer espaço possível. Como contou minha irmã de coração, Carol Brígido, em seu lindo texto sobre o padrinho, papai tinha estantes com filas duplas de livros. Olho em volta, aqui em casa, e, entre pilhas de livros, vejo que quem sai aos seus não degenera.

Meu pai passou a primeira noite da primeira neta em casa andando com ela, aos berros, pelo corredor. E ele não ligou a mínima para o fato de, cronologicamente, a neta ter chegado antes do casamento. Quando, sem graça, aos dezenove, contei a ele que estava grávida, a reação foi uma sonora gargalhada de quem tinha desde sempre o sonho de ser avô – e que avô. Quando finalmente resolvi casar, e estávamos só nós dois em casa, antes de sair para a igreja já lotada de parentes e amigos, papai virou para mim e perguntou: “Tem certeza de que você quer mesmo ir? Não tem nenhum problema desistir. Você fica aqui, eu vou lá na igreja agora e aviso a todo mundo que você mudou de ideia...”. É claro que casei, e ele ganhou um genro que acabou por amar como a um filho.

Quando resolvi ser jornalista, tinha muito medo de ser apontada como “peixinho”, filhinha de papai que não conquistara seu espaço por merecimento. Então, resolvi que nunca trabalharia com ele, nunca aceitaria qualquer notícia que ele me passasse ou que obtivesse por fontes que encontrava na casa dele e nem falaria com ele sobre o meu trabalho. Ele entrou no meu jogo e, nas conversas em família, não falávamos de trabalho. Ignorávamos o assunto. Comecei, com certa mágoa – olha a loucura - a achar que ele não estava nem aí mesmo para meu destino jornalístico. Até que um dia entrei em seu escritório e achei um texto meu, publicado no Jornal de Brasília uns dias antes, todo rabiscado - “copidescado”, como se dizia antigamente - com erros e palavras mal empregadas sublinhados. Não sei o que ele ia fazer com aquilo se eu não tivesse achado.

Brigamos e discutimos muitas vezes, em família, por causa de política. Na minha casa, todo mundo dizia o que queria e professava o credo que lhe aprouvesse. Geralmente ficávamos eu e Claudia contra ele. Mamãe, a psicóloga, mediando e botando panos quentes. Mas aprendi com ele que essas divergências não têm, ao fim e ao cabo, a menor importância na ordem geral das coisas e da vida. Entendemos - e acho que não só nós, mas também suas legiões de alunos – a importância do respeito e da tolerância a posições contrárias.

Aprendi com meu pai a nunca perder um amigo por discordar ou pensar diferente. Lembro um domingo em que o Zé Aparecido, então governador do DF e grande amigo dos meus pais, chegou lá em casa esbaforido depois de ser vaiado por uma manifestação de estudantes. Na qual, quando olhou bem, reconheceu minha irmã Claudia. Papai achou a maior graça.

Seu Carlos Chagas, o jornalista, fazia e escrevia o que queria, fiel a seus princípios. Não hesitava em fazer artigos ácidos e críticas duras a personagens de A a Z do espectro político quando achava que devia. Nem mesmo quando no alvo estavam governos em que trabalhavam amigos ou suas próprias filhas. Tive que resolver isso na minha cabeça: o pai era muito mais importante que o emprego, então dane-se. Quando ministra da Secom de Dilma, botava para correr os chatos que vinham me mostrar artigos críticos do meu pai ao governo de cuja comunicação eu cuidava. Democracia começa em casa, e meu amor pelo meu pai é maior do que tudo isso, respondia eu. Minha então chefe sempre entendeu e nunca reclamou.

Num momento difícil nessa profissão às vezes maldita, às vezes bendita, resolvi que não ia mais ser jornalista. Estava me sentindo injustiçada, sofrendo muito, tinha errado na escolha, melhor seria ter feito Direito e ser advogada, ia parar de trabalhar, largar tudo... Ele me olhou com aquela cara de quem não estava levando a sério aquelas bobagens: “Isso é a sua vida...”. Às vezes, meu pai sabia mais de mim do que eu mesma.

Ontem, minha neta Heloísa, de quatro anos, virou para a mãe e disse que nunca mais vai desenhar. É o luto dela, que passava horas sentada no colo do Vovô Carlos (bisavô), na escrivaninha de trabalho dele, os dois desenhando juntos. Sábado passado foi a última vez.

É claro que a Heloísa vai voltar a desenhar, porque a vida continua. E essa foi mais uma das lições do Carlos Chagas: boa ou ruim, a vida continua, temos que resistir e seguir em frente. Tudo tem seu jeito, dizia ele, porque a única coisa que não tem remédio mesmo é a morte. Pois é, né, pai...
* Enviado para o e-mail da Redação






_____________CARLOS CHAGAS
O último artigo!

NEM TODOS VOLTARÃO


Dos 28 ministros do presidente Temer, 18 são parlamentares. Estão todos demitidos, obrigados a reassumir seus mandatos de deputado ou senador. A obrigação deles não é apenas votar as reformas previdenciária e trabalhista, de acordo com os projetos do governo: devem garantir os votos de suas bancadas, comportando-se como líderes. Ainda não há data fixa para as votações, coisa que prenuncia tempo razoável para voltarem a ser ministros. Por enquanto a pergunta não diz respeito a quando voltarão a seus ministérios, mas se todos voltarão. Porque muita gente sustenta não existir melhor oportunidade para o presidente reformular sua equipe. Aprovadas as reformas, por que não buscar na sociedade civil as melhores expressões de cada setor? Senão desfeita, a base parlamentar do governo terá cumprido seus compromissos.

Duvida-se de que até Michel Temer vacilará se lhe pedirem para referir de bate-pronto o nome de todos os seus ministros, bem como os partidos a que pertencem e as metas de cada ministério.

Abre-se agora, para o governo, a etapa da eficiência administrativa, capaz de estender-se até o fim do ano. Depois, num terceiro tempo, será hora de cuidar da sucessão presidencial. Temer não será candidato, ainda que disponha da prerrogativa de disputar um novo mandato. A premissa será de que o PMDB está no páreo, mesmo carente de candidatos. Poderá ser Henrique Meirelles, se a retomada do crescimento econômico obtiver sucesso. Por que não Roberto Requião, mais do que uma rima?

Em suma, a prioridade são as reformas, mas depois delas garantidas, como parece, o governo cuidará de suas estruturas. Sendo ano que vem um ano eleitoral, nem todos os ministros ficarão aborrecidos se não retornarem.





***




SÉRGIO MORO: APENAS UM DETALHE



“Onde foi que eu errei?” - deve estar se perguntando o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, agora que foi condenado a quinze anos e quatro meses de prisão. Receber propinas da Petrobras e muitas empreiteiras não terá sido motivo, tais e tamanhos tem sido os assaltos aos cofres públicos por ele e sua quadrilha, praticados ao longo das últimas décadas. Distribuição de percentuais aos deputados que votaram nele para presidente da Câmara, também não. Afinal, não precisou oferecer: a maioria agiu como quem cobrava dívidas antigas. Aceitar um de múltiplos pedidos de impeachment contra Dilma Rousseff? Já estava tudo acertado para a defenestração da então presidente da República.

Sobra, então, um tiro que acabou saindo pela culatra: Eduardo Cunha foi para as profundezas por ter tentado dar um passo maior do que suas pernas. Sua estratégia era conhecida de todos e ele não percebeu onde sua ambição poderia levá-lo. No caso, perdeu tudo porque pretendia subir mais um degrau na escada que o levaria de imediato ao poder maior. Precipitou-se. Como presidente da Câmara, ocupava posição privilegiada para chegar ao palácio do Planalto. Não escondia de ninguém que se Dilma fosse cassada, havendo ou não motivos para isso, Michel Temer não assumiria. Faltavam votos para o vice-presidente tornar-se presidente, enquanto Eduardo Cunha tinha tudo arrumadinho: Michel Temer também seria garfado. Ou não estava garantida a eleição indireta do presidente da Câmara, tendo em vista os favores e as benesses por ele concedidos à quadrilha que acabava de compor?

Esqueceu-se Eduardo Cunha de que Michel Temer também tinha suas malandragens. Era o primeiro da fila, na hipótese de Dilma ser posta para fora, ainda que lhe faltasse apoio para assumir. Na mesma hora começaram as defecções na maioria que o presidente da Câmara tinha certeza de possuir. Logo armou-se a teia de aranha para capturar o grupo dos amigos do Cunha e entregar a Temer a cadeira presidencial. Isso porque ele ofereceu mais, ainda que trabalhando na moita. Cunha logo perdeu a metade mais um dos deputados, ou seja, estava garantida a eleição do vice, na base do “quem dá mais”, muito acima da Constituição.

A posse de Temer serviu para comprovar a loteria que o favoreceu. Bastou verificar o loteamento do ministério e do governo, que permanecem até hoje. Cunha tinha sua ascensão garantida. Perdeu na jogada final. Para completá-la, a Câmara foi reunindo acusações e armando o sacrifício, para que não surgissem duvidas. Em suma, o grande estrategista foi mergulhando cada vez mais fundo, perdeu a presidência da República, a cadeira de deputado e a própria liberdade, por açodamento. Sérgio Moro tem sido apenas um detalhe, na degola de Eduardo Cunha...




***





MATANÇA ATÉ QUANDO?




Impossível mudar os costumes, que vem da pré-história, acoplados à necessidade sempre justificada pela sobrevivência do ser humano. Tem sido assim e assim continuará, espera-se que não até o fim do mundo.

No entanto… No entanto, não haverá um único cidadão que deixe de horrorizar-se quando vê despedaçadas e dependuradas carcaças e partes de animais,  expostas ao consumo geral, mesmo sabendo que pouco depois irão para a mesa na forma de bifes suculentos ou de costelas apetitosas. Menos ainda se livrará do horror quem  assiste a degola desses milhões de seres ditos inferiores, mas quem sabe plenos de consciência quando deles se aproxima o golpe  final? Basta atentar para como se comportam na fila do abate: os berros são lamentos impossíveis de ser esquecidos.

Choca a imagem das peças de boi nos ganchos dos frigoríficos, sangrando e logo esfaqueadas à espera de novos capítulos da ronda dessa matança permanente. São vidas abatidas em nome da vida dos que irão degluti-los.

Poderia ser diferente? Por enquanto, nem pensar. Raramente fazemos questão de assistir esse festival macabro, exceção dos encarregados dele. A ninguém será dado imaginar a humanidade sem comer carne de animais. Ainda bem que só de animais, pois em tempos imemoriais comia-se também o ser humano. É claro que o sacrifício serve para minorar as agruras dos homens famintos, a começar pelas crianças, mas nem por isso deixa de se constituir em indiscriminada matança.

A crise que assola nossa produção de carne, pelo jeito a maior do planeta, desperta a atenção de quantos são agredidos pelas imagens dos últimos dias. Haveria alternativa, além de desligar a televisão? Ou de cobrir as vitrinas dos açougues? Por enquanto, não. Mas um dia, quem sabe, a Humanidade encontrará sucedâneos para dispensar essa degola, ainda hoje capaz de chocar o ser humano.

Além de tudo, acresce que se ganha muito dinheiro com tal atividade. E até dinheiro podre, da corrupção. Que tal condenar os culpados ao trabalho social da prestação de serviços nos frigoríficos?