9.3.14

VITÓRIA DOS GARIS E DERROTA DA MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA! PRESSÃO E APOIO POPULAR FORÇOU A PREFEITURA A CONCEDER AUMENTO DE 37% NO SALÁRIO-BASE DA CATEGORIA. REUNIÃO CARNAVALESCA-REELEITORAL NO ALVORADA

DANIEL MAZOLA -

Após oito dias de paralisação, a greve dos garis chegou ao fim. A Prefeitura aceitou a contraproposta dos trabalhadores de R$ 1.100 e com todos os devidos adicionais, incluindo hora extra, e o sonhado ticket alimentação de R$ 20 que os trabalhadores exigiam na pauta de reivindicações. Coube aos garis do Rio uma vitória histórica que aponta novos caminhos e muda o rumo da luta dos trabalhadores, e do povo pobre do Brasil.
Não foram poucos os obstáculos que os grevistas enfrentaram para chegar a este acordo. Primeiro, o seu próprio sindicato, que vinha pelegando e fechando acordos ilegítimos com a Prefeitura, no intuito de encerrar a greve de maneira arbitrária. Houve também a tentativa de desqualificar a greve, dizendo que eram apenas 300 em paralisação, apesar das montanhas de lixo acumulado pela cidade provando o contrário.
Os guerreiros que não se renderam ao sindicato pelego, muito menos ao prefeito Pinóquio-autoritário-carreirista, à manipulação dos “principais” veículos de comunicação, ao abuso policialesco, nem a chantagem alguma, conquistaram um novo acordo salarial que elevou o piso da categoria.
A organização e a resistência de um dos setores mais explorados do serviço público do país pode ser um divisor de águas, e abre um novo capítulo na luta por direitos, iniciada nas jornadas de junho. Vem aí o tempo de vitórias públicas que impactem na vida dos brasileiros, que nos garantam ampliar direitos e viver com Democracia real e justiça social.
Só podemos agradecer e aprender com os valorosos e indispensáveis Garis, assim mesmo com letra maiúscula. Vocês estão contribuindo com a luta de classes, fazendo o povão enxergar que precisa voltar, ou ir, para as ruas. Estão colaborando com a tarefa de abrir o caminho das lutas vitoriosas de 2014, nos lembrando o quanto é importante à organização popular. Clareando e limpando nossas esperanças.
Acordo firmado entre a COMLURB, a Prefeitura Municipal, o Sindicato dos Garis, a Comissão de Greve e a OAB definiu o fim da Greve dos Garis com novo piso salarial acertado em R$ 1100,00 + Hora Extra + Ticket Alimentação. Na segunda feira o movimento estará atento a publicação dos termos no Diário Oficial e promete nova paralisação caso o acordo não seja rapidamente cumprido.

"Liberdade de empresa"
O jornalismo de mercado, em especial as Organizações Globo, durante toda a semana omitiu informações, fez o que de pior se pode fazer em matéria de jornalismo. A cobertura da TV Globo minimizou a importante luta e as manifestações, criminalizou o movimento grevista, esteve sempre ao lado da Prefeitura e de um sindicado pelego que não responde ao conjunto das reivindicações dos trabalhadores. Chegou a dizer que haviam partidos políticos por trás da greve, assim como no caso das manifestações populares e na morte do cinegrafista da Band.
As jornadas de junho evidenciaram para as camadas mais pobres da sociedade que precisamos de outra imprensa, de jornalismo crítico, que possa expor e debater todas as mazelas do sistema. A cobertura da greve feita pela mídia corporativa reforçou a evidência e o caráter venal do TV Globo e similares. O Blog Tribuna da Imprensa online e a imprensa alternativa, cumpriram um papel relevante, reportar e informar os fatos reais. O descrédito, cada vez maior, é a marca do jornalismo de mercado que só pensa na “liberdade de empresa”.
Formação politica de rua e mídias-redes! A mídia de mobilização nas redes impulsionou a onda laranja para além das ruas e dos guetos. Depois de uma semana de desqualificação, suspeitas e dissuasão do movimento dos garis, pela mídia corporativa, o Jornal Nacional deu "uma linha" seca e rápida sobre o fim vitorioso da greve, sem qualquer imagem de celebração!
Nas redes sociais, as imagens dos garis postadas pelos midialivristas ou mídiativistas inundaram as timelines. A transmissão ao vivo pela Midia Ninja mostrou o movimento desde o primeiro ato e fez circular fotos lindíssimas. Imagens que produzem comoção. O "ao vivo" nas redes traz a experiência de “estar na rua” e é hoje uma ferramenta decisiva para os movimentos populares.
Muitos garis compartilharam suas imagens pelos celulares. A linguagem usada nas ruas de um carnaval-politico, com marchinhas criticas, a linguagem do humor e dos memes nas redes, e a própria estratégia dos garis de deixar o lixo acumular, apodrecer, feder e incomodar até o limite, são formas complementares e táticas de pressão e visibilidade.
Essa greve foi uma aula de ativismo e de comunicação com a cidade. Essa vitória foi mais que especial, apesar de parcial, ainda não atende as necessidades básicas para a subsistência, mas vermos os garis nas ruas, não varrendo, mas lutando e conquistando seus objetivos foi uma imensa satisfação.
Os Garis de forma pacífica fazendo uma despedida simbólica do carro da Rede Globo, na porta do TRT, que durante toda a semana omitiu informações, minimizou as manifestações, criminalizou o movimento grevista e esteve sempre ao lado da Prefeitura. Viva os Garis e o povo que luta pelos seus direitos!
Reunião carnavalesca-reeleitoral
O principal dado comemorado na reunião carnavalesca do meio da semana, entre Dona Dilma Rousseff, Lula, postes, agregados e seus principais estrategistas de campanha, sem nenhum escrúpulo, no Palácio da Alvorada (oficialmente não é sede de campanha). O PT já começa a corrida reeleitoral com pelo menos 25 milhões de votos garantidos e consolidados para a largada de Dilma, principalmente nas regiões Norte e Nordeste.
Também ficou definida a principal ofensiva da campanha petista. O ataque será comandado pelo coordenador da área de Comunicação Digital da campanha, Franklin Martins, como já havia escrito. Os alvos serão aqueles sites e blogs que fazem oposição sistemática ao PT. A chamada “Militância em Ambientes Virtuais” promoverá os ataques nas áreas de comentários, com críticas e tentativas de desmoralização, usando pseudônimos. Ao mesmo tempo, vão inundar as redes sociais com propaganda pró-ações de governo.
Coma já adiantei, o projeto reeleitoral já dispõe de pelo menos R$ 2 bilhões. Assim, vai sobrar dinheiro para o investimento em marketagem política e propaganda muito bem remunerada. O partido promete um espetáculo de “guerra eletrônica” contra os adversários (que eles preferem classificar de “inimigos”). Dona Dilma Rousseff, Lula, postes e pelegos agregados vêm com tudo para continuar no poder.
Com essa falsa oposição que está aí, com muita grana sobrando e o risco de fraude eleitoral, ficam mais quatro anos no comando do “condomínio” facilmente (como eles se referem ao poder, nas conversas reservadas). A não ser que Joaquim Barbosa queira se aventurar nessa corrida pelo Poder, seria a única forma de tumultuar a vida dos petistas.
*Com informações do Coletivo Mídia Informal e Mídia Ninja.