7.12.15

DILMA PRECISA TEMER: PMDB-PSDB, E OS ENCONTROS ESPÚRIOS

HELIO FERNANDES -

No momento o impeachment está em grande desvantagem. Mas é uma disputa tão suja, com tanta baixaria e ambição desvairada, que o quadro pode ser modificado com o tempo. Por causa disso, a primeira batalha se trava contra ou a favor do recesso. Vários mudaram de lado, os que defendiam a paralisação como ferias obrigatórias, agora estão vorazes e sequiosos por trabalho.

Ficaram até em Brasília, nem usaram o chavão e o lugar comum, "temos que dar assistência ás bases". “Deputados equivocadamente identificados como oposição, que pretendiam mais tempo na capital para combater o governo, desistiram, afirmam: "Precisamos ir para as ruas convencer e mobilizar a comunidade”.

Tudo isso ao lado e apoiando com entusiasmo, o personagem que criminosamente ocupa a presidência da Câmara. Ha meses já deviam ter exigido a sua saída, cassado seu mandato. Não fizeram nada, ou melhor, se acumpliciaram com ele.

Dois personagens em evidencia

Eduardo Cunha não tem futuro, qualquer que seja o resultado do impeachment. Derrubada Dona Dilma, vomitarão o presidente da Câmara, acreditando que com isso limparão as consciências.  Mantida no cargo, nem precisará demitir Eduardo Cunha, ele já estará em Curitiba, o que sempre temeu.

Temer e Aécio, a partir de agora ganharam evidencia, sem julgamento, mas o primeiro luta pelo futuro e a promoção, de vice para presidente. Não importa que assuma, já no prelo, um livro intitulado, "Tratado de Traição". Que já começou a escrever. Tem dois capítulos prontos.

1-O pedido de demissão do intimismo Ministro da Aviação Civil, que subitamente, se sentiu "desconfortável".

2- A cabala para dividir ainda mais o PMDB, arrebanhando pelo menos um terço dos deputados. Até agora encontra resistência, não se desespera, sabe que o tempo é um grande aliado. O outro personagem é Aécio Neves, que quer apenas vingança pela derrota presidencial.  Não ganhará coisa alguma, queria a cassação da presidente e do vice, agora seu aliado.

Com recesso ou sem ele, será o grande assunto, obrigatório, durante muito tempo. Hoje, segunda, ás 10 da manha, apresentação dos membros da Comissão que opinará sobre o impedimento dos 65 efetivos e 65 suplentes. Amanhã, terça, votarão, nenhuma importância, fase preliminar.

Só existirão duas votações decisivas e definitivas. A primeira, na Câmara, se os "batalhadores" da saída da presidente conseguirem 342 votos, ela deixa o cargo imediatamente, o processo vai para o Senado.

Começa então o segundo julgamento, sob a presidência do presidente do Supremo. (Ainda Lewandowski ou já Carmem Lucia). Aí não haverá mais recurso, desculpa ou apelação. Com 54 votos contra, Dona Dilma estará liquidada. Com 53 contra, o impeachment estará arquivado, Dona Dilma voltará ao cargo, o que acontecerá também se ela tiver 28 votos, não importa o numero obtido pelos adversários.

No momento, os que tentam golpear as Instituições pelo excesso de ambição e para atender interesses individuais e escusos, estão muito longe desses números.

Mas com o índice de amoralidade, indignidade, irresponsabilidade, e falta de ética, os números podem ser modificados.  E como Temer já convidou Serra para Ministro da Fazenda, nada surpreendente que Eduardo Cunha seja Ministro da Justiça. Esse mesmo Temer, que era presidente da Câmara e ajudou FHC a se livrar do impeachment, já está longe do passado. E nem liga para o constrangimento de conversar com a presidente como vice de dia, e tentar tritura-la á noite, como mais do que suposto herdeiro da felonia e da falta de convicções. Ou seria de caráter?

Os terroristas do Estado Islâmico, inspiram e incentivam mais terror

Todas as vezes que escrevo sobre esses assassinos, sou obrigado a reconhecer que são covardes, bárbaros e impiedosos. Agem direta e indiretamente, têm a "vantagem" do desprezo pela própria vida, e horror pelo resto da humanidade. È preciso repetir sem cansaço: para eles não ha distancia ou obstáculos.

Agora agiram na Califórnia, no distante EUA, mudando até de métodos, usando personagens não identificados até mesmo pelo FBI. No inicio acreditavam num crime como tem acontecido lá mesmo. Até que localizaram os criminosos "satanizados" de longa distancia.

Faltam menos de 9 meses para a Olimpíada, com 10 mil atletas e mais de 100 Chefes de Estado. Não podemos admitir que é muito tempo e ainda maior a distancia. Precisamos multiplicar a segurança, por um numero inimaginável.

Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina

Macri, simpático, agradável, com a credencial de ter acabado com a dinastia incompetente dos Kirchner, conquistou os brasileiros da rua. Dona Dilma desconversou, quando ele tentou falar sobre a Venezuela e sua suspensão do Mercosul, qualquer que tenha sido o resultado da eleição de ontem, domingo.

Mudou de assunto, tentava mostrar o perigo do presidente do Equador modificar a Constituição, tornando os mandatos, ininterruptos, já para ele. Quer copiar Morales, da Bolívia, que pretende completar 22 anos no Poder. Não conseguiu dizer a ela, que nada disso é assunto interno. O importante para a comunidade, é a democrática alternância no Poder.

Dilma e Temer

Ela: "Tenho integral confiança na lealdade do Temer". Mesmo com essa extravagante, esdrúxula, estranha e intrigante afirmação, o vice comanda a campanha pelo impeachment. Na verdade, tenta formar desde já um governo de coalizão, e de colisão contra ela.

No momento, procura seduzir o PSDB, o que não é difícil. Foi a SP exclusivamente para conversar com Alckmin, falou o tempo inteiro (“sobre a crise, que se agrava sempre com maior intensidade e gravidade”). (Textual). Não falou em nomes ou cargos. Mas é publico e notório que já convidou Serra para Ministro da Fazenda e admite concretizar o que seria realidade num suposto governo Aécio Neves: FHC para embaixador na ONU. Provavelmente a única indicação que não sofreria vetos ou restrições.

Defesa suprema

Por enquanto ainda sussurrada e sem confirmação, mas exuberante como possibilidade: a defesa extraoficial de Dilma seria exercida por três ex-presidentes do Supremo, Ministros aposentados.  Seus nomes: Sepúlveda Pertence, Ayres Brito, Nelson Jobin. O primeiro já comandou o Conselho de Ética do Planalto. O terceiro teve relacionamento de Presidente da Republica e presidente do Supremo. A defesa poderia ser feita pessoalmente ou através de pareceres. Concretizada, gol de placa.

1 - Hoje, segunda feira, reeleição merecidissima do presidente do Flamengo, Bandeira de Mello. Terá o dobro dos votos dos dois adversários juntos.  Não é demérito deles, e sim avaliação positiva do que ele fez pelo clube.

2- Sou o mais antigo sócio proprietário do Flamengo, ha mais de 20 anos do Conselho Deliberativo. Desde que fui violentamente atropelado por uma bicicleta em alta velocidade, na ciclovia da Lagoa, não tenho comparecido ás reuniões.