17.2.16

MANOBRAS FAZEM CASSAÇÃO DE CUNHA SE ARRASTAR HÁ QUATRO MESES NO CONGRESSO

Via Jornal GGN -


O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, obteve mais uma manobra nesta terça-feira (16) para atrasar o seu processo de cassação no Conselho de Ética. Um dia antes da retomada da análise do parecer, o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO) renunciou à vaga no colegiado.

De acordo com a deputada do PCdoB, Jandira Feghali (RJ), o objetivo foi substituir Capixaba por um aliado de Cunha. "Com ajuda de amigos no Conselho de Ética, o presidente da Câmara conseguiu que um parlamentar que votou pela continuidade do seu processo no Conselho fosse trocado por outro que é seu aliado. Em nova votação, tudo pode mudar", disse, em sua rede social.

Capixaba já teria assumido por negociações para favorecer o peemedebista. Antes dele, o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), que ocupava o posto no Conselho de Ética, votava pela continuidade do processo contra Cunha. Ao contrário do que o esperado, o substituto Nilton Capixaba, entretanto, decidiu renunciar. O motivo descrito é que, como Rondônia é muito distante de Brasília, o deputado faltaria em reuniões do Conselho, o que poderia “não pegar bem”, disse.

A nova integrante do Conselho é a deputada Jozi Araújo Rocha (PTB-AP). A parlamentar já foi denunciada pelo Ministério Público do Amapá por favorecimento em desvio de dinheiro de cooperativa de veículos, que prestavam serviços para a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). Apesar de ter sido condenada em primeira instância, teve processo prescrito após recorrer.

Reportagem do Fato Online recordou outras manobras praticadas por Cunha e seus aliados para postergar, ao máximo, o processe de cassação do peemedebista.

LEIA:
Manobras fazem caso Cunha se arrastar há quatro meses no Conselho de Ética. Do Fato Online - Por Mario Coelho.