3.3.16

CIDADE NÃO ESTÁ PREPARADA, ATLETAS TEM MEDO DE COMPETIR NA OLIMPÍADA. FEDERAÇÃO DE REMO ADVERTE SOBRE DOENÇAS

ALCYR CAVALCANTI -

Há poucos meses de sediar os Jogos Olímpicos a cidade e seus organizadores não conseguiram preparar a cidade para a grande festa. A propaganda oficial paga a peso de ouro aos marqueteiros de plantão procura motivar a todos para o êxito do grande evento. Mas não conseguem ocultar a realidade que tem mostrado as mazelas que atormentam a população e que as autoridades ignoraram até agora, na sofreguidão de realizar o maior evento esportivo do planeta, para trazer benefícios somente para alguns, enquanto a população da cidade sofre problemas de toda espécie. A "realidade é dura" como diria o poeta popular, um desafio aos responsáveis pelos jogos, que apesar da quantia fabulosa que receberam não conseguiram solucionar problemas que afligem os cariocas durante décadas. A tão alardeada obra do Metro que seria estendido até o Jardim Oceânico na Barra da Tijuca não  deve ficar pronta até agosto.

Deve-se ressaltar que só resolveria o problema do caótico transito da cidade parcialmente, visto que o Metro funciona em linha reta e não em uma rede (ou malha) viária para atender a todos. A construção do VLT veículo leve não vai resolver o problema no centro da cidade, o trenzinho é muito bonito, mas pouco eficiente para transporte de massa e vai eliminar um dos principais acessos a Avenida Rio Branco que tem um grande fluxo de veículos. Linhas de ônibus estão sendo retiradas abruptamente sem dar uma contrapartida à milhões de usuários que ficam perdidos à procura de coletivos que foram extintos, sem que fosse dada qualquer alternativa para poder se locomover de um bairro para outro.

A poluição da Baia de Guanabara é um problema secular e tem sido também uma "caixa preta" onde há muitos anos verbas astronômicas são apregoadas e quase nada tem sido feito. A Baia nosso cartão postal atualmente é um enorme esgoto onde podem ser encontrados lixo de toda espécie, inclusive animais mortos. A Federação Internacional de Remo recomenda aos atletas que estão chegando para os testes e competições uma série de procedimentos, para que evitem ser contaminados por uma série de doenças, entre elas viroses e gastroenterites e agora as motivadas pelo mosquito Aedes Aegipty. Pedem sobretudo que evitem qualquer contato físico com a água das competições e nunca mergulhem nas águas da cidade, podem por em risco sua saúde.


Além disso pedem também que evitem andar sozinhos pela cidade, principalmente próximo a favelas, embora o chamado "Favela Tour" nunca tenha tido problemas a nenhum turista, ao contrário de alguns bairros onde assaltos acontecem durante todo o dia, exemplo o Centro da Cidade.

Com a enorme crise da saúde em toda a rede hospitalar, devido principalmente ao descaso das autoridades e má gestão, atendimentos de emergência vão ser um desafio para provavelmente mais de um milhão de turistas que virão à cidade que já foi maravilhosa, mas que agora enquanto apresenta obras sem fim, esquece do dia a dia da população que vai ter um legado de sacrifícios, de belas obras que vão admirar à distancia, mas depois retornar aos infindáveis problemas que já deveriam ter sido corrigidos, mas que  atormentam o dia a dia dos cariocas.