18.3.16

O BRASIL JOGA UMA FINAL, CUJO JUIZ DA PARTIDA É UM VENDIDO

EMANUEL CANCELLA -


O estádio está lotado, a maioria da torcida é do time adversário.    O principal jogador do time adversário já levou cinco cartões amarelos e o juiz faz de conta que não percebeu. Jogadores da nossa seleção avisaram ao juiz que esse penta cartonado é o que mais pressiona e o seu reclamo absurdo é “Quero Propina”.

Parece que o juiz está mancomunado com ele, pois ele é poderoso, e notícias dos bastidores é que ele tem até aeroporto que construiu em terras da família. Esse jogador vive fungando, parece que cheira alguma coisa. Como se não bastasse, a mulher do juiz advoga para o time adversário!

Outro jogador do time, defendido pelo juiz, é mais sujo do que pau de galinheiro e, pasmem, abre Cunha para que o juiz expulse o goleiro do nosso time. Sem goleiro quem vai nos defender, vamos ficar à mercê dos bandidos? E nosso goleiro teve nas urnas o aval da maioria dos brasileiros!

A mídia, que transmite o jogo, manipula a torcida e mascara a sujeira do adversário, no intervalo da partida passou os melhores momentos do adversário e esconde a baixaria da partida. Essa mídia já até premiou o juiz da partida! E a polícia no estádio defende o juiz corrupto e ameaça a torcida brasileira! Nossos torcedores, em desvantagem numérica, gritam “O povo não é bobo! Abaixo a Rede roubo!

Agora entra em campo um barbudinho, esse jogador já foi metalúrgico e ganhou dois títulos consecutivos e saiu de campo com aplausos de mais de 80% da torcida brasileira. Mas que absurdo, o barbudo nem pegou na bola e o juiz já lhe deu dez cartões amarelos, querem expulsar ele da partida. Mesmo com o time adversário com ampla vantagem, eles estão com medo do barbudo e querem tirá-lo de campo.

A torcida fica aflita porque a Suprema Corte dos juízes é formada por magistrados que defendem banqueiro ladrão e estuprador;  com juiz que bate até em mulher; juiz que comprou apartamento em Miami sem pagar Imposto de Renda; afora os omissos e acovardados; Juiz que suspendeu a lei do direito de resposta, portanto não adianta reclamar!

A torcida brasileira promete ir às ruas protestar e, quem sabe, virar a partida, pois já percebeu que, no campo, vai prevalecer a vontade do juiz vendido que tem apoio da mídia e, na Suprema Corte, prevalece a vontade dos maiores corruptos do Brasil!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).