12.4.16

LULA: PARTE DA ELITE NÃO ACREDITA EM DEMOCRACIA

Via Brasil247 -


No ato da Cultura pela Democracia, que ocorreu nesta segunda (11), no Rio de Janeiro, o ex-presidente Lula afirmou que "jamais" imaginou, aos 70 anos, "ver golpista tentando tirar uma presidenta eleita democraticamente". Ele voltou a criticar o vice-presidente Michel Temer e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

"Veja quem quer tirar Dilma. Primeiro, Temer; segundo, Cunha; terceiro, Geddel; quarto, Henrique Eduardo Alves. Essa gente deveria usar a minha vida como exemplo. Eu perdi várias eleições e esperei para chegar a minha hora. Nunca vocês viram eu falando que o mandato do outro era ilegal, nunca me viram ir à Justiça. Eles mostraram a faceta de uma parte da elite brasileira, que não gosta e não acredita em democracia. A democracia deles é quando eles estão no poder", afirmou. "A elite nunca se preocupou com os mais pobres, nunca se preocupou que o pobre estudasse. Para eles, pobre nasceu para ser pedreiro, faxineiro. Nós mudamos essa lógica.", disse.

O ex-presidente voltou a falar que irá trabalhar como ministro para recuperar o país. "Nós vamos recuperar este país. Este país aprendeu a ser respeitado. O povo aprendeu a gostar de si mesmo", afirmou.

Ele disse que a presidente Dilma Rousseff "aprendeu" que não deve governar com os olhos no mercado. "Ela fez um ajuste que nenhum companheiro gostou. Agora, a companheira Dilma aprendeu uma lição. O mercado dela não é o banqueiro, é o povo trabalhador. Eles não deixam a Dilma governar, querem truncar a democracia", afirmou.

Lula fez referência ao golpe de 1964. "As pessoas mais conservadoras diziam que os militares iam consertar o Brasil. Muita gente acreditou nisso", afirmou. O ex-presidente disse que nunca contestou resultado de eleições e voltou a criticar a imprensa. “Perdi em 89 roubado, com apoio da Globo, e fiquei quieto”, afirmou.

Veja a cobertura do 247 sobre o ato aqui, aqui e aqui.