4.4.16

MADAME NÃO MERECE FICAR ONDE ESTÁ

CARLOS CHAGAS -


Certos estadistas, historiadores, santos e generais, entre tantas categorias que se destacam na vida em sociedade, conseguem desfazer através do humor, um monte de ilusões e até de enganações apresentadas como definitivas. Estamos numa situação  igual a tantas milhares de outras. A presidente Dilma Rousseff reelegeu-se em outubro passado, anda mal de popularidade, mas está faltando um raio de luz capaz de mostrar sua verdadeira face. Algum fato novo em condições de tirar o  Brasil da contra-mão. De expor que se não deu certo até agora, pior vai ficar.  Acima e além das sequelas e querelas que envolvem a incertezas do impeachment, porque o país necessita de novos rumos. A História é inexorável.

Leônidas, à frente de trezentos espartanos, foi ameaçado por Xerxes, imperador da Pérsia, para que se rendesse, pois chefiava tantos soldados que se disparassem suas flechas a um só tempo, cobririam a luz do sol. Veio a resposta: “melhor, combateremos à sombra”. Os gregos venceram  a batalha...

Herói da batalha de  Queronéia, Alexandre aproximava-se para tornar-se senhor do mundo e, de passagem por Atenas, quis conhecer o mais sábio dos gregos. Diante de Diógenes, que morava num barril, vestido de andrajos, indagou o que poderia fazer por ele, dando-lhe tesouros, palácios e riqueza sem limites. Resposta: “Majestade, não me tireis aquilo que não me podeis dar”. Alexandre encontrava-se de pé, na porta da miserável moradia, entre o sábio e a luz do sol...

O rei Hierão, da Sicília,  dera a um escultor de Siracusa certa porção de ouro para a construção de uma coroa. Quando o trabalho foi entregue, pesava tanto quanto o ouro, mas surgiram dúvidas: não teria o ourives substituído parte do ouro por prata? Durante várias semanas Arquimedes quebrou a cabeça,  mas ao entrar numa banheira, notou que a água transbordava na razão da profundidade da imersão  de seu corpo, e que seu corpo  fazia menos pressão para baixo quanto mais fundo submergia. Concluiu que um corpo flutuante perde menos peso  em proporção ao volume de água que desloca. Um teste com a coroa submersa revelou a quantidade de prata que  fora empregada e quanto ouro fora roubado...

Voltaire, precursor da  Revolução,  foi enviado à Bastilha pelo Regente da França. Arrependido, o  monarca mandou soltá-lo e ainda concedeu-lhe  vultosa pensão. Em carta a Felipe, Voltaire agradeceu os cuidados para sua alimentação mas acrescentou que de agora em diante, de sua habitação, cuidaria ele mesmo...

Tancredo Neves, então governador,  recebeu a informação de que havia na bancada mineira mais deputados favoráveis à  formação do  Estado do Triângulo do que defensores da integridade de Minas. Mandou perguntar onde estava a lista dos separatistas, avisando  todos  os seus partidários para assiná-la. Até hoje, Minas é uma só...

Aparício Torelli, futuro Barão de Itararé, era estudante de Medicina, mas não ligava para os estudos. Diante de vetusta banca examinadora, não conseguia responder uma única pergunta. Foi  agredido por um mestre que, diante do silêncio do aluno, dirigiu-se a um contínuo e ordenou: “seu” José, traga-nos um monte de capim!”  Resposta do Aporelli: “e para mim, um cafezinho...”

Milhares de exemplos podem ser pinçados na História para provar  que as coisas frequentemente não  são  o que parecem. E que Madame, com todo o respeito, não merece ficar por muito tempo onde está...

ESTADO UNITÁRIO EM VEZ DE FEDERATIVO?

Unem-se as quadrilhas, ainda que se dediquem a repetir os mesmos crimes. Quem é flagrado no petrolão foi condenado no mensalão. Quem recebeu propina para votar com o governo no Congresso também abriu contas no exterior. São os mesmos, chamem-se Silvinho, Bunlai, Ronan ou Valério. Questiona-se apenas quando começou: se após a  primeira eleição do Lula ou antes, quando o PT conquistou sua primeira prefeitura no interior de São Paulo.  A metástese não parou, basta digitar o nome de empreiteiras, diretórios municipais ou bancos empenhados no trato com a coisa pública, sem esquecer obras onde companheiros e afins se dedicam a exaltar as excelências do modo petista de governar.

Adianta tirar quem se encontre puxando a fila, no caso, através do impeachment da presidente Dilma? Nem de longe, pois Madame é apenas um símbolo. Junto com ela situam-se legiões de grandes e pequenos participantes de um dos maiores escândalos da República, iniciados empalmaram o poder.

Claro que tem  gente  honesta  no PT, ou até que muitos tidos como ladrões não  chegaram  a roubar, ou roubaram muito pouco. Fazer o quê,  diante dessa desmoralização completa da atividade política?  Falam em separar o joio do trigo, mas separando o trigo do joio talvez não sobrem grãos suficientes para assar um pãozinho francês.

Solução, mesmo, não se encontrará  na identificação ou sequer na punição dos responsáveis pela roubalheira. Outros virão, mais ágeis e espertos do que os supostamente punidos. Sendo assim, haverá que buscar saídas diversas, começando pela demolição das estruturas legais que permitiram o assentamento de tamanho descalabro.  Para começar, a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte destinada a redesenhar o regime.  Em vez de Estado Federativo, um Estado Unitário. Claro que composto através de eleições diretas e livres, mas forte o bastante para levar a todo o território nacional a presença inflexível da autoridade pública.

Não se tenha a ilusão de imaginar um paraíso a partir desse simples começo, mas sem ele não se chegará a lugar algum. Vale iniciar partindo dessa premissa.  O diabo é se  dela resultar o PT como força maior...