16.5.16

1- DEBATE E BAIXARIA. 2- COISA DE POETA. 3- AVERTANO ROCHA. 4- AS MÃES DOS PRESOS

MARCELO MÁRIO MELO -

O grande problema é não se saber trilhar uma polêmica acirrada no campo das ideias sem incorrer na baixaria e na ofensa pessoal.

Defendo a radicalidade teórica, analítica e propositiva, e detesto eufemismos e diplomatices polemicas. Um bom diálogo pode ser o começo de uma excelente discordância.

Mas que não se leve isto para o terreno pessoal. E que em meio às mais inconciliáveis divergências, saiba-se preservar as amizades, que ultrapassam as conjunturas.

COISA DE POETA

Procurando captar as pulsações do ignorado. Não uma procura intencional, roteirizada. Mas como o viajante que desembarca numa estação desconhecida.Ou que se encontra num recinto estranho e escuro. Ou que procura por um objeto perdido, sem se lembrar qual seja. Existem momentos em que o poeta se sente assim. Então, convoca o batalhão de palavras para tentar colher no ar algum sentido. Às vezes, como um caçador de borboletas cego.

MORRE AVERTANO ROCHA
(Irmão de Chico de Assis)

Faleceu no domingo (01/05), em Niterói-RJ, de acidente vascular cerebral, aos 76 anos, o jornalista e advogado António Avertano Rocha, irmão mais velho do advogado e ex-preso politico pernambucano Chico de Assis.

Anistiado politico, Avertano era diretor da Agência Nacional em Pernambuco, sendo destituído, preso e cassado pelo golpe militar de 1964. Foi diretor do periódico A Liga, órgão oficial das Ligas Camponesas.

Militante do PCB, Avertano participou da geração de líderes estudantis que assegurou, nos anos 1950,a partir do Clube dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco, a conquista do abatimento de 50 por cento, para estudantes, em transportes coletivos e casas de diversão.

Nesse processo, o Clube foi transformado em CESPE – Centro dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco, reconhecido como entidade oficial e fechando as portas da UESPE, nas mãos de facções de direita que iam, de padres a políticos vinculados a partidos da época, aos integrantes da FACESPE– Frente Anticomunista dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco, diretamente orientada pelo delegado Álvaro da Costa Lima, conhecido torturador pernambucano.'

AS MÃES DOS PRESOS

As mães dos presos
não são ´propriamente pessoas
são relógios de amor
que nunca param
as suas pulsações
de passos
lágrimas
e solidárias 
esperanças 
carceradas.

[Lembrando da minha mãe, Clarice, que me visitou regularmente nos mus 8 anos 43 dias e 19 horas de prisão, nos tempos da ditadura, de 1971 a 1979, dos 27 aos 35 anos],
Uma mãe nunca diz três coisas a um filho:
"precisamos dar um tempo";
"nossa relação está em crise"; 
e, principalmente, "apareceu uma figura"