24.5.16

DANÇA COM LOBOS

Por JOÃO VICENTE GOULART - Via Instituto João Goulart -


Era só ter o mínimo de percepção, quando os senhores do engenho, deputados, senadores e políticos dirigidos por interesses extemporâneos (300 deles na Lava Jato) que confrontam as aspirações populares das urnas, se articularam, e como lobos em cima da carniça traíram não somente a ética política, como a fantasiaram num luxuoso disfarce de constitucionalidade à moda veneziana e colocaram, sem votos, suas máscaras e lentejoulas no grande salão do pátio Brasil.

Lamentavelmente Temer, conduzido pelo lobo-alfa, hoje afastado pelo STF da presidência da Câmara de Deputados, Eduardo Cunha, deixou-se manipular pela derrubada da presidente Dilma Rousseff, e pior; acertou, prometeu, conspirou e cedeu à matilha a esperança de poder tão por eles desejada. Sem nenhum respeito as urnas e a população do Brasil, seus trabalhadores, mulheres e homens, comprometeu-se com o botim da traição, através da manutenção do seu poder de fogo nas mãos do Congresso e ainda com o compromisso de que, em um novo governo, formado com eles mesmos que até ontem pertenciam ao velho, sem nenhum escrúpulo, como nunca se viu em democracia alguma, trocariam de lado como verdadeiros traidores, cínicos da democracia, para auto proteger-se.

A promessa era intrínseca e secreta; sairiam ilesos da Operação Lava-Jato da qual estariam envolvidos.

Mas, lobo come a comida do lobo.

Como disse Sergio Machado: “Estão todos na bandeja para serem comidos.”

Ontem, Geraldo Magela Fernandes da Rocha, 65, empresário, abriu a boca e declarou à Polícia Federal que aceitou ser laranja do Senador Romero Jucá em declaração por ele prestada, sob investigação.

Hoje, a Folha de São Paulo vazou a toda a opinião pública que o atual ministro do Planejamento e ontem líder do governo Dilma, Romero Jucá (PMDB-RR) foi pego sugerindo em conversas com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado que uma “mudança” no governo era necessária e que resultaria em um pacto para “estancar a sangria” atribuída à Operação Lava-Jato. Confirma-se assim a suposição da conspiração e os motivos do desfecho do impeachment.

Esses são os “novos” ministros e arautos da moralidade e ética do novo governo TEMER.

Esse é o novo ministério de “vulto” que prometiam aos brasileiros.

O “vulto” é gigante e ainda virá para continuar tirando os lobos da toca, pois a justiça não pode ser obstaculizada.

-Não é assim, ministros do STF?

Enquanto o Brasil espera..., dança com lobos!

*João Vicente Goulart, Diretor IPG-Instituto João Goulart.