21.6.16

SERIAM OS POLÍTICOS OS MAIORES CANALHAS DA NAÇÃO?

EMANUEL CANCELLA -


Creio que não! É verdade que, no Congresso Nacional, temos mais de trezentos picaretas, como disse outrora Luis Inácio Lula da Silva, e a votação do impeachment de Dilma mostrou isso. Mas, pelos menos os políticos  são presos, cassados, achincalhados e ameaçados o tempo todo!

Entretanto torna-se preciso que olhemos outros setores da sociedade que estão na zona de conforto, e são tanto ou mais corruptos que os parlamentares, e não sofrem nem sequer ameaça e ainda ficam dando lição de moral, como se fossem honestos!

E o caso da mídia, principalmente a Globo, que tem um passado nebuloso por ter apoiado e crescido à sombra da ditadura, inclusive por isso usou o satélite da Embratel, por mais de vinte anos, e de graça. Além disso, a Globo, a Band, a Folha, Editora Abril, responsável pela revista Veja, o grupo RBS, Jovem Pan e TV Massa e outros estão envolvidos no Swssleaks, que são contas na Suíça, no HSBC, para lavagem de dinheiro. Se isso não bastasse, a Globo sonegou o Imposto de Renda da transmissão da Copa do Mundo de 2002. A mesma Globo está ainda  envolvida no Panama Papers, que são contas também para lavagem de dinheiro! E a Globo, assim como a TV Massa, do Ratinho, tem a cara de pau de fazer discurso pela moralidade, como se estivessem debochando da sociedade. E quando alguém fala mal da Globo, ela se faz de vítima, e diz que querem destruí-la.  A sociedade só quer que a Globo se submeta à lei, como qualquer empresário ou pessoa física. Afinal, a lei vale para todos! Ou não?

Os juízes constituem outro nicho de impunidade! Veja o juiz Gilmar Mendes! Você conhece alguém mais sujo que esse juiz? Gilmar Mendes deu dois habeas corpus, em 24 horas, ao banqueiro Daniel Dantas, condenado a dez anos! E além de expulso da policia federal, a Justiça ainda manda prender o delegado que prendeu o banqueiro! Mendes também concedeu habeas corpus ao médico estuprador, Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de cadeia, por ter estuprado 37 mulheres e abusar sexualmente de outras tantas. O estuprador fugiu logo depois!

Gilmar Mendes e Dias Toffoli foram citados na gravação do filho do ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, como aliado no plano de liberdade e fuga de Cerveró, que seria libertado e fugiria logo depois, como o estuprador. Foi dessa gravação que resultou na prisão do senador Delcídio. Toffoli também é autor da suspensão da lei do direito de resposta, o que na prática dá liberdade de imprensa para as empresas de comunicação insultar quem quiser e a vítima não poderá fazer nada porque Toffoli suspendeu o direito de a pessoa contestar o agravo!

Gilmar Mentes, com essa vasta contribuição ao mundo do crime, ainda continua ministro do STF e ainda acumula a presidência do TSE!

E os juízes, ainda, têm a cara de pau de, num clima de crise econômica, “conquistar”, com ajuda do agora ex-presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, em regime de urgência, mais de 40% de reajuste salarial. Sem falar no auxílio moradia e educação, que somam quase dez salários mínimos mensais, e não satisfeitos, ainda pleiteiam retroativo a 1988. 

Voltando aos empresários da comunicação, com denúncias mostrando que são tão nocivos à nação quanto parlamentares e magistrados, estão na zona de impunidade! Isto porque Swssileaks e Zelotes são escândalos muito maiores que os da Petrobrás e nenhum foi preso ou teve seus bens confiscados! Aliás, empresários investigados só os ligados à Petrobrás!  E isto não é que essa nossa inJustiça queira acabar com a corrupção, na verdade ela só quer desmoralizar a Petrobrás para entregá-la aos gringos, seus clientes!

É muito bom que se investigue a Petrobrás, confisquem os bens roubados e prendam os corruptos! Mas e os outros? Há até ladrão de merenda sob o manto da proteção investigatória!

Pior que a impunidade é ter que ouvir Gilmar Mendes, a Globo e o apresentador “Ratinho” dando aula de combate à corrupção!

*Emanuel Cancella é coordenador do Sindicato dos Petroleiros do Estado do Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ) e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).