15.10.16

A SENHORA QUE BATEU NO EDUARDO CUNHA É A MÃE DO BRASIL

EMANUEL CANCELLA -

Essa é a nossa justiça: contra Lula, sem provas, mas com convicção e, na defesa dos tucanos, mesmo com provas, a prescrição.


Só essa senhorinha e a Dilma enfrentaram o Cunha! Dilma caiu porque não cedeu às chantagens de Cunha. O próprio procurador da Lava Jato, Carlos Fernando dos Santos Lima, reconhece: "Aqui temos um ponto positivo que os governos investigados do PT têm a seu favor. Boa parte da independência atual do Ministério Público e da capacidade técnica da Polícia Federal decorre de uma não intervenção do poder político, fato que tem que ser reconhecido. Os governos anteriores realmente mantinham o controle das instituições, mas esperamos que isso esteja superado" (1).

Todos amarelaram, STF, MPF e PGR. Ou são cúmplices ou estão com medo de serem citados no livro do Cunha. A atitude mais ridícula foi a do juiz Sergio Moro, chefe da Lava Jato, que além de não fazer seu dever de oficio que é o de  prender Cunha, ainda libera o passaporte da esposa do ladrão, altamente envolvida nos negócios do marido. Ladrão foi o termo usado contra Cunha dentro do aeroporto Santos Dumont, seguido de ‘Pega, pega’ (2).

A sociedade assiste à derrocada de nossas instituições. É inconcebível um procurador do Ministério Público denunciar um ex-presidente da república alegando que: “Não temos Provas, mas temos convicção' e “ Lula era Comandante Máximo da Corrupção da Petrobrás” (3).

E o mais terrível o juiz Sergio Moro, chefe da operação Lava a Jato, acolhe essa denuncia vazia. Isso depois de meses e meses de estudo e trabalho, gastando o dinheiro público, eles apresenta uma calhordice dessa, ao vivo, e, como não poderia deixar de ser, na Globo. E na Globo que passa todo vazamento seletivo da Lava Jato, mesmo as partes sabendo que isso é crime!

Esses calhordas acusam o ex-presidente Lula sem provas e se negam a investigar o governo de FHC, na Petrobrás, citado várias vezes em delação na Lava Jato.

O Filho de FHC, citado pelo ladrão, diretor da Petrobrás, o já preso Nestor Cerveró, é ignorado pela Lava Jato, mas eles perseguem sem provas o filho de Lula(4).  Se negam a investigar FHC, mesmo o próprio escrevendo em seu livro, Diários da Presidência, que havia corrupção na Petrobrás, em seu governo.

Querem prender Lula se provas. E não prendem, com provas e citados em delação na Lava Jato, os senadores tucanos Antonio Anastasia, Aloisyo Nunes, Aécio Neves, este cinco vezes delatados.

E não venha com essa história de que a vez dos tucanos vai chegar, pois disseram isso no mensalão do PT, prenderam várias pessoas, todos sem provas, pela ‘Teoria do Domínio dos Fatos’, entretanto o mensalão tucano, anterior ao do PT, está prescrevendo sem julgamento. E Moro também estava no mensalão, como assistente da ministra Rosa Weber, blindando os tucanos.

Da mesa forma, após prescrição, agora também encerado o escândalo do caso Marka-Fonte Cidam em que o governo de FHC usou em 1999, R$ hum Bi de dinheiro público com a lorota de que era para salvar o sistema financeiro nacional. Como pode ‘um tamborete’, um banco que ninguém conhecia ameaçar o sistema bancário nacional?

Essa é a nossa justiça!  Contra Lula sem provas, mas com convicção, e na defesa dos tucanos, mesmo com provas a prescrição (6).

O juiz Sérgio Moro já percebeu que o povo já não agüenta mais esse conluio da Justiça com os golpistas, na resposta ao brilhante artigo na Folha do professor, Rogério Cezar de Cerqueira Leite, ele antecipou a possibilidade de agressões, como a de Eduardo Cunha, no Aeroporto Santos Dumont no Rio, ontem, 13/10. Diz o trecho da resposta de Moro “ (...) chegando a sugerir atos de violência contra o ora magistrado (...)” (5)

Na verdade quem está a sugerir atos de violências contra “autoridades” não é o professor Cerqueira Leite, muito pelo contrário, o professor faz um alerta. Os culpados pelo ato no aeroporto Santos Dumont, contra Cunha, são aqueles que estão jogando nossas instituições na lama, pois diante da omissão de nossas instituições só resta ao povo fazer justiça com as próprias mãos!

Até que se estabeleça a justiça neste país, precisamos de mais senhorinhas, e de homens, com atitudes como a do aeroporto Santos Dumont no Rio, contra Cunha!

Fonte:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP).