10.11.16

1 - CRIVELLA PODE DIMINUIR REPASSES PARA A GLOBO EM “PARCERIAS” DE OBRAS E PUBLICIDADE; 2 - PETROLEIROS CONTRA O DESMONTE DA PETROBRÁS E NO APOIO ÀS OCUPAÇÕES [VÍDEO]

REDAÇÃO -

O conflito entre o prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), e o Grupo Globo poderá ter impacto sobre as parcerias hoje existentes da empresa com o município.

Ao longo dos oito anos da gestão Eduardo Paes (PMDB), que deixa o cargo em janeiro, o grupo de comunicação atuou nas áreas de educação, cultura e eventos da cidade.

Por meio da Fundação Roberto Marinho, o grupo foi responsável pela reforma do edifício D. João para sediar o Museu de Arte do Rio (MAR) e pela concepção do Museu do Amanhã, símbolos da revitalização portuária.

O grupo recebeu da prefeitura R$ 89,6 milhões pelas duas obras. A fundação ainda participa dos conselhos dos museus, sem remuneração.

O município também patrocina, desde 2011, a Infoglobo, empresa ligada ao grupo, na realização de eventos de gastronomia, educação, moda, música e Carnaval.

O Grupo Globo recebeu R$ 132 milhões da prefeitura por meio da Fundação Roberto Marinho e da Infoglobo, sem incluir pagamentos por publicidade.

A continuidade das parcerias depende de Crivella, que chamou a emissora de TV do grupo de “inimiga jurada” de sua candidatura.

(…)A escolha inicial pode se refletir também na disputa por verbas de publicidade.

A prefeitura não divulga a distribuição por emissora, mas a Folha apurou que a Record não recebeu nada dos R$ 86 milhões pagos em publicidade neste ano.

No ano passado, foram apenas R$ 4,5 milhões dos R$ 105,4 milhões gastos, enquanto a TV Globo teve cerca de R$ 23 milhões.

Paes decidiu interromper os repasses à Record por suspeitar que a emissora estivesse favorecendo em seu noticiário o senador, rival de seu aliado Pedro Paulo (PMDB) na disputa pela sucessão.

Atribuía a esse fato uma série de reportagens que apontavam suspeitas sobre políticos do PMDB. (Via Folha)

***

Petroleiros contra o desmonte da Petrobrás e no apoio às ocupações

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) levou nesta terça para a sede da Petrobrás - Edisen, a Caravana Nacional.

No hall do prédio sede da empresa os petroleiros e petroleiras denunciaram o projeto entreguista de Pedro Parente e Cia que pretende desmontar a Petrobrás, e a má vontade da empresa para o fechamento do ACT.

Posteriormente, após o ato do Edisen, os integrantes da FNP realizaram uma visita ao 'Ocupa IFCS' na Universidade Federal do Rio de Janeiro para mostrar o seu apoio às mais de duas mil ocupações que estão sendo realizadas pelo Brasil por estudantes em escolas e universidades contra a PEC 241. (Via APN)