23.2.17

QUANDO A LAVA JATO VAI CHEGAR AO PSDB?

EMANUEL CANCELLA -

Esses picaretas do MPF ainda querem aprovar as dez medidas contra a corrupção. Para quê? Para livrar a cara de seus cupinchas e atacar seus adversários?


Um amigo meu diz com ironia: guando o sargento Garcia prender o Zorro! E eu respondo aos midiotas, que acreditam que a vez dos tucanos vai chegar: o mensalão que julgou, condenou e prendeu pessoas de vários partidos, principalmente do PT, não julgou o mensalão tucano, mesmo ele sendo anterior ao do PT. Pasmem, o mensalão tucano está prescrevendo sem julgamento.

A sociedade e a lei exigem que corruptos e corruptores, de todos os partidos, sejam investigados e, se condenados, com amplo direito de defesa e com juízes imparciais, sejam presos.

Para começar, não dá para acreditar na polícia quando os próprios delegados da operação da Lava Jato fizeram campanha para o tucano Aécio Neves, inclusive, no blog de campanha, chamaram Lula e Dilma de anta.

Mas o conluio da Operação com o PSDB vai muito além dos delegados. Esse favorecimento aos tucanos  chega ao juiz chefe da operação Sérgio Moro, já que foi daí que saiu a farsa, às vésperas da eleição, de  que Lula e Dilma saberiam da corrupção na Petrobrás.

Como também foi do próprio Moro que, em mais uma intenção de queimar o nome da presidente Dilma, disse que faltava dinheiro para operação Lava Jato, no que foi desmentido pela própria PF (5). E chega à Procuradoria, pois foi  o coordenador da Força Tarefa da Lava Jato que saiu através do Power Point, ao vivo, na Globo, dizendo bestialmente que não tinha provas, mas apenas convicção de que Lula seria o comandante máximo da corrupção na Petrobrás.

Se toda a Lava jato está envolvida em caçar o Lula e Dilma (sem provas) e nem investigam os tucanos, a cúpula do MPF vai além: além de blindar os tucanos,  pune quem critica a Lava Jato, como no meu caso, que denunciei formalmente, em novembro de 2016, a omissão da Lava Jato em relação à gestão do tucano Pedro Parente que está liquidando a Petrobrás (2). A denúncia até hoje está sem resposta, o feirão continua na Petrobrás, mas eu fui atacado, já que fui foi intimado pelo MPF, a pedido do juiz Sérgio Moro, por possível crime contra a honra do servidor público (4).

Criticar a Lava Jato é proibido pelo MPF. E não é somente o autor da denúncia que foi intimado, já que integrante em São Paulo do grupo de combate à corrupção do MP diz que policias federais não devem criticar a Lava Jato(1)

A blindagem ao PSDB, pela Lava Jato, vem de longe. O governo de FHC na Petrobrás já foi várias vezes delatado, e, como deboche e na certeza da impunidade, FHC chega a dizer  em seu livro Diários da Presidência, que havia corrupção na Petrobrás em seu governo. E nada acontece!

Além de eu ser intimado pelo MPF, fui interpelado, juntamente com toda a direção do Sindipetro-RJ, pelo presidente da Petrobrás, Pedro Parente, para justificar nossas críticas à venda do campo de Carcará. Para quem não sabe, o campo de Carcará do pré-sal foi “vendido”, sem licitação, a preço de um refrigerante o barril  para a norueguesa Statoil.

Esses picaretas do MPF ainda querem aprovar as dez medidas contra a corrupção. Para quê? Para livrar a cara de seus cupinchas e atacar seus adversários? E essa turma, juízes e procuradores, ainda tem o acinte de exigir que fiquem de fora da lei dos crimes de responsabilidade!

E para mostrar que nada vai nos calar, veja o vídeo: A outra face de Sérgio Moro – A mulher bomba (3).

Fonte:

*Emanuel Cancella que é da coordenação do Sindipetro-RJ e da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e autor do livro “A outra face de Sérgio Moro”