30.3.17

NEGOCIAÇÃO SALARIAL DOS FRENTISTAS DO MUNICÍPIO DO RJ SERÁ RETOMADA HOJE

Via SINPOSPETRO-RJ -

Expectativa cerca a terceira rodada de negociação salarial dos dez mil trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência.


Após duas rodadas de negociação salarial sem que se fosse apresentada uma contraproposta, a diretoria do SINPOSPETRO-RJ espera que os representantes do SINDICOMB (Sindicato Patronal), apresente na reunião desta quinta-feira (30), uma proposta que contemple as necessidades dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência do município do Rio de Janeiro.

A categoria, que tem data-base em 1º de março, reivindica aumento salarial de 16,36%. Além do reajuste, os trabalhadores pleiteiam vale-alimentação no valor de R$ 300,00, um piso salarial da categoria a título de Participação nos Lucros e Resultados (PLR), vale-transporte gratuito e tíquete-refeição diário de R$ 20,00, reivindicação antiga da categoria.

Nas negociações, o sindicato conseguiu assegurar a data-base da categoria, com isso todos os direitos da Convenção Coletiva estão mantidos, até que termine o processo negocial.

Além das cláusulas econômicas, o sindicato também incluiu as questões sociais na discussão. Na pauta de reivindicação, o SINPOSPETRO priorizou a segurança dos trabalhadores e cobra a lavagem dos uniformes pelas empresas como determina o anexo II da NR 9. O sindicato também exige o afastamento das funcionárias gestantes e lactantes de qualquer atividade, em locais insalubres ou periculosos, a partir da comunicação do estado de gravidez ao empregador, até a liberação do médico.

LUTA

O presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, chama a atenção da categoria para o momento difícil que a classe trabalhadora atravessa. Ele diz que está na hora do trabalhador sair do imobilismo para lutar pelos seus direitos. Segundo Eusébio, diante da dura realidade imposta à classe operária pelos grupos que estão saqueando o país, é preciso que a categoria esteja mobilizada e unida para conquistar aumento e novos benefícios. “Vamos ter que conquistar na raça, porque as leis, hoje protegem menos os trabalhadores”.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ