24.3.17

SINDICATO DOS FRENTISTAS DO RJ AVALIA CONDIÇÕES DE TRABALHO NOTURNO

Via  SINPOSPETRO-RJ -

O diretor do SINPOSPETRO-RJ, Klebson Patricio, verifica as condições de trabalho noturno nos postos de combustíveis do Município do RJ. Na madrugada desta sexta-feira(25), ele visitou postos na Barra da Tijuca, Zona Oeste do RJ.


Ao contrário do que muitos pensam, a solidão e a insegurança não são as únicas dificuldades enfrentadas pelos frentistas que trabalham à noite. O desgaste físico, e o estresse, aliados ao risco de contaminação por produtos tóxicos aumentam as chances do trabalhador adoecer. Por esse motivo, o SINPOSPETRO-RJ fiscaliza, também à noite, os postos de combustíveis na cidade do Rio de Janeiro para verificar se as normas de segurança e saúde são cumpridas.

Na madrugada desta sexta-feira(24), o diretor do sindicato, Klebson Patricio, visitou vários postos de combustíveis na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Além da segurança, ele verificou também as condições sanitárias e de conforto no ambiente de trabalho. A ideia é fazer um levantamento detalhado sobre as condições de trabalho no horário noturno para criar propostas que amenizem o estresse do frentista.

NORMAS

Para garantir condições básicas de trabalho noturno, o SINPOSPETRO-RJ exige das empresas o cumprimento das Normas regulamentadoras.
A Norma Regulamentadora 17 visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente. O item 17.3.5 trata especificamente do trabalho em pé. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados de pé, devem ser colocados assentos para descanso em locais em que possam ser utilizados por todos os trabalhadores durante as pausas.

A NR 24 determina as condições de conforto e higiene das instalações sanitárias, vestiários, refeitórios, cozinhas, alojamento e durante as refeições.

RENDA

Muitos frentistas optam por trabalhar à noite para aumentar a renda, já que além do adicional de periculosidade, recebem mais 20% de adicional noturno. Esses bravos guerreiros enfrentam o frio e os riscos de vida e de saúde para garantir o sustento da família.

SEGURANÇA

Pesquisa realizada pelo SINPOSPETRO-RJ, constatou que a maioria dos assaltos a postos de combustíveis acontece à noite, quando há uma redução no número de funcionários trabalhando.

JORNADA NOTURNA

De acordo com as Consolidações das Leis Trabalhistas(CLT), trabalho noturno é aquele realizado entre as 22h de um dia às 5h do dia seguinte. O departamento Jurídico do sindicato orienta que a hora noturna é de 52 minutos e 30 segundos (e não 60 minutos), por isso, a jornada de 8 horas fica reduzida a 7 horas.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ