19.4.17

DEPOIS DE EXPLOSÃO EM POSTO, DURANTE ABASTECIMENTO, SINPOSPETRO-RJ COBRA MAIS AGILIDADE NA IMPLANTAÇÃO DA NR 20

Via SINPOSPETRO-RJ -

O cumprimento da NR 20, que estabelece requisitos mínimos para a gestão da segurança e saúde na atividade de manuseio e manipulação de inflamáveis e líquidos combustíveis volta a ser tema de debates nesta quarta-feira (19), na Superintendência do Trabalho e Emprego do RJ, no Centro da Cidade.


O debate sobre a implantação da NR20, que trata de segurança e saúde, nos postos de combustíveis, se faz necessário, principalmente, diante dos últimos acontecimentos no estado do RJ. No dia 8 de abril, um carro explodiu enquanto abastecia com GNV, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. No acidente, uma mulher morreu e outras duas pessoas ficaram feridas, entre elas, o frentista do posto. Desde agosto do ano passado, o SINPOSPETRO-RJ cobra do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) maior fiscalização para verificar se as empresas estão capacitando os trabalhadores para agirem em caso de acidente ou risco de contaminação.

Segundo o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio Pinto Neto, a explosão do carro em São Gonçalo prova que o curso prático, que é aplicado no Corpo de Bombeiros, é essencial para o treinamento dos frentistas que trabalham junto às bombas de combustíveis. Ele diz que o trabalhador capacitado sabe como agir em situações de risco, preservando a sua vida e a dos consumidores, que usam os serviços dos postos de combustíveis. Eusébio Neto, que esteve no posto, onde ocorreu o acidente, diz que os funcionários não fizeram os cursos prático e teórico sobre prevenção de acidentes e risco à saúde, como determina a NR 20.

Em reuniões anteriores no MT, os representantes das empresas alegaram que encontram dificuldades para aplicar os cursos teórico e prático da NR 20.

NR 20 - Apesar das alterações da NR 20, que trata de segurança e saúde nos postos de combustíveis, estar em vigor desde março de 2012, alguns estabelecimentos ainda não se adequaram as novas regras.

A norma regulamentadora exige que todos os funcionários e prestadores de serviços dos postos de combustíveis, independente da função, façam os cursos teórico e prático (de prevenção de acidentes) no ato da contratação. Além da capacitação profissional, a norma regulamentadora exige a reciclagem do trabalhador, em intervalos de tempos determinados, de acordo com a função exercida. A regra vale também para os trabalhadores que já fizeram o curso, mas mudaram de empresa. A cada contratação, o funcionário será submetido a um novo curso.

UNIFORME - O sindicato também vai cobrar das empresas a lavagem dos uniformes dos trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência, como ficou determinado em reunião no início do ano. A chefe da seção de Segurança e Saúde, Gisele Dalflon, deu um prazo de três meses para os postos começarem a se adequar ao item 11 do anexo II da NR 9, que obriga as empresas a fazer a higienização dos uniformes dos funcionários, pelo menos uma vez por semana. O prazo expirou no final de março.

* Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ