15.4.17

E OS NOMES, SENHOR MINISTRO? PROTEÇÃO A ROBERTO FREIRE...POR QUE? CABRAL ROUBOU MAIS DE 1 BILHÃO

MIRSON MURAD -


Aquele ministro falador um dos próceres da Justiça declarou (ele adora um holofote) que as delações são destinadas a proteger uns e perseguir outros, mas não deu nomes aos bois. ora, excelência! O Senhor pode e deve dizer quem são eles. Jogar palavra ao vento é maledicência partidária. Diga os nomes! Contudo, filtrando-se todas a atitudes anteriores e blá-blá-blá da Esfinge digo, do ministro torna-se fácil decifrar suas mensagens sem virar estátua de pedra. Na Europa, na ásia, nos States... o Judiciário é, tem de ser, totalmente mudo, não emite opiniões fora dos autos, mas aqui... Aliás, o senhor Emílio Odebrecht falava como quem estivesse fazendo uma grande fofoca, debochadamente. Seu advogado, assim me parece, aquele que estava ao seu lado, durante o depoimento, fazia caras e bocas, com um sarcástico olhar e sorriso enigmático. Muitas coisas que Emílio dizia mais parecia ensaiado, de maneira má intencionada. Por seu lado, a TV Globo editou as gravações. Quem observava atentamente, deu para perceber. Aliás, isso na Vênus Platinada é uma prática nada salutar mas lugar comum, de acordo com seus interesses, suas posições.

PROTEÇÃO A ROBERTO FREIRE...POR QUE?

O senhor procurador Geral Federal, Rodrigo Janot, isentou o "ministro" golpista Roberto Freire, que fora apontado em delação premiada, por sua idade (72 anos) disse. Será por essa msma razão que o Zé Mafioso Sarney e FHC continuam só apontados? Eles, Edson Porta-Voz Lambão e muitos outros que - inclusive - foram listados e entregues ao ministro Teori são Matusaléns, bem mais velhos que o Freire. E então? Pau que bate em Chico também bate em Francisco. Ou não? Aliás, as denúncias do fundador da Odebrecht contra Graça Foster, Dilma, Lula, seu "sobrinho" e ao Lulinha são inconsistentes mas... essa gente quer pega-los a qualquer custo. Ou não?

R$300 MILHÕES? ISSO É QUASE NADA. MAIS DE 1 BILHÃO DE REAIS É O CORRETO

O esquema de assalto aos cofres púbicos comandado pelo ladrão Sérgio Cabral Filho ultrapassou a barreira de 1 bilhão de reais surripiados do Estado do Rio de Janeiro e da federação. Perguntem ao Anthony Garotinho e ele contará tudo. Garotinho poderá botar a "boca no trombone" e facilitar a investigações da Polícia Federal e Ministério Público. Não porque ele é honesto. Mas porque foi defenestrado e jogado para escanteio perdendo sua participação. Apertem o cinto dele, retirem sua influência no Judiciário e ele abrirá a boca.