22.4.17

ENTREVISTA – “O SONHO SEGUE VIVO NA COREIA SOCIALISTA” LUCAS RUBIO, COORDENADOR DO CENTRO DE ESTUDOS DA POLÍTICA SONGUN-BRASIL [VÍDEO]

ILUSKA LOPES -

Depois da parada militar em Pyongyang no ultimo dia 15, milhares de civis lotaram a Praça Kim Il Sung em uma grande demonstração de amor a Pátria Socialista.
O entrevistado de hoje é também novo colaborador do site TRIBUNA DA IMPRENSA Sindical, o convite surgiu durante o bate papo com o editor Daniel Mazola. Universitário, LUCAS RUBIO, 20 anos, cursa Letras (Português e Russo) na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e representa o Centro de Estudos da Política Songun no Brasil (CEPS-BR). Com sede no Rio de Janeiro, o CEPS-BR visa estudar a doutrina militar da República Popular Democrática da Coreia (RPDC).

Lucas Rubio (foto) começou a se interessar por política no inicio da adolescência, ficava impressionado ao assistir o noticiário televisivo divulgar bizarrices sobre o pequeno país asiático, absurdos como: “todos os civis estão apoiando o regime assassino e assistindo o desfile militar, pois do contrário não terão comida e morrerão de fome”. Foi assim que passou a ter grande interesse em conhecer a fundo o regime socialista da Coreia do Norte e entender como de fato a população vivia naquele pequeno país, com aproximadamente o tamanho do Estado de Roraima e 24 milhões de habitantes.

No atual cenário, Lucas explica que “a ida da esquadra do EUA foi um jogo teatral para intimidar a Coreia do Norte, o país não está disposto a sofrer intimidações, nem se dobrar a provocações. Na parada militar que ocorreu no dia 15 de abril em comemoração aos 105 anos de nascimento do patriarca KIM IL SUNG, avó do atual líder da nação, KIM JONG UN, a Coreia do Norte mostrou que tem sim um míssil intercontinental, e está muito preparada no programa militar, isso da à Coreia Socialista poder de negociação muito maior no jogo geopolítico”.

Parada militar em comemoração ao 105º aniversário de nascimento do fundador da Nação, KIM IL SUNG
A Revolução da Coreia Socialista nasce da luta contra o imperialismo japonês na década de 1920 e seguiu posteriormente contra os Estados Unidos. Lucas destacou: “Após a independência política em 1948, se consolidou a Política Songun para garantir a soberania e defesa do seu povo. O que possibilitou a sobrevivência do regime da Coreia Socialista, durante décadas, foi o investimento em pesquisa militar e armamento. O país sofre até hoje com embargos econômicos iguais aos sofridos pelo regime Cubano, mesmo assim mantêm a nação alimentada, com saúde e educação de primeira qualidade, totalmente gratuito, consciente e politizada. As palavras soberania e independência tem uma importância enorme para a Coreia Socialista, eles lutam para manter isso, a manutenção da nação é vital. A Coreia do Norte não está conduzindo um programa nuclear para bombardear o mundo, apenas para existir, se defender contra o imperialismo dos EUA. (...) Há mais de 70 anos os EUA provocam e tentam intimidar a Coreia Socialista, mesmo assim a Coreia do Norte sempre saiu vitoriosa nas tentativas de destruição do seu regime (suposta ditadura). A Coreia Socialista mais uma vez deu as cartas e ensinou os EUA como é a regra do jogo”.

Lucas Rubio lembrou que os EUA vivem de intimidações e chantagens para garantir a própria hegemonia política e econômica, que a Coreia do Norte é atacada pelos EUA desde o fim da Segunda Guerra Mundial, e que sempre foram derrotados, enfatizou. No ultimo domingo publicamos o seguinte artigo do entrevistado: “A PARADA MILITAR DA COREIA SOCIALISTA [VÍDEO]”, o texto teve grande audiência e repercussão. É a versão contrária da reproduzida pelos barões da mídia, recomendo a todos (as)!

Na próxima semana publicaremos o final dessa entrevista. Agora confira a primeira parte: