28.4.17

FRENTISTAS DO RIO DE JANEIRO ANTECIPAM O 1º DE MAIO COM MANIFESTAÇÃO EM DEFESA DOS DIREITOS DOS TRABALHADORES

Via SINPOSPETRO-RJ -

Ao contrário dos anos anteriores, as comemorações do Dia 1º de Maio este ano serão marcadas por reflexão e protestos. Hoje, os diretores do SINPOSPETRO-RJ e trabalhadores de postos de combustíveis e lojas de conveniência vão participar, a partir das 14h, da manifestação contra as reformas da previdência e trabalhista, na Cinelândia, no centro da cidade.


Em respeito a todos os trabalhadores do país que sofrem ataques do governo e do Congresso que insistem em acabar com os direitos adquiridos com muita luta, a sede do SINPOSPETRO-RJ, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, e as subsedes de Volta Redonda, no sul do estado e a de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense estarão fechadas hoje (28). O sindicato aderiu à paralisação geral e todos os diretores e funcionários vão participar dos atos no estado do RJ contra as reformas da previdência, trabalhista e a Lei da Terceirização.

Durante a semana, os diretores do sindicato convocaram os trabalhadores nos postos de combustíveis e lojas de conveniência para participar das manifestações. Os diretores e funcionários sairão às 9h da sede do sindicato em carreata pelas ruas da cidade. Eles vão nos postos de combustíveis conversar com os trabalhadores sobre a importância de aderir ao movimento.

Também pela manhã, dirigentes do sindicato participam de manifestações em Volta Redonda e Barra Mansa. No Centro do Rio, os protestos terão início a partir das 14h, na Cinelândia. No início da noite, será realizado um grande ato com a presença de sindicalistas, trabalhadores de várias categorias e artistas.

Os protestos desta sexta-feira antecipam também as comemorações do dia 1º de Maio. Há muito tempo que o Dia do Trabalhador deixou de ser de reflexão para virar uma celebração festiva e as manifestações de hoje em todo o país vão resgatar essa luta. Para o presidente do SINPOSPETRO-RJ, Eusébio pinto Neto, a maioria dos trabalhadores ainda não se deu conta da gravidade das propostas que vão atingir principalmente, os mais jovens. As reformas trabalhistas e da previdência, além de precarizar a mão de obra, vão promover um grande retrocesso social no país. Segundo ele, o trabalhador não terá como recorrer à Justiça para garantir seus direitos porque os projetos propostos pelo governo tem como único objetivo legalizar o que hoje é considerado ilegal pelos magistrados.

Eusébio Neto diz que a luta é de todos e por todos, por isso o trabalhador precisa despertar, sair da área conforto para garantir o mínimo de direitos. “Não existe conquista sem luta e essa é a hora do povo reagir”.

O presidente do SINPOSPETRO-RJ voltou a afirmar que as reformas propostas pelo governo vão aumentar a desigualdade e a miséria no país. “O governo pretende enriquecer ainda mais uma minoria com o suor e o sangue do povo brasileiro”, concluiu.

*Estefania de Castro, assessoria de imprensa Sinpospetro-RJ