24.5.17

1- MILHARES DE MANIFESTANTES CERCAM O CONGRESSO E PEDEM DIRETAS JÁ, POLÍCIA REPRIME COM EXTREMA VIOLÊNCIA; 2- RENAN MUDA VOTOS DO PMDB E ENTERRA REFORMA TRABALHISTA

REDAÇÃO -


Milhares de manifestantes que participam das mobilizações convocadas pelas principais centrais sindicais do país seguem em marcha no início da tarde desta quarta-feira (24) em direção ao direção ao Congresso Nacional, para pressionar os parlamentares pela suspensão da tramitação das reformas da Previdência e Trabalhista, pela saída do presidente Michel Temer (PMDB) e a realização de eleições diretas.

Durante a manhã, trabalhadores vindos de todas as partes do Brasil se concentraram nos arredores do Estádio Mané Garrincha. Eles saíram em caminhada pelas ruas da capital federal e, neste momento, seguem pelo Eixo Monumental, em direção ao Congresso. Os organizadores esperam reunir 150 mil pessoas.

O coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme  Boulos, avalia que esta pode ser a maior mobilização na capital federal dos últimos anos. “Pelo Fora Temer, por Diretas Já e para barrar essas reformas. Não basta mudar o presidente por eleição indireta. É preciso derrotar uma agenda. A única forma de derrotar as reformas é tirar Temer, que já perdeu a condição de governar, e garantir eleição direta, para que o povo decida”, declarou,  na saída da concentração.

O coordenador da Central dos Movimentos Populares (CMP) e da Frente Brasil Popular (FBP), Raimundo Bonfim, reafirmou as motivações: “Temos três objetivos nesta marcha: o fim do governo Temer, a retirada as reformas e a exigência por eleições Diretas Já”.

Dezenas de parlamentares, entre eles os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ),  Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Gleisi Hoffmann (PT-PR), e a deputada  Benedita da Silva (PT-RJ), saíram do Congresso para se encontrarem com os manifestantes.

“Esta passeata é fundamental para mostrarmos que não aceitamos que este Congresso Nacional eleja um novo presidente da República. Não há legitimidade. É a continuidade do golpe”, afirmou Lindbergh. (via RBA)

Saiba mais:
O dia em que Temer foi cercado em Brasília e respondeu com tropas e balas (via DCM)
BRASÍLIA VIRA PRAÇA DE GUERRA: MINISTÉRIOS EM CHAMAS E EVACUADOS [VÍDEO] (via 247)
Polícia reprime manifestação por eleições diretas em Brasília (via GGN)

***
Renan muda votos do PMDB e enterra reforma trabalhista

Em entrevista dada na manhã de hoje, o líder do PMDB, Renan Calheiros, anunciou que vai usar seu direito de liderança e retirar os dois senadores que deram votos favoráveis à leitura do relatório favorável à reforma trabalhista tal como veio da Câmara dos Deputados.

A decisão inverte o placar registrado ontem, de 13 votos a favor e 11 contrários ao texto que agrada Michel Temer e “o mercado”.

Em gravação exibida pelo Poder360, Calheiros foi mais adiante e disse que, se fosse Michel Temer, teria demitido Henrique Meirelles por ter declarado que “com Michel ou sem Michel, vamos levar as reformas”, numa admissão explícita de que seguiria com as medidas independente da saída do presidente.

Temer, por sua vez,  articula, dentro do PMDB, a derrubada do atual líder do PMDB.

Renan vai comparecer pessoalmente ao ato das centrais sindicais, cujos apoiadores começam a se deslocar para a Esplanada dos Ministérios, com previsão entre 50 e 100 mil pessoas. A PM de Brasilia, sempre avara nos cálculos quando a manifestação é de esquerda, admite que há 25 mil pessoas diante do Estádio Mané Garrincha.

Assista, ao vivo, o início da movimentação, em transmissão dos Jornalistas Livres. (via Tijolaço)