12.5.17

DEPOIMENTO DE LULA: COBERTURA DA MÍDIA COMERCIAL-CONSERVADORA TEM OBJETIVO CLARO

MÁRIO AUGUSTO JAKOBSKIND -


Impressionante a cobertura da mídia comercial conservadora sobre o depoimento de Lula da Silva diante do juiz Sérgio Moro. O Jornal Nacional, edição do mesmo dia do depoimento, mostrou pouco das imagens liberadas, justificando que as recebeu em cima da hora. Não tiveram tempo hábil para manipular, deixa isso para o dia seguinte.

O jornal das 10 da Globonews reuniu alguns comentaristas de sempre que simplesmente tentaram de todas as formas incriminar o ex-presidente. Merval Pereira, também colunista de O Globo tomou as dores do jornal para desancar contra Lula e chegou ao ponto de afirmar que a manifestação dos apoiadores do ex-presidente em Curitiba foi um fiasco com menos gente do que se esperava. A Globonews não mostrou imagem da manifestação, nem mesmo na base de sempre, ou seja, apresentar de um ângulo parecendo pouca gente.

Mentira do colunista Merval Pereira que não esconde seu ódio a Lula, da mesma forma que os demais editores do jornalão da família Marinho. A manifestação em Curitiba dos apoiadores de Lula teve grande alcance, ao contrário dos do juiz Sérgio Moro. Aí a justificativa da timidez da manifestação foi justificada pelo apelo do referido em vídeo. Moro e seus seguidores sabiam que não teriam muita possibilidade de colocar grande número de pessoas nas ruas. Aí a justificativa do pedido de Moro foi repetida por Ricardo Boechat na TV Bandeirantes.

Na verdade, o noticiário da Globonews com seus comentaristas de sempre está muito mais para aparelho de direita do que jornalismo propriamente dito. O Jornal Nacional da TV Globo, canal aberto, já não esconde a preocupação com uma possível candidatura de Lula da Silva em 2018, da mesma forma que a base aliada do usurpador que ocupa indevidamente o Palácio do Planalto.

Há quem diga, e com justa razão, que o depoimento de Lula a Moro de alguma forma alavancou a campanha presidencial do já candidato em 2018. O Brasil parou com o acontecimento em Curitiba, que também faz com que os telejornalões ganhem maior audiência.

Querendo ou não os colunistas de sempre, Lula dá Ibope, e isso deixa os seus opositores perplexos e muito nervosos. Procuram então apresentar fatos de forma manipulada com o objetivo de sempre, isto é, procurar convencer incautos a concluir que Lula é "delinquente".

Quanto ao depoimento em si, Lula da Silva colocou Sérgio Moro no bolso e o juiz badalado pela mídia conservadora não apresentou nenhuma prova de que o ex-presidente é proprietário do tal triplex do Guarujá. Moro repetia perguntas, numa demonstração concreta de que tentava pegar o depoente em alguma contradição.

No dia seguinte os jornalões repetiram o que os telejornalões fizeram na noite anterior, ou seja, tentando de todas as formas culpar Lula da Silva por acusação sem prova. O Globo e o Estado de S. Paulo se esmeraram em atribuir malfeitos ao depoente com chamadas de primeira página visivelmente manipuladas.

Quem teve oportunidade de ver alguma coisa do depoimento de Lula pôde constatar com certa tranqüilidade como a mídia comercial conservadora manipula. Lula, querendo ou não os colunistas de sempre e a oligarquia que se apossou do governo, é candidato a Presidente da República em 2018, se a eleição acontecer mesmo, porque os golpistas de 2016 estão já articulando ou um possível adiamento do pleito ou então a passagem do regime presidencialista para parlamentarista.

Nesse sentido é fundamental o papel da mídia comercial conservadora para anular a possibilidade de Lula concorrer. Se não der certo, os usurpadores do poder já têm o plano B e C, ou seja, impedir a candidatura de Lula ou então uma saída parlamentarista.

Então, podem constatar que de agora em diante as matérias procurando incriminar Lula vão se intensificar. Merval Pereira e outros colunistas do mesmo time vão ter que se desdobrar para continuar incriminando Lula da Silva, mesmo não tendo provas concretas contra ele.

Prestem atenção, por exemplo, as cartas dos eleitores, quase uma unanimidade contra o candidato à Presidência em outubro de 2018. Lula informou em seu depoimento a Moro como jornalões como O Globo e O Estado de S. Paulo e outros divulgaram informações contra ele nos últimos tempos.

As delações premiadas vão prosseguir e a senha para conseguir redução da pena ou prisão mesmo com tornozeleira eletrônica é acusar Lula de qualquer coisa. Provas no caso são de menos, porque afinal de contas a mídia comercial conservadora está aí para qualquer coisa.

* Mário Augusto Jakobskind, é Professor, Jornalista, Escritor e Coordenador de História do IDEA, Programa de TV, transmitido pela Unitevê, Canal Universitário de Niterói, Universidade Federal Fluminense. Fonte: blog Jornal da ABI